26 de jan de 2011

Momento Saúde: Apneia - A Hora do Pesadelo





Hoje em dia,é cada vez mais incomum termos uma noite de sono tranquila e reparadora, devido ao dia corrido que todos temos.
Muitas vezes 24 horas é muito pouco para repararmos tamanho estrago que o relógio causa em nosso corpo e mente, e tudo pode ficar pior se a pessoa tiver apneia, que, a grosso modo, é a pausa da respiração enquanto dormimos.
Tal distúrbio tem ganho cada vez mais páginas de reportagens em revistas especializadas no setor da saúde, visto que o mesmo traz consequências para várias partes do corpo: problemas neurológicos, cardiológicos, musculares e hormonais.
A apneia causa uma interrupção no sono, que pode acontecer várias vezes durante a mesma noite. E o mais agravante: quem tem, não sabe que tem.
Todas as vezes em que dormimos, entramos em um estado de descanso. Todas as nossas funções vitais ficam em um nível onde permanecem durante a noite inteira. O oxigênio é o ''combustível'' para manter tudo funcionando enquanto descansamos.
Como a apneia não deixa o oxigênio entrar livremente no corpo, as conseqüências são desastrosas, justamente porque a doença não permite que o indivíduo entre no sono R.E.M., período onde descansamos, produzimos hormônios e tiramos energia para o dia a dia.
Em relação ao campo neurológico, a apneia traz falta de atenção durante o dia, sonolência, dificuldades em sair da cama e raciocínio lento. Todas essas são implicações neurológicas muitas vezes podem ser confundidas com depressão.
Na área cardiológica, quando o oxigênio não está abastecendo o organismo o coração tem que trabalhar mais, entrando, muitas vezes, em taquicardia, assim como sem a oxigenação necessária, ocorrem câimbras e até a síndrome das pernas inquietas.
Os hormônios gerados nesse período de sono são: serotonina ( melhora o convívio social ), catecolominas ( ajudam a controlar a pressão arterial ), natriurético ( trabalha na questão urinária ), somotomedina ( controla a variação de peso ), entre outros.
O que os médicos orientam: fique atento a qualquer mudança em seu organismo, mesmo você não sabendo se tem apneia, se o seu corpo não estiver bem e saudável, ele dará sinais, como os expostos acima.
Dormir muito não significa ter um sono de qualidade.
Caso isso ocorra com você, ou alguns desses sintomas, procure um médico, ele fará os exames indicados e apontará seu problema e assim uma resolutividade.
Cuide bem da sua saúde.
Seu corpo e mente agradecem.



Fonte:  Revista Corpore - Por uma vida melhor.

14 de jan de 2011

Televisão: o espelho do povo brasileiro

 Teve início mais uma edição do famigerado ''BBB''.
 É graças a ele que paro por alguns minutos, só minutos, e penso em como está nossa grade televisiva.
 Vamos aqui falar da ainda maior, ainda imperiosa Rede Globo.
 Não quero fomentar debates, pois os mesmos não solucionariam a programação encaixotada que hoje temos.
 Quero apenas expor meu ponto de vista, e quisá encontrar alguém que partilhe do ''mesmo prato de comida'' que eu.
 A novela Passione termina essa semana, arrastada, doída, sofrida, assim como seu autor, que nunca outrém fora tão criticado. A Rede Globo perde a mão mais uma vez no seu principal produto de exportação: a telenovela.
 Vamos adiante, no ''já deveria ter sido extinto'' Vale a Pena ver de Novo, a Globo reprisa O Clone, outro exemplo de como não devemos viver em sociedade, de como não devemos criar nossos filhos, do quão fúteis são as pessoas, e que de nada lembram o povo brasileiro, esse mesmo que você e eu acompanhamos nas telinhas quando um desastre se abate no Brasil, como agora nas enchentes em São Paulo e no Rio de Janeiro, unindo força tarefa à força do coração brasileiro.
 Domingo... ah, dia cruel. Além de nos lembrarmos que teremos uma ''segundona'' pela frente, enfrentamos um dia de bobagens, crendices, burrices, piadas de baixo calão, um Faustão defasado, um Fantástico que já fora mais, e hoje não passa de mais um folhetim sensacionalista trazendo pai de Michael, entrevista da Oprah com a mãe de Michael, a polêmica se os filhos são de Michael, além de entrevistas EXLUSIVAS ( não sei como eles sempre chegam antes(!) ) com mãe da Raquel, mãe da Isabela, mãe do Bruno, mãe do Bin Laden, OK!
 Leio, ouço músicas, vou ao cinema, teatros, vou ao shopping e sento-me em frente ao piano para ouvir Mozart, dedilhados por uma senhora simpática e rica em sua cultura.
 Chego em casa, a tecla power me chama. Já está na Globo, é verdade. Ainda tento descobrir o porquê dela ser a Poderosa sobre as outras emissoras.
 Começam os chamados para o BBB, as entrevistas na rua sobre o BBB, os flashes do BBB, o Bial, metido a poeta ( esqueçam Neruda, Drummond ), fazendo versos em prosa sobre os participantes que ele chamou de HERÓIS por diversas vezes, e polemizou como a rede Globo sempre faz conosco, os telesbobos.
 E quase tenho uma síncope quando vejo anúncio de pacotes para acompanhar nossos ''Grandes Irmãos Brasileiros'' durante 24 horas. 
 Não quero com isso demonstrar minha frustração por não ser uma atriz famosa, ou uma caricatura no BBB que após o término posará na Playboy ou ganhará matérias no já aqui citado Fantástico.
 Tenho meu brilhantismo, inteligência, perspicácia, e cada qual joga com o que tem.
 Mas será que só eu estou cansada dessa mesmice, babaquice, idiotice, e os outros ''ice'' que existem para descrever tal emissora?
 Não posso tirar a Rede Globo do ar, simplesmente apagar o canal 12 e só ver chuviscos na tela, mas posso desligar a caixinha preta, desligar do ''plim plim'', e percorrer caminhos que tragam algo de bom a minha vida, para que possa repassar à geração futura.
 O meu maior medo é saber que a maior audiência da rede Globo está concentrada em folhetins cujos personagens são ex prostitutas, ex viciados, ex mães, ex avós, ex pais, ex atletas, e num programa em que os participantes ficam trancafiados em uma casa, sem exercitar a mente, apenas o corpo, e o fazem tanto na academia quanto na cama. Homens e mulheres que vêm sabe-se Deus de onde, com um propósito único de uma fama burra e pobre, além de alguns trocados, que logo irão se esvair pois os mesmos não saberão como lidar com o montante proposto como já vimos vários exemplos.
 Acorda, Brasil!
 Chega dessa visão de terceiro mundo, país merreca, com macacos nos galhos e o povo falando ''uga uga'' que outros países têm de nós.
 Acorda, povo!
 Homem se vestindo de mulher, mulher se vestindo de homem, criança esquecendo de ser criança, mulheres vendendo seus corpos, novelas que estereotipam pessoas,mas não dão assistência às mesmas.
 Cadê nossa identidade?
 Recuso-me a crer que o nosso espelho é uma tela cuja dona é a Rede Globo, como já muitos disseram.
 Não somos mesquinhos, ordinários e cafajestes. Não permitamos essa lavagem cerebral, vamos reagir!
 Tiremos a TV da tomada, da nossa casa, da nossa vida, da nossa estante, da nossa parede, nem que seja por míseros segundos.
 Vai nos fazer muito bem.
 Boa sorte!



