Apreciadores de Um Naco de Prosa

28 de jan de 2014

Dicas de Filmes: Terror e Suspense

Os Outros ( 2001 )

Durante a 2ª Guerra Mundial, Grace (Nicole Kidman) decide por se mudar, juntamente com seus dois filhos, para uma mansão isolada na ilha de Jersey, a fim de esperar que seu marido retorne da guerra. Como seus filhos possuem uma estranha doença que os impedem de receber diretamente a luz do sol, a casa onde vivem está sempre em total escuridão. Eles vivem sozinhos seguindo religiosamente certas regras, como nunca abrir uma porta sem fechar a anterior, mas quando eles contratam empregados para a casa eles terminam quebrando estas regras, fazendo com que imprevisíveis consequências ocorram.



Invocação do Mal ( 2013 )

Harrisville, Estados Unidos. Um casal (Ron Livinston e Lili Taylor) muda para uma casa nova ao lado de suas cinco filhas. Inexplicavelmente, estranhos acontecimentos começam a assustar as crianças, o pai e, principalmente, a mãe. Preocupada com algumas manchas que aparecem em seu corpo e com uma sequência de sustos que levou, ela decide procurar um famoso casal de investigadores paranormais (Patrick Wilson e Vera Farmiga), mas eles não aceitam o convite, acreditando ser somente mais um engano de pessoas apavoradas com canos que fazem barulhos durante a noite ou coisas do gênero. Porém, quando eles aceitam fazer uma visita ao local, descobrem que algo muito poderoso e do mal reside ali. Agora, eles precisam descobrir o que é e o porquê daquilo tudo acontecendo com os membros daquela família. É quando o passado começa a revelar uma entidade demoníaca querendo continuar sua trajetória de maldades.

A Bruxa de Blair ( 1999 )

Três estudantes de cinema embrenham-se nas matas do estado de Maryland para fazer um documentário sobre a lenda da bruxa de Blair e desaparecem misteriosamente. Um ano depois, uma sacola cheia de rolos de filmes e fitas de vídeo é encontrada na mata. As imagens registradas pelo trio dão algumas pistas sobre seu macabro destino.

Na Companhia do Medo (Gothika) ( 2004 )

Miranda Grey (Halle Berry) é uma conceituada psiquiatra criminal que, repentinamente, descobre estar internada na clínica para deficientes mentais em que trabalha. Miranda é acusada de ter assassinado seu marido, mas ela não se lembra de ter cometido o crime. Tentando recuperar sua memória, Miranda passa a desconfiar que esteja sendo usada por uma força sobrenatural, que esteja buscando vingança.

O Despertar ( 2011 )

1921, pouco após a Primeira Guerra Mundial. Assombrada pela morte de seu noivo, Florence Cathcart (Rebecca Hall) resolveu dedicar sua vida a investigar supostos casos paranormais, usando a lógica para explicá-los. Ela aceita o convite para ir a uma escola onde um garoto foi encontrado morto e, segundo rumores, seu fantasma assombra o local. Logo ela começa a buscar evidências científicas que expliquem a situação, só que suas descobertas aos poucos colocam em dúvida tudo o que sabe até então.

Evocando Esíritos ( 2009 )

Quando Matt (Kyle Gallner), filho de Sara (Virginia Madsen) e Peter Campbell (Martin Donovan), é diagnosticado com câncer, toda a família precisa se mudar para um local mais próximo da clínica onde realizará seu tratamento. Aos poucos Matt apresenta sintomas estranhos, tendo uma súbita mudança de comportamento. Ao pesquisar o passado da nova casa, Sara e Peter descobrem que ela fora um centro de pesquisas que procurava algo além do que o simples contato com espíritos.

