30 de nov de 2012

E no frigir dos ovos

 
O que significa "No frigir dos ovos"?

Pergunta: Alguém sabe me explicar, num português claro e direto, sem figuras de linguagem, o que quer dizer a expressão "no frigir dos ovos"?


Resposta: Quando comecei, pensava que escrever sobre comida seria sopa no mel, mamão com açúcar. Só que depois de um certo tempo dá crepe, você percebe que comeu gato por lebre e acaba ficando com uma batata quente nas mãos. Como rapadura é doce mas não é mole, nem sempre você tem idéias e pra descascar esse abacaxi só metendo a mão na massa..

E não adianta chorar as pitangas ou, simplesmente, mandar tudo às favas, nem ficar procurando chifre em cabeça de cavalo.

Já que é pelo estômago que se conquista o leitor, o negócio é ir comendo o mingau pelas beiradas, fazendo uma boquinha e cozinhando em banho-maria, porque é de grão em grão que a galinha enche o papo.

Contudo é preciso tomar cuidado para não azedar, passar do ponto, encher linguiça demais. Além disso, deve-se ter consciência de que é necessário comer o pão que o diabo amassou para vender o seu peixe. Afinal não se faz uma boa omelete sem antes quebrar os ovos. Cautela e canja de galinha não fazem mal a ninguém.
Há quem pense que escrever é como tirar doce da boca de criança e vai com muita sede ao pote. Mas como o apressado come cru, essa gente acaba falando muita abobrinha. São escritores de meia tigela, trocam alhos por bugalhos e confundem Carolina de Sá Leitão com caçarolinha de assar leitão.


Há também aqueles que são arroz de festa, com a faca e o queijo nas mãos, eles se perdem em devaneios (piram na batatinha, viajam na maionese... etc.). Achando que beleza não põe mesa, pisam no tomate, enfiam o pé na jaca, e no fim quem paga o pato é o leitor que sai com cara de quem comeu e não gostou.

O importante é não cuspir no prato em que se come, pois quem lê não é tudo farinha do mesmo saco. Diversificar é a melhor receita para engrossar o caldo e oferecer um texto de se comer com os olhos, literalmente.

Por outro lado se você tiver os olhos maiores que a barriga o negócio desanda e vira um verdadeiro angu de caroço, comendo mortadela a arrotando caviar. E, não adianta chorar sobre o leite derramado porque ninguém vai colocar uma azeitona na sua empadinha, não. O pepino é só seu, e o máximo que você vai ganhar é uma banana, afinal pimenta nos olhos dos outros é refresco...

A carne é fraca, eu sei. Às vezes dá vontade de largar tudo e ir plantar batatas, porque macaco velho não bota a mão em cumbuca. Mas, quem não arrisca não petisca, e depois quando se junta a fome com a vontade de comer as coisas mudam da água pro vinho.

Se embananar, de vez em quando, é normal, o importante é não desistir mesmo quando o caldo entornar. Puxe a brasa pra sua sardinha, que, no frigir dos ovos a conversa chega na cozinha e fica de se comer rezando. Daí, com água na boca, é só saborear, porque: o que não mata engorda.

Entendeu o que significa "no frigir dos ovos"?

