24 de mar de 2015

Homenagem aos 125 anos de União da Vitória - PR

Ode a União da Vitória


União da Vitória, cidade onde nasci,
Festejamos 125 anos junto a ti.
Cidade sem praia ou mar,
Com cachoeiras imensas,
Com um rio caudaloso
Que parece virar prata,
Que embora belo, também chora.
Quando se sente ansioso transborda...
Tua marca também é o pinheiro
Que é o símbolo do Paraná
Como o pinhão plantado pela gralha azul
Aqui minhas raízes foram fincadas
Pelos trilhos é cortada
Porém não sente dor
Porque é muito amada
Tua catedral, uma mansão de luz
Onde teus fieis vão em busca de paz.
Espreita em silêncio a praça que fica à tua frente
A qual guarda os segredos
Do povo que por ela passa
Estou um pouco em tudo
Que faz parte de ti
No céu que te cobre
No sol que te aquece
No rio que te sacia
No povo que te ama
Mas também estou
Nos lenhadores,
Nos estudantes,
Nas pessoas pobres,
Nos abandonados,
Nos professores,
Nos que salvam,
Nos que rezam e também nos ingratos
Estou em ti,

Querida cidade de União da Vitória.

15 de mar de 2015

Luto: Gêmeas do Iguaçu

Alguns de vocês eu não cheguei a conhecer, mas muitos eu conhecia, vizinhos em ruas próximas, outros eu troquei acenos e abraços pelas ruas das cidades irmãs. Hoje o céu ficou cinza, a sensação é estranha. Não perdi nenhum parente ou amigo próximo neste acidente, mas as pessoas que foram embora, levaram consigo um pedaço meu. Hoje estou triste. Algumas fotos vão aparecendo no face, vejo ali sorrisos e olhares serenos. Todos com expectativas e anseios que neste sábado foram podados. Deus sabe a hora de agir, não cabe a nós julgarmos. Apenas rezo e peço para que todos encontrem o caminho de luz e descansem em paz. Na certeza, de que ficarão bem e amparando a quem aqui ficou. A dor é pungente.

Homenagem do Blog Naco de Prosa às vítimas do acidente ocorrido neste sábado, 14 de Março, na Serra Dona Francisca, Santa Catarina. 




9 de mar de 2015

Singela Homenagem: Inezita Barroso


Ela partiu num domingo, 8 de março, Dia Internacional da Mulher. Talvez não tenha sido apenas uma coincidência essa grande mulher despedir-se de nós em um dia cujo foco é voltado à mulher, à força, à coragem, à competência...
Dona de uma das vozes mais lindas do meio sertanejo, respeitada, aclamada e aplaudida por todos. Inezita Barroso fez história, deixou um legado e uma legião de fãs, de todas as idades.
Defensora do sertanejo raiz, seu programa era palco de cantores renomados ou não, mas nem por isso com menos valor. Seu programa era uma das poucas garantias de que o sertanejo puro, simples, do mato, da raiz, continuaria sendo perpetuado pela TV. Hoje, não sei mais como será. Não há outra Inezita. 
Vai com Deus, grande mulher!

8 de mar de 2015

Dia Internacional da Mulher

Apenas Mulher - Pelo dia Internacional da Mulher


 Sabemos que as mídias, imprensa falada e escrita, irão registrar muitos temas sobre “MULHER”, porém em todos os escritos haverá um ponto em comum: a ideia da mudança.
Infelizmente, não há receitas prontas a serem seguidas para que haja 100% de acertos.
Ainda existe a angústia da mulher que se percebe viva, mas, às vezes vive na morte espiritual. E, nós mulheres precisamos descobrir todas as possibilidades de viver bem, de descobrir a nossa essência e, para isso há a necessidade de percorrer todo o caminho.
- Será que todas as mulheres têm acesso ao caminho almejado?
Sabemos que há muitas rotas, as quais levam ao destino proposto de “SER MULHER”. Quem sabe, como definiu Carl Gustav  Jung:
“  ..uma rota só, entrecruzada por todas as demais.”
Hoje, em pleno século XXI, mulheres que não conseguem ”SER”.
Muito já caminhamos, porém a situação da mulher está aquém do que esperávamos que estivesse hoje. Sabemos que nem sempre foi assim, foi pior.
Ainda vivemos muito, as amarras do passado, sempre desejando mudanças para um futuro próximo. Ela ainda hoje, tem muitos deveres e poucos direitos, pois vive a diferença que se faz entre ser mulher.
Há esperança de que mesmo a passos lentos, as mudanças para melhor vão acontecendo, pois as coisas acabam somente quando não há mais esperança – e todos sabemos que ela é a última que morre.
A vida deve ser vivida em todos os seus momentos por que toda a vida não vivida ficará latejando infiltrada em todo o ser e invivida por toda a eternidade. Viver sim, mas uma vida que valha a pena.