A Chave Mestra ( 2005 )

Caroline Ellis (Kate Hudson) é uma jovem que acompanha doentes terminais, com o objetivo de juntar dinheiro para poder cursar a escola de enfermagem. Em um de seus trabalhos ela aceita acompanhar um senhor inválido, Ben Devereaux (John Hurt), que mora com sua esposa Violet (Gena Rowlands) em um terreno isolado na cidade de Nova Orleans. O local é famoso pela quantidade de cerimônias místicas lá realizadas, mas Caroline não acredita nestas crendices. Ben sofreu um derrame recentemente, que o deixou praticamente paralisado e mudo. Para que Caroline possa percorrer a casa à vontade, Violet lhe entrega uma chave mestra que abre todas as portas. Porém em suas andanças ela encontra uma porta escondida, localizada atrás de uma estante e no fundo do sótão. Caroline abre a porta com a chave mestra e lá encontra várias antiguidades, espelhos que foram retirados de todos os demais cômodos e ainda artefatos aparentemente ligados à prática de algum tipo de magia.

O Orfanato ( 2007 )

Laura (Belén Rueda) passou os anos mais felizes de sua vida em um orfanato, onde recebeu os cuidados de uma equipe e de outros companheiros órfãos, a quem considerava como se fossem seus irmãos e irmãs verdadeiros. Agora, 30 anos depois, ela retornou ao local com seu marido Carlos (Fernando Cayo) e seu filho Simón (Roger Príncep), de 7 anos. Ela deseja restaurar e reabrir o orfanato, que está abandonado há vários anos. O local logo desperta a imaginação de Simón, que passa a criar contos fantásticos. Entretanto à medida que os contos ficam mais estranhos Laura começa a desconfiar que há algo à espreita na casa.

Vozes do Além ( 2004 )

VP (Eletronic Voice Phenomena) é o fenômeno que diz que, caso um rádio esteja mal sintonizado, pode-se ouvir vozes do além, sendo que caso isto ocorra com uma TV pode-se ver rostos de pessoas já falecidas. Jonathan Rivers (Michael Keaton) é um arquiteto que enviuvou há pouco tempo, com sua esposa tendo falecido de forma misteriosa. Quando lhe é oferecida a oportunidade de entrar em contato com ela usando o método do EVP, Jonathan inicialmente recusa mas, esperançoso com a possibilidade de reencontrá-la, acaba aceitando. O que ele não contava era que a situação fugisse do seu controle.

Brinquedo Assassino (1988 )

Um serial killer é morto em um tiroteio com a polícia, mas antes de morrer utiliza seus conhecimentos de vodu e transfere sua alma para um boneco. Um menino ganha exatamente este brinquedo como presente da sua mãe. O menino tenta alertar que o boneco está vivo, mas sua mãe e um detetive da polícia só acreditam nele após o brinquedo ter feito várias vítimas. Mas o boneco está realmente interessado é no garoto, pois só no corpo dele poderá continuar vivo, e isto coloca a criança em grande perigo.
 

A Órfã ( 2009 )

Kate (Vera Farmiga) e John Coleman (Peter Sarsgaard) ficam arrasados devido a um trágico aborto. Apesar de já ter dois filhos, Daniel (Jimmy Bennett) e a surda muda Maxime (Aryana Engineer), o casal decide adotar uma criança. Durante uma visita a um orfanato, os dois se encantam pela pequena Esther (Isabelle Fuhrman) de nove anos e optam rapidamente por sua adoção. O que eles não sabiam é que estranhos acontecimentos fazem parte do histórico da menina que passa a se tornar, dia após dia, mais misteriosa. Intrigada, Kate desconfia que Esther não é quem aparenta ser, mas devido ao seu passado de alcoolismo tem dificuldades de provar sua teoria.

A Casa de Cera ( 2004 )

Carly (Elisha Cuthbert), Paige (Paris Hilton), Wade (Jared Padalecki), Nick (Chad Michael Murray) e mais dois amigos decidem viajar de carro para o maior campeonato universitário de futebol americano a ser realizado no ano. Durante a viagem eles decidem acampar à noite, planejando seguir adiante pela manhã. Um acidente com um motorista de caminhão assusta o grupo, que no dia seguinte descobre que o carro em que estavam foi danificado. Sem saída, eles aceitam uma carona até Ambrose, a cidade mais perto do local. Ao chegar chama a atenção do grupo a Casa de Cera de Trudy, a principal atração de Ambrose, que possui várias estátuas de cera bastante parecidas com pessoas de verdade. Porém o que eles não sabem é o motivo pelo qual as estátuas parecem tão reais.