Autor: Desconhecido
Fonte: Google

24 de nov de 2012

Fanfictions

 
É a ficção criada por fãs, os autores são chamados de Fictores.
Fanfictions é uma nova forma de literatura. Os fãs criam histórias sobre seus ídolos da ficção ou mesmo os reais.
Às vezes, os fãs se cansam de esperar pelo novo filme ou livro de sua série predileta e até desejam dar um novo rumo para seus personagens de livros, filmes, séries, quadrinhos, bandas e até celebridades.
Então dão vida à nova forma de literatura. São conhecidas como fanfics e criadas especialmente pelos fãs.
As histórias começam a ser publicadas em sites, e assim os leitores estão sendo conquistados rapidamente.
Atualmente, já, existem portais dedicados apenas à publicação das fanfics.
A paixão e, também o descontentamento dos fãs, foram os motivos que fizeram com que eles assumissem o papel de escritores.
Sendo assim, os escritores das fanfics, têm o poder de transformar o final da história, rever e até mudar algumas características dos personagens. Podem até escrever uma nova aventura para ser degustada pelos fãs, os quais também têm seus anseios por novidades de seus ídolos.
Os escritores de fanfics são conhecidos como ficwriters, passando assim, a serem transformadores
e agentes culturais.
Segundo André Neves, o mestre em Crítica Cultural "o sucesso da cultura de ciberespaço permitiu que as classes marginais da literatura encontrassem espaço tanto para produzir quanto para divulgar".
Os temas do universo POP são mais frequentes, devido a grande maioria dos escritores de fanfiction serem jovens.
Harry Potter ganhou notoriedade inédita, pela sua quantidade de fãs, sendo assim, registra um marco para o gênero, pois é um mundo repleto de possibilidades. Penso que todos nós, leitores em algum momento tivemos uma vontade louca por mudança do que líamos e até imaginado um final diferente.
Chamou-me a atenção a trilogia "50 Tons de Cinza". Obra muitíssimo comentada por seu conteúdo sobre sexo.
A história surgiu de uma fanfiction baseada nos personagens Bella e Edward, de Crepúsculo, fiquei incrédula ao ler, pois foram simplesmente rebatizados como Christian e Ana Steele. É uma história extremamente picante.
O sonho dos autores de fanfics é poder publicar suas histórias.
Porque toda história, pode sim, ser reinventada, por mais polêmica que esta frase seja.
 

15 de nov de 2012

Viagem a Brasília com a turma de Direito da UnC (Universidade do Contestado)


Sempre tive ímpetos de conhecer mais sobre a cidade de Brasília. Sabia um pouco sobre ela através dos livros, filmes, documentários. O projeto piloto de Oscar Niemeyer ficava distante do meu entendimento. Compreendi melhor estando no local junto à maquete. Simplesmente fantástico, pois tudo foi projetado com um objetivo final. Cada salão, cada painel, cada janela tem uma função dentro do projeto.
Sempre soube que Brasília foi o sonho realizado por Juscelino Kubitschek, porém há muitas pessoas que acreditam no sonho profético de Dom Bosco, que leva o nome do padroeiro de Brasília. Penso que foi o sonho de milhares de brasileiros por uma nova capital. Com o sol escaldante sobre mim, voltei meus pensamentos aos candangos, que desbravaram corajosamente o cerrado, e o apoio dos mestres Oscar Niemeyer e Lúcio Costa.
A minha volta os lagos artificiais para equilibrar a umidade do ar. Adoro o calor, mas devo -lhes contar só com muito líquido para poder admirar as belezas de Brasília. Achei extremamente interessante saber que todo o espaço de Brasília foi  racionalizado, pois possue uma simentria majestosa. Os setores existentes no lado Sul são repetidos no lado Norte.
Assim setor só de bancos, só de farmácias, hospitais, hoteis e recebem nomes técnicos como por exemplo:-Setor Hoteleiro,Norte/ Sul, para facilitar usam-se as siglas  (SHN/ SHS);
Setor Médico Hospitalar Sul/Norte (SMHS/ SMHN ). Interessante saber que a cidade foi projetada para cerca de 500 mil habitantes, hoje, porém, já possue quatro vezes mais que o planejado. O Congresso Nacional possue vinte e oito andares, por isso, os demais  prédios não podem ultrapassar o número de andares em respeito à altura do Congresso Nacional.
O Palácio do Congresso Nacional, fica  localizado na Praça dos Três Poderes e Sede do Poder Legislativo Federal, projetado pelo arquiteto O.N. Toda a arquitetura tem uma simbologia interessante. Pude registrar em minha mente muito conhecimento, mas por serem infindáveis regitrarei apenas uma pequena parte para que tenham uma noção de quanto há a aprender sobre nossa história.

