31 de dez de 2014

Feliz 2015!!

O Naco de Prosa agradece a todos os amigos e amigas que em 2014 estiveram juntos lendo ou comentando, ou lendo e comentando os textos publicados aqui. A parceria continuará em 2015, com novos textos, abordagens e curiosidades de nosso vasto mundo.
Aqui fica o desejo de paz, amor e união para todos, que 2015 brilhe e traga boas colheitas do plantio de 2014.



FELIZ ANO NOVO!!




22 de dez de 2014

... E UM FELIZ NATAL!!

Aos queridos amigos e amigas do blog Naco de Prosa, aos leitores, seguidores e aqueles que sempre deixam seu aroma, desejo um feliz e santo Natal. Que a paz de Jesus aconchegue todos os corações. Feliz Natal!!




O presente


Ela estava olhando fixamente pelo vidro da loja, crianças com seus pais olhando todos os tipos de brinquedos. Ela estava sozinha e do lado de fora da loja, pois sabia que vestida pobremente não a deixariam entrar, mesmo que fosse para olhar de longe. Lembrara que a mãe deveria estar preocupada pela sua demora. Ela saía todas as tardes para vender verduras pelas redondezas e sempre voltava com a cesta vazia, porém com uns mínimos trocados. Todos os dias depois da aula, a menina tinha a tarefa de ajudar em casa, pois os pais estavam passando por uma fase muito difícil.
A ajuda vinha dos avós, mas era para dar conta de tudo. 
Ela rodou sobre sobre os calcanhares e voltou para casa. Durante o trajeto, ela foi imaginando se poderia ganhar uma boneca, poderia ser a mais simples. Entrou em casa, sem dar chances de a mãe lhe questionar pela demora. 
- Mãe, se me der cestas de verduras, eu ganharei um pouco mais.
- Sim, minha filha, mas é cansativo para você.
- Sabe, mãe pensei em ajudar mais para você poder me dar uma boneca, pode até ser daquelas simples de pano, eu vi uma linda com trancinhas loiras.
A mãe sem saber o que fazer e não querendo magoar a menina, concordou, mesmo sabendo que os poucos trocados a mais não seriam suficientes para o presente. E também, havia a irmãzinha, como fazer?
No dia seguinte, a menina com duas cestas repletas de verduras, saiu com mais alegria, pois pensava na boneca que iria ganhar. O sol forte não a preocupava mais, estava feliz. Todos os dias, no final da tarde ela contava o dinheiro da segunda cesta, percebia com tristeza que era pouco ainda, mas continuava firme em seu propósito. Certa tarde, ela resolveu perguntar o preço da tal boneca, o vendedor foi gentil e lhe disse o preço, porém para ela pouco importava se era um preço alto ou não. Tinha certeza de que a boneca seria sua. Faltavam poucos dias para o Natal. Ela sabia desde muito novinha que era o aniversário de Jesus Cristo. Na véspera de Natal, a família se reunia para agradecer as bênçãos recebidas, e em seguida a avó dava a cada criança um pacote de bolachas que ela fazia, que eram enfeitadas com açúcar de cor. 
A mãe percebeu a filha sonhando acordada e lhe chamou:
- Filha, em que está pensando?
- Ah! mãe no Natal que se aproxima. 
- Filha o Natal é o dia que celebramos a festa do menino Jesus.
- Eu sei, mãe, mas neste Natal será diferente.
A mãe sem saber o que dizer, calou-se. 
À noitinha, quando o pai chegou do serviço, ela ouviu a mãe falar com ele. 
- Não sei como vamos dizer a ela, que não ganhará a boneca tão sonhada, pois usamos o pouco que rendeu da venda de verdura para arrumar sua bicicleta que você usa para o trabalho. 
A menina ouviu tudo e se calou, foi para cama, triste, mas no dia seguinte seguiu com as duas cestas de verdura.
No dia do Natal, sua mãe estava com dois pacotinhos de beijo-baiano ( um tipo de bolacha dura, coberta de chocolate ).
Os pais esperaram a reação da menina por não ter a boneca tão sonhada. Ela porém surpreendeu a todos.
- Pai, mãe, vô, vó, vamos nos dar as mãos e agradecer a Jesus por termos saúde, paz e uma família maravilhosa. 