Caso 39 (2009 )

Emily Jenkins (Renée Zellweger) é uma dedicada assistente social que está diante do caso 39, referente à garota Lilith Sullivan (Jodelle Ferland). Os pais de Lilith tentam feri-la, o que faz com que Emily intervenha. Encantada com a garota, Emily oferece que more com ela até que seja encontrada uma família adotiva. Só que há um mistério por trás da garota, já que todos que se aproximam dela aparentam enlouquecer.

 

A Última Casa da Rua ( 2012 )

Dispostas a conquistar uma nova vida, a jovem Elissa (Jennifer Lawrence) e sua mãe Sarah (Elisabeth Shue), que se separou recentemente, se mudam para uma grande casa em uma nova cidade. O negócio só foi possível porque o imóvel vizinho ao delas foi palco de um duplo assassinato e assim o aluguel ficou mais baixo. Mas tudo na vida tem um preço e quando Elissa começa a se relacionar com Ryan (Max Thieriot), o único sobrevivente da família assassinada, as coisas começam a mudar radicalmente, trazendo à tona problemas entre mãe e filha, além de conflitos com os vizinhos da região, que acabam envolvendo também a polícia local.

A Janela Secreta ( 2004 )

Mort Rainey (Johnny Depp) é um escritor em crise, que acaba de se separar de sua esposa (Maria Bello) após tê-la flagrado com outro homem. Mort decide se isolar em uma cabana à beira do lago Tashmore, em busca de tranquilidade. Porém lá aparece John Shooter (John Turturro), que começa a atormentá-lo ao acusá-lo seguidamente de plágio.

A Mulher de Preto ( 2012 )

Arthur Kipps (Daniel Radcliffe) foi enviado por seu escritório para regularizar os documentos de uma mansão abandonada, próximo a um vilarejo, cujas crianças morrem misteriosamente de tempos em tempos, sem que ele soubesse de nada disso. Quando começa a ter uma série de visões sinistras durante a execução de suas tarefas, inclusive uma de uma mulher vestida de preto, ele descobre que existe algo relacionado ao passado daquele local e decide investigar, provocando a ira dos moradores e a morte de mais vítimas. Agora, só o tempo para dizer se o seu instinto paternal irá ajudar a resolver esse perigoso e grande mistério.

Espíritos – A Morte está ao seu Lado  ( 2004 )

Thun (Ananda Everingham), um jovem fotógrafo, e sua namorada Jane (Natthaweeranuch Thongmee) atropelam acidentalmente uma pedestre. Eles fogem da cena do crime e retornam às suas vidas normais, em Bangkok. A partir de então Jane passa a ser atormentada por estranhos pesadelos, enquanto que Thun nota que em suas fotos aparecem estranhas figuras, parecidas com fantasmas. O casal decide investigar o fenômeno e encontra outras fotografias com imagens sobrenaturais. Paralelamente os melhores amigos de Thun começam a morrer, um a um, de forma misteriosa.

Espíritos 2 – Você nunca está Sozinho ( 2006 )

A jovem Pim (Masha Wattanapanich) mudou-se recentemente, da Tailândia para a Coréia. Lá ela pretende iniciar nova vida, ao lado de seu marido Vee (Vittaya Wasukraipaisan), por quem é apaixonada desde criança. Entretanto a doença de sua mãe os obriga a retornar à Tailândia, o que faz com que Pim se recorde da infância e de sua irmã gêmea e siamesa, Ploy (Masha Wattanapanich). Desde que voltou Pim tem a sensação de que sempre existe alguém ao seu lado, o que é confirmado com a revelação de um antigo segredo de família.

Psicose ( 1960 )

Marion Crane é uma secretária (Janet Leigh) que rouba 40 mil dólares da imobiliária onde trabalha para se casar e começar uma nova vida. Durante a fuga à carro, ela enfrenta uma forte tempestade, erra o caminho e chega em um velho hotel. O estabelecimento é administrado por um sujeito atencioso chamado Norman Bates (Anthony Perkins), que nutre um forte respeito e temor por sua mãe. Marion decide passar a noite no local, sem saber o perigo que a cerca.
 