A Câmara dos Deputados fica no Salão Negro. A parte arquitetônica é de tirar o fôlego, é por ele que o (a) presidente da República faz sua entrada.
Salão Nobre é o espaço onde o presidente da Câmara dos Deputados recepciona chefes de Estado ou de Governo. Nessa sala há um vitral com o título de Pasiphae. Há um painel de madeira laqueada em azul escuro.... tudo explêndido.
Salão Verde é onde existe maior movimento da Câmara dos Deputados.O salão é usado pelos jornalistas para seus trabalhos de entrevista com os parlamentares.
O Salão também abriga a exposição permanente dos Presentes Protocolares do Museu da Câmara dos Deputados do Império à República.
Galeria do Plenário é permitido a qualquer pessoa ingressar e permanecer na galeria pública durante as sessões.
Plenarinho -Presidiários do Rio de Janeiro produziram os móveis em madeira de lei, em 1867.Esse conjunto é chamado de Plenarinho e sua disposição é semelhante à do Plenário atual.
Obs:-Para os entendedores de entalhe em madeira é um colírio aos olhos.
O Banco Central do Brasil mostra nossa história desde o aparecimento da moeda e dos sistemas financeiros.
A Galeria de Arte do Banco central tem como objetivo divulgar o acervo.Consegue-se fazer uma viagem cultural da Vanguarda modernista, onde podemos nos maravilhar com as obras de Di Cavalcanti, Tarcila do Amaral e outros. As obras da Semana da Arte Moderna se fazem presente. O compartilhamento da cultura com os cidadãos é muitíssimo interessante.
A capela de Nossa Senhora de Fátima, em Brasília, é conhecida com Igrejinha. A primeira igreja de Brasília, construída e fundada antes da própria cidade de Brasília, 1958. Ela foi construída a pedido de dona Sarah Kubitschek  para cumprir a promessa que fizera pela cura da filha.
A Igrejinha fica no centro das quatro quadras. Foi projetada pelo O.N.. Ela tem a forma de um chapeu das freiras da Ordem dos Vicentinos. Tem capacidade para no máximo 60 pessoas. Inclusive, no dia da minha visita, havia um batizado, por isso foram colocadas cadeiras do lado de fora.
É ornamentada com azulejos azuis com figuras do Espírito Santo e da Estrela da Natividade criado por Athos Bulcão.
O Santuário de Dom Bosco - homenagem ao padroeiro de Brasília - possue vitrais com doze tons de azul.O sol estava refletindo o azul nos bancos da igreja, não encontro palavras para descrever tão maravilhosa sensação.
O altar é um bloco maciço de mármore rosa. Atrás, a cruz com Cristo crucificado, ela possue oito metros e é esculpida de um único tronco de cedro.
O Memorial JK., merece uma parte especial, pois há necessidade de muitas palavras para expressar tamanha beleza do local.
A cidade de Brasília me deixou encantada, e há muito a contar sobre o que vi e aprendi...
Ah! a minha curiosidade ficou sem resposta, pois não nos foi mostrado a parte feia, a pobreza, a violência.

11 de nov de 2012

Sugestão de um Dia de Chuva


Gosto de ver a chuva. Chove. Abro a janela
fica à janela a ouvir por essa tarde mansa
a balada da chuva... Ah! a chuva é tão bela
que meu olhar de vê-la e olhá-la não se cansa !

Nesses dias de chuva eu retorno a ser criança,
vou correndo ao passado, à cidade singela
onde de pés no chão... minha maior festança
era brincar na chuva e era correr por ela...

Chove! Que chuva boa! E que alegria encerra
a cantiga dos pingos batendo na terra !
Penso... e que saudade sinto toda vez

que chove! como se eu pudesse novamente
pés descalços correr pela chuva contente
como a criança de outrora alegremente o fez!


( Soneto de J G de Araujo Jorge - in
" Festa de Imagens " 1a ed. 1948 )

9 de nov de 2012

Vernissage



Exposição " Imagens do Mundo", aconteceu ontem, no espaço Estação Business School, no Shopping Estação em Curitiba.
Fui honrada com o convite da escritora Isabel Furini e seu filho Carlos Zemek ( curador ).
O evento contou com a presença de muitos artistas, inclusive internacionais.
O evento registrou o encontro da Educação, Cultura e Arte.
Vale a pena o registro.







 



6 de nov de 2012

Sejamos o milagre

Costumo dizer que nunca um filme é 100% perdido, mesmo aqueles que não caem em nosso gosto artístico por completo. Sempre há possibilidad...