13 de dez de 2014

Dica de filme: Planeta dos macacos, o confronto




A dica de filme do Naco de Prosa para este final de semana traz para vocês, meus amigos, um mundo em que o conflito entre homens e animais traz à tona a semelhança e a diferença que temos.
Planeta dos macacos, o confronto, é a sequência muito bem editada, diga-se de passagem, do filme Planeta dos Macacos, a origem, readaptação do clássico de 68.
As mais de duas horas de filme são recompensadas a cada tomada, a cada interpretação, a cada fala ou em cada confronto eletrizante. Não falo aqui apenas de confrontos físicos mas, também, psicológicos, principalmente no que diz respeito ao telespectador.
Sim, meus amigos, o tema abordado neste filme, como o anterior, faz-nos pensar no que estamos fazendo, em como estamos nos tratando e onde está o respeito com o nosso semelhante. Até onde somos capazes de ir e sobre quem somos capazes de passar levados pela ganância.
Não vou lhes contar detalhes desta obra prima da sétima arte, embora meus dedos cocem para que eu o faça, mas acrescento uma pequena resenha: planeta dos macacos, o confronto, traz para nós os dois lados que temos conflitantes dentro de nós, que talvez não sejamos mesmo tão parecidos assim com estes primatas que, durante o filme, mostram ser mais evoluídos do que nós.

O filme terá sequência, posso adiantar a vocês, a qual espero ansiosa. 

8 de dez de 2014

A crueldade mora ao lado

O que fazer? Estou perdendo a fé na humanidade, é claro que penso que a maioria é composta por gente de boa índole. Mas percebo que há muita maldade ao nosso redor, crueldade é o termo certo. Será que estas pessoas são do mesmo grupo que ama, que acolhe, que acredita  em Jesus ?
Não devem ter o mesmo Deus que nós temos e que tiveram os nossos pais. Não consigo entender, peço ajuda a vocês meus queridos amigos, podem me explicar se o que sinto vocês sentem ou já sentiram? Temos que melhorar nosso espírito a cada dia, mais e mais, porém há àqueles que nos fazem sofrer literalmente. Temos que fugir dos noticiários, mas também precisamos de alguma informação.Não basta apenas desligar a TV. Parece insuportável ver e saber que é verdade, "mães","pais" maltratando, torturando os próprios filhos, acabei de ver um pai dando cebola para uma criança quase bebê, dizendo que era maçã, parece pouco, mas filmaram e quase ficaram sem fôlego de tanto rir.Presenciei ( não me omiti) o pai dando golinhos de cachaça ao bebezinho para que ele parasse de chorar.Penso que você, que está me lendo, deve estar se perguntando :- o que vamos fazer com tanta maldade? Ou com estas pessoas que o fazem?
Também não sei.
A crueldade parece estar crescendo sempre mais, em relação aos animais, às crianças, aos idosos, aos indefesos.
Acabei de ver pelo face, um cãozinho sendo esmagado pelo dono, só para ver a reação do bichinho. Chorei...
Será que Nietzsche tem razão quando disse:-" A maldade é um dos prazeres mais antigos da espécie humana".
Penso que são doentes mentais, só pode, pois torturar e matar quem não pode se defender, deve ter um nome e bem feio.
Nós possuímos a razão humana, porém muitos  não a usam, já que são eles que torturam e matam o outro ser.
Estou muitíssimo triste, já me disseram:- ora! desligue a TV e pronto, mas quem consegue fechar os ouvido e o coração para tudo isso?
Eu já tentei e até me senti covarde com esta atitude de não querer ver e não sentir. Penso que estamos aqui, para ajudar aos mais fracos.
O que fazer com as guerras, decapitações estão se transformando em shows, até parece-se com algumas tribos que estavam aqui antes de nós. Quem sabe eles estão voltando.
Como diz o Datena;" Me ajuda aí".




A existência de Deus

Antoine de Saint-Exupéry, notável escritor que se notabilizou pela sua grande paixão à aviação, sendo destacado para fazer a linha comerc...