Os Pássaros ( 1963 )

Melanie Daniels (Tippi Hedren) é uma bela e rica socialite que sempre vai atrás do que quer. Um dia ela conhece o advogado Mitch Brenner (Rod Taylor) em um pet shop e fica interessada nele. Após o encontro ela decide procurá-lo em sua cidade. Ela dirige por uma hora até a pacata cidade de Bodega Bay, na Califórnia, onde Mitch costuma passar os finais de semana. Entretanto, Melaine só não sabia que iria vivenciar algo assustador: milhares de pássaros se instalaram na localidade e começam a atacar as pessoas.

O Iluminado ( 1980 )

Durante o inverno, um homem (Jack Nicholson) contratado para ficar como vigia em um hotel no Colorado e vai para lá com a mulher (Shelley Duvall) e seu filho (Danny Lloyd). Porém, o contínuo isolamento começa a lhe causar problemas mentais sérios e ele vai se tornado cada vez mais agressivo e perigoso, ao mesmo tempo que seu filho passa a ter visões de acontecimentos ocorridos no passado, que também foram causados pelo isolamento excessivo.


Jogos Mortais ( 2004 )


Jigsaw é um assassino que possui uma marca registrada: ele deixa em suas vítimas uma cicatriz em forma de quebra-cabeças, que faz com que elas cometam atos igonizantes para se salvar. O detetive David Tapp (Danny Glover) é designado para investigar os assassinatos, bem como a capturar seu autor. Porém o caminho evasivo seguido por Jigsaw leva o detetive a desenvolver uma obsessão por capturá-lo.

23 de jan de 2014

Ideologia, eu quero uma pra viver...!

“Quando a mulher começa a ler, logo começa a pensar, a ter idéias...!”
Este é o pequeno discurso de Gastão para Bela, do desenho da Disney “A Bela e a Fera”.
Mas não é “perigo” apenas para as mulheres, homens, adolescentes, crianças também correm o risco de se tornarem seres pensantes, e, consequentemente, inquisitivos.
Aos poucos, vamos nos informando e desvendando em páginas de livros ou jornais que o mundo industrial não é um algodão doce como pintam as fontes econômicas mundo afora.
Em seus bastidores, temos trabalhadores confinados horas a fio, sem intervalos necessários para irem ao banheiro, sem uma alimentação saudável, sem uma garrafa de água ao lado para molharem sua garganta seca pela fuligem dos materiais fabricados.
Em 2012, uma senhora encontrou um bilhete dentro de um brinquedo made in China. Tratava-se de um apelo desesperado de um emprego que assinou como “escravo chinês”, nele havia denúncias de torturas físicas e psicológicas.
Em 1911, uma fábrica norte americana trancou as portas para evitar a saída das mulheres em sua maioria italianas e judias. A fábrica pegou fogo, com o bloqueio das saídas, cerca de 150 mulheres morreram.
Na Europa de 1840, mulheres davam ópio aos seus filhos por não terem com quem deixá-los, pois precisavam trabalhar.
Ano passado uma empresa sul coreana foi notícia no mundo por obrigar seus operários a utilizar fraldas, e com isso aumentar a produção, evitando idas ao banheiro.
E os exemplos não param por aqui...
Sabemos que as leis trabalhistas não eram interessantes para os donos das empresas, e as mesmas, até nos dias de hoje, possuem falhas. 
O capitalismo selvagem, desenfreado, que torna o homem inimigo do próprio homem. Que torna seu irmão sua caça, sua presa.
E aqueles que se mostram contra, morrem de fome em algum porão escondido, ou são presos por rebeldia.
Não sou contra o capitalismo, faço parte dele, somos parte dele, nós o construímos e o alimentamos.
Mas sou contra ao que ele se tornou: muitos fazem a fortuna, e poucos a usufruem.
Você observa a etiqueta de onde determinada peça de roupa foi fabricada, por um momento sente-se com peso na consciência, mas quando a veste... Ah...! Tudo compensa.
E, voltando à frase inicial do texto, as empresas não gostam de “colaboradores” que pensam, que incitam seus colegas a lutarem por seus ideais. Isso faz mal ao caixa da empresa. Um profissional que reconhece seu valor e começa a indagar seus superiores quanto posição, cargos, salários e direitos, faz coçar a cabeça dos diretores, e muitos são cortados com desculpas esfarrapadas. E, aquele que ajudou a empresa a crescer, e ter um recorde em seu lucro, naquele momento, não passa de uma simples matrícula.
O dia em que o povo trabalhador perceber o quanto é usado, que as lojas, as farmácias, as quitandas, os supermercados, as padarias, os shoppings, os restaurantes só possuem mercadorias + clientes = capital de giro graças, unicamente, ao seu esforço braçal, que sem ele o mundo para, pois não existiria capital algum para ser usufruído, ele se fará respeitar. 
O capitalismo selvagem é hoje a Hidra de Lerna do mundo moderno, e não acredito que Hércules conseguirá derrotá-la dessa vez.