8 de jan de 2011

Amor na Terceira Idade




Amor na Terceira Idade
                                        Por Neviton Paschoal

Quando se tem um grande amor
O vento sempre sopra a favor
Se não existe a compreensão
O vento se torna um furacão

Lealdade ,companherismo,amizade
Fidelidade, honestidade, cumplicidade
Isto é amor de pura verdade
Não importando a idade

Amor na terceira idade
Tudo fica mais fácil
Pois já tiveram infelicidade
com as experiências vividas

Uma brincadeirinha aqui e ali
ativando a sexualidade
Com muita criatividade
esquecendo o fator idade

Fazendo tudo bem demorado
Até adquirir sensação relaxado
O prazer vem mais prolongado
Com certeza chega ao orgasmo

Acima dos sessenta anos
Se torna tudo engraçado
O orgasmo é mais demorado
E o prazer... é
redobrado!

3 de jan de 2011

Francesco Petrarca

Francesco Petrarca ( 20 de julho de 1304 ), intelectual, poeta e humanista italiano. Suas obras inspiravam outras grandiosas, considerado um dos ‘’pais do Humanismo’’, Petrarca deixou ao mundo muitos poemas e, uma das curiosidades que ainda emocionam a muitos que leem suas escritas. Como a de Laura...


O ano era 1327, sexta-feira Santa, a visão de uma mulher chamada Laura,na Igreja de Santa Clara de Avignon,despertou em Petrarca uma paixão duradoura, celebrada nas Rime sparse ("Rimas Esparsas"). Mais tarde, poetas renascentistas que copiaram o estilo de Petrarca deram o nome a essa coleção de 366 poemas de Il Canzoniere ("O Cancioneiro"). Laura pode ter sido Laura de Noves, esposa de Hugues de Sade,um ancestral do Marquês de Sade. Petrarca sempre negou a acusação de que ela possa ter sido um personagem idealizado ou com pseudónimo falso (visto que o nome Laura tem semelhança com láurea). Sua descrição realista em seus poemas contrasta com os clichés do Trovadorismo e do amor cortês. Sua presença causa no poeta uma alegria indescritível, mas seu amor não-correspondido criava desejos instantâneos. Há pouca informação concreta na obra de Petrarca sobre Laura, exceto que é linda, tem cabelos claros e,é uma moça modesta e digna. Laura e Petrarca tiveram pouco ou nenhum contato pessoal. De acordo com seu ‘’Secretum’’, ela o recusava porque já era casada com outro homem. Ele canalizou seus sentimentos para os poemas de amor,que eram exclamatórios e escreveu prosa em que mostrava seu desprezo por homens que buscavam mulheres. Petrarca aperfeiçoou a conhecida forma do soneto, herdada de Giacomo da Lentini, e que Dante amplamente usou. Muitos dos poemas de Petrarca, colecionados no Cancioneiro (dedicado a Laura), eram sonetos. O compositor romântico Franz Liszt musicou alguns dos sonetos de Petrarca: Tre sonetti del Petrarca.



Ó minha alcova, que já foste um porto
Às tempestades que cruzei diurnas,
Fonte agora de lágrimas noturnas,
Que no dia, por pejo, ocultas porto;

Ó leito, onde encontrei paz e conforto
De tanta mágoa, que dolentes urnas
Sobre ti verte o Amor com mãos ebúrneas,
Só para mim crueza e desconforto!

Porém do meu retiro e do repouso
Não fujo, mas de mim e do pensar,
Que tanta vez segui num devaneio;

E em meio ao vulgo adverso e inamistoso
(Quem diria?) refúgio vou buscar,
Tal é de ficar só o meu receio.




A robotização da massa

Vejo pessoas  robotizadas  pelas ruas, cabeças baixas, dedos deslizando sobre pequenas telas pretas. Ando pelas calçadas com as mãos nos ...