15 de jan de 2014

Ser de lá...

Nasci no interior do mato
Chão batido, barro vermelho
Terra essa em que a lua guia nossos passos à noite
Poste de luz ainda é novidade
Apenas vaga-lumes dançando sob a lua 
Lá pelas tantas a mãe pede para que a gente leve a capelinha na casa do vizinho,
Conforme a ordem da lista de nomes fixada ao lado
Calçamos nossos chinelos cuja alça está presa com um pequeno prego
No caminho, ouvimos sons diversos
De rãs a cigarras, que entoam canções
Lá no interior o tempo passa mais devagar
As janelas ficam abertas, e o aroma de café feito no fogão à lenha se torna convidativo
A manteiga derrete na fatia de pão quente, recém saído do forno
O leite, tirado da vaca de estimação, borbulha na caneca de esmalte lascado
No inverno o pinhão salpica na chapa, enquanto o pai busca mais sapê para alimentar o fogo e espantar o frio
Os cachorros e gatos unem-se como nunca antes, e se aconchegam próximos ao fogo
Levantamos cedo, o assoalho de madeira range a cada passo para avisar que alguém se aproxima
Olhamos pela janela da cozinha, lá fora a grama branca de geada, camufla alguns marrecos que ainda não despertaram
No interior os vizinhos se cumprimentam, olham nos olhos, apertam as mãos,
Querem saber como você está, como anda sua família e o reumatismo de sua avó
Na terra em que eu nasci carros dividem a pista com ciclistas e cavaleiros montados em seus cavalos bem cuidados
As conversas entre pais e filhos duram mais tempo do que as novelas da TV
A rádio AM faz mais sucesso do que a FM
O shopping não resistiu, o teatro antigo virou o antigo cinema
A locadora do bairro vence os filmes baixados pela internet
O rio une duas cidades, tornando-as gêmeas
A Maria-Fumaça ainda vive nos trilhos
Os passarinhos despertam-nos pela manhã, avisando-nos que temos que ir trabalhar
Os cachorros, como bons amigos dos homens, são seus protetores e alertam contra perigos
Na terra de onde venho, a polícia é nossa amiga, e nos assiste
As crianças brincam de bola de gude nas ruas de areia e pedra, e os pais as vigiam nas calçadas enquanto tomam chimarrão, passando a cuia como num bom ritual sulista
Aqui na cidade vivemos como bichos aprisionados em nossas gaiolas de cimento
Com medo de outros homens, com medo de barulhos, com medo do escuro, com medo das sombras
Dormimos em camas box, camas grandes, camas cujos colchões são como nuvens, mas os sonhos são pesadelos acompanhados pelas sirenes, buzinas, som alto dos carros
Não há um bom prato de arroz, feijão e torresmo
Há pratos finos, requintados e sem gosto
Tornamo-nos robotizados
Sem tempo para uma conversa com amigos antigos, amigos que no interior ficaram
Com medo de um “bom dia”, um aperto de mão mais apertado, um perguntar “como você está?”
Um mundo diferente, um lugar distante da minha infância
E sigo calada, observando, com medo, trancafiada em minha jaula de cimento e tinta branca
A noite chega, o dia volta, e tudo segue num ritmo robotizado
As pessoas caminham à esmo, sem perspectiva de viver, apenas de enriquecer. 




11 de jan de 2014

Professora aposentada é presa em BH


Ontem ao acessar ao facebook, eu estava em um momento tranquilo, porém minha pulsação  se alterou ao ler a matéria sobre a prisão da professora aposentada , em Belo Horizonte. Como ficar imune a tanta maldade quando ela comanda a todo vapor, nascemos na crueldade do mundo e da vida, a sociedade é cruel. No mundo, ela tem uma maior intensidade na alma e, no espírito, e, que, pelo espírito, podem conceber a crueldade ou horrorizar-se com ela.
Hoje, percebo o quanto é aterrador vivermos em uma sociedade que aceita tranquilamente diversos tipos de maldades, pois o mundo está repleto de monstruosidades, as quais  deixam fluir  a qualquer momento que lhe seja favorável.
O homem em si, (a sociedade) possuidora de ódio, egoísmo e todos os tipos de emoções ruins agravam, aumentam  por todo lado e sem tréguas a crueldade do mundo “humano”.
Pura covardia por parte do pai que a denunciou, bem sabemos que “ A covardia é a mãe da crueldade”.Montaigne.
A ação de fazer o mal tem  limites, que nós, membros da sociedade podemos cessá-los ou simplesmente  deixá-los fluir.
E, o pior é que sempre há justificativas para atos cruéis. Talvez, o dito pai quisesse  se fazer notar, como dizem: ter seus quinze minutos de fama. Em nossos dias é normal cultuar heróis perversos, quanto mais bobagens fizerem mais prestígios ganharão. Infelizmente , é assim que acontece.
Nietzche  já  dizia:” Sem crueldade não há espetáculo”.
No início, de minha carreira no magistério eu lecionei no interior e, a escola que hoje passou a Colégio,  recebia todos os seus alunos em sala de aula, sem os   seus calçados , os quais ficavam do lado de fora. As salas brilhavam. Lembro de  não aceitar tal comportamento, porém os pais ( a maioria de agricultores ) diziam que eles já estavam acostumados  e traziam o hábito de casa.
Todos ficavam com os pés agasalhados  com meias , chinelos e até pequenas mantas.No final das aulas, nós professores, tínhamos que fazer a limpeza das salas , quando então éramos auxiliados por grande número de alunos, e faziam tudo com muito amor e alegria,pois não reclamavam , havia disputas para ajudar na limpeza das salas, pátios, cozinha e banheiros ( os quais eram fora, as conhecidas casinhas). Os pais eram nossos aliados e faziam questão de saber qual havia sido a colaboração de seus filhos.
Em outra escola ( Isolada) , antes da acima citada, eu era a única professora , onde a limpeza e merenda eram por minha conta. Lá contava também, com o auxílio dos alunos para tudo.
Claro que se fosse hoje, ah!!  Eu já estaria  presa . Nenhum aluno daqueles sofreu algum dano psicológico por varrer, tirar o pó, ajudar na cozinha ou levar lixo para queimar. Ao contrário são pessoas felizes que trazem consigo o prazer do dever cumprido. Até meus filhos sabem: sujou, limpou. Há algo errado em ensinar o que é correto?
Estou triste e, muito triste devido ao acontecido.
“Fala-se muito na crueldade e na bruteza do homem medievo, mas o homem moderno será melhor?“ Raquel de Queiroz
Precisamos repensar nossos valores, rever nossos modelos.

O texto que retirei do Facebook, na íntegra. Não encontrei site ou link para maiores informações. Caso haja mais detalhes, sintam-se à vontade para registrar aqui. Obrigada!




PROFESSORA DA REDE PÚBLICA É PRESA APÓS ENSINAR ALUNOS A NÃO SUJAR A ESCOLA

O fato ocorreu na escola estadual Professor Caetano Azeredo localizada na região centro-sul de Belo Horizonte.

A professora já aposentada instituiu um projeto em que voluntariamente os alunos ajudariam a limpar as pichações no interior da escola.

Era a segunda vez que o projeto era realizado e vinha apresentando excelentes resultados com uma redução considerável no número de pichações. Os próprios alunos participantes disseram que não iriam mais pichar, pois haviam percebido o quão era difícil a limpeza pelas faxineiras da escola.

Porem, nesta edição do projeto, um fato inusitado ocorreu: um pai denunciou a professora por exploração do trabalho infantil e, a mesma acabou sendo algemada e jogada dentro de uma viatura policial sendo levada presa para delegacia.

É isso mesmo uma idosa, excelente educadora, foi tratada como um marginal, pois estava cometendo o crime de formar cidadãos dignos. Enquanto isso, milhares de bandidos estavam livres e soltos matando e roubando.

Após o incidente os professores disseram estar desanimados de continuar com a profissão e a escola centenária corre risco de ser fechada por falta de profissionais.

O caso não saiu na imprensa sendo o relato dos professores de diretores a única fonte que pode ser confirmada ligando para a escola anteriormente citada.

7 de jan de 2014

O que terá acontecido a Belchior?

Ele nasceu em Sobral, no Ceará. Seu nome: Antônio Carlos Belchior Fontenelle Fernandes, ou apenas Belchior.
Aos 67 anos, após inúmeros sucessos musicais, Belchior mantém um enigma à sua volta.


Tudo começou em 2005, quando o artista conheceu Edna Assunção de Araújo, produtora cultural e militante de organizações de extrema-esquerda.
Eles se apaixonaram, iniciaram um namoro e Belchior terminou seu casamento de 35 anos com Ângela, mãe dos dois dos quatro filhos que o cantor tem.
Afastou-se dos amigos, deixou de fazer shows e, em 2009, desapareceu sem deixar rastros.
Nem os amigos mais próximos esperavam tal atitude. Ele abriu mão de todo seu patrimônio ( quadros, roupas, documentos, carros, apartamentos ), além da agenda de shows. O sumiço transformou Belchior em uma figura “cult”. A pergunta “Onde está Belchior?” ecoou na internet e teve repercussão internacional. Campanhas pedindo a volta do músico. Suas músicas que antes tinham cerca de cinco mil acessos, hoje ultrapassam 500 mil.  

Mas o sucesso virtual não trouxe nenhum benefício material ao cantor. Ele vive escondido em Porto Alegre com Edna, escondendo-se da polícia. Contra ele há dois mandatos de prisão pelo não pagamento de pensões alimentícias.

Além disso, Belchior abandonou todos os seus compromissos e não paga mais aos seus credores. O ex-secretário particular de Belchior, Célio Silva, ganhou um processo trabalhista contra ele no valor de R$ 1 milhão. Não há mais como recorrer. As contas de Belchior estão bloqueadas e os imóveis que tinha foram comprometidos. Sem dinheiro, ele já se abrigou numa instituição de caridade no Rio Grande do Sul e morou de favor na casa de fãs que nem conhecia.

O que intriga a todos, é que o cantor, aparentemente, não agiu movido por depressão, dívidas ou golpes publicitários, como todos acreditavam. Alguns amigos tentam justificar o comportamento do artista: “Edna não conseguiria sozinha virar a cabeça de alguém inteligente como Belchior. São dois sonhadores, juntaram suas utopias. Deixaram de acreditar neste mundo materialista, objetivo e mesquinho e partiram para um caminho de desapego”.
Belchior é um artista com vasta cultura, domina cinco idiomas, conhece filosofia e gosta de física quântica. Até os anos 2000, lançava em média um disco por ano. “Ele era uma máquina, chegava a fazer três shows por noite. Era uma pessoa completamente dedicada à carreira”, diz o parceiro e ex-sócio Jorge Mello.

Depois que conheceu Edna, Belchior percorreu uma trajetória descendente em que, aos poucos, se despojou de todos os bens e obrigações. No final de 2006, ainda com a carreira aquecida, pediu que o empresário Jackson Martins parasse de agendar novos shows. Pretendia passar um tempo se dedicando à pintura e à tradução do poema Divina comédia, de Dante Alighieri, para uma linguagem popular. No início do ano seguinte, deixou o apartamento em que vivia com Ângela, mas continuou morando em São Paulo com Edna, num flat alugado. Desde então, a família diz não ter mais notícias dele.
Belchior continuou em São Paulo até 2009, quando deixou o flat sem quitar os últimos meses de aluguel.  Na garagem, ele largou um segundo carro e, em seu apartamento ficaram roupas, rascunhos de música, cartões de crédito e o passaporte. Belchior também abandonou tudo na casa alugada onde funcionava seu escritório: coleção de quadros, discos, documentos e o computador onde estava parte da tradução da Divina comédia, projeto que lhe consumira três anos. 


Belchior e Edna perambularam durante todo esse período de hotel em hotel – várias vezes, sem pagar a conta. Amigos culpam Edna pela iniciativa. O primeiro hotel em que isso aconteceu foi o Gran Marquise, em Fortaleza. Os dois ficaram hospedados ali ainda em 2006. Saíram sem pagar dois meses de estadia, no valor de R$ 8 mil. Depois, repetiram a prática em pelo menos quatro locais. No Icaraí Praia Hotel, em Niterói, deixaram uma conta de R$ 4 mil. “Alguns funcionários tiveram de arcar com parte da dívida, já que permitiram que ele ficasse hospedado mais de uma semana sem pagar a conta”, diz o atual gerente, Germano Lopes. No Royal Jardins Boutique, em São Paulo, a conta pendurada foi de R$ 12 mil. “Eles deixaram um cheque caução, mas não tinha fundos”, diz Elly Shimasaki, gerente na ocasião.

O caso mais recente foi no hotel Cassino, na cidade de Artigas, no Uruguai, onde o casal se hospedou entre julho de 2011 e novembro de 2012. Os últimos meses ficaram sem pagamento, restando uma dívida de R$ 35 mil. Lá, Belchior deixou para trás roupas e um laptop. 


Em Porto Alegre, Belchior e Edna ficaram inicialmente hospedados num hotel simples no centro, pago com ajuda dos funcionários do Tribunal de Justiça, primeira porta em que o casal bateu quando chegou à capital gaúcha. Depois, foram abrigados no Centro Infanto juvenil Luiz Itamar, instituição de caridade na região metropolitana. Dali, foram levados ao advogado Aramis Nacif, ex-desembargador do Estado, que poderia ajudar Belchior com os processos. “Ele dizia que um agente apareceria, mas nunca apareceu”, diz Nacif. Durante um mês, o casal ficou abrigado na casa de praia do filho dele. “Eles não tinham dinheiro algum. Edna apresentava um sentimento de perseguição muito grande, parecia ter algum distúrbio psicológico”, diz. Foi nesse momento que Belchior conheceu o advogado Jorge Cabral, na casa de quem se hospedou por quatro meses.
Em julho deste ano, Cabral pediu que o casal saísse, dado que Belchior e Edna não davam sinal de acabar com aquela situação de total dependência.

Belchior foi visto pela última vez na entrada do prédio, um edifício moderno num bairro de classe média de Porto Alegre, em frente a uma avenida bastante movimentada. Carregava uma pequena mala nas mãos e material de pintura debaixo do braço. Estava, como sempre, ao lado de Edna.  

Informações fornecidas pelo site da revista Época – Marcelo Bortoloti.

Resolvi publicar esta informação pois estou inconformada. Temos perdidos tantos artistas maravilhosos ao longo dos anos, não sei se Belchior tem o direito de nos privar de seu brilhantismo desta forma... mas, talvez, ele tenha encontrado o que tanto buscava ao lado de Edna...
Por enquanto o que me resta é o alento de suas letras já gravadas e regravadas. E, ao ouvi-las, penso que, talvez, ele já estivesse dando seu recado há muito tempo, e hoje colocou-o em prática.


“... e no escritório em que eu trabalho, e fico rico, e quanto mais eu multiplico, diminui o meu amor”...

5 de jan de 2014

Singela Homenagem: Nelson Ned

Morre, aos 66 anos, o cantor Nelson Ned


  


Tudo Passará

Eu te dei meu amor
Por um dia
E depois sem querer te perdi
Não pensei que o amor / Existia
E também choraria por ti

Mas tudo passa tudo passará
E nada fica / Nada ficará
Só se encontra a felicidade
Quando se entrega o coração
Voltarei a querer / Algum dia
Hoje eu sei que não vou / Mais chorar
Se em mim já não há alegria

A esperança me ensina a gritar
Que tudo passa tudo passará