E ser Mulher é ter valor para o mundo. 

2 de mar de 2015

Ode ao Capitão Kirk, primeiro oficial aviador .

Ontem, domingo, primeiro de março de 2015, foi realizada em nome da aviação do Exército Brasileiro, uma homenagem, ao patrono, capitão João Ricardo kirk pela passagem de cem anos de sua morte.
Ele nasceu na cidade de Campos Goitacazes, no Rio de Janeiro, no ano de 1874. Foi o primeiro oficial aviador do Exército Brasileiro.Declarado Alferes ao terminar a Escola Militar, em 1891, e capitão post - mortem, em 1915.
Um dos primeiros oficiais a brevetar-se na França, na Escola de Aviação d' Etampes em 22 de outubro de 1912, após 6 anos do histórico voo do 14 bis.
Regressando ao Brasil, o tenente Ricardo Kirk, além das atribuições militares na Escola de Aviação do Exército , contribuiu com a Aviação Civil como Diretor Técnico e instrutor de voo, do Aeroclube Brasileiro.
Marco com busto do Capitão Kirk.
Por ocasião dos conflitos gerados na região do Contestado, no acerto dos limites entre Paraná e Santa Catarina, Kirk foi designado para apoiar com a aviação as operações de reconhecimento da região. Substituiria a tropa de cavalaria devido às dificuldades então existentes no terreno.
Caberia a ele, inaugurar nas Américas o emprego da Aviação em operações de combate.
Em 19 de setembro, de 1914 partiu do Rio de Janeiro, via ferroviária com destino a União da Vitória.
Era seu companheiro, o piloto italiano Ernesto Darioli. Eram cinco aviões cedidos pelo Aeroclube Brasileiro, dois foram destruídos por um incêndio, causados por fagulhas da locomotiva.
Em União da Vitória, com o apoio do Coronel Amazonas, Kirk iniciou a construção de um hangar e pista de pouso.
Do primeiro voo de treinamento, em 4 de janeiro de 1915, os pilotos relataram dificuldades causadas por ventos fortes, nebulosidade e frio intenso.
Uma região montanhosa coberta por mata fechada dificultava a localização dos focos de revoltosos. No dia primeiro de março, data escolhida pelo General Setembrino de Carvalho para chegarem a Santa Maria, Darioli pilotando o " Guarani", mesmo orientado por panos brancos colocados nas copas de alguns pinheiros, inesperadamente, viu-se desorientado e com o motor falhando. Com auxílio da bússola retornou a União da Vitória, porém Ricardo Kirk prosseguiu na missão, pilotando o avião 
"Iguaçu".
Acredita-se que tentando pousar no antigo Caminho das Tropas, na estrada de Palmas, próximo à Colônia de General Carneiro, bateu com a asa na copa de um pinheiro e foi arremessado para fora do aparelho.
Perdia o Exército Brasileiro o seu melhor piloto e dirigente pessoal de construção de outros campos de aviação, como o de Rio Negro e Canoinhas.
Um morador da região, senhor Ricardo Pohl, prestou a primeira homenagem ao aviador, colocando dois dormentes em forma de cruz e escreveu com a ponta de uma faca;" Aqui faleceu de desastre o aviador Ricardo Kirk, 1º de março de 1915".
Seu corpo foi transportado em carroça pelo senhor Miguel Chaicoski até a igreja Matriz de União da Vitória, hoje Porto União, e daí para o Cemitério do mesmo local.
Em outubro de 1943 os restos mortais de Ricardo Kirk foram transladados para o Rio de Janeiro, onde repousa no Mausoléu do Cemitério São João Batista. Também, no Rio de Janeiro, no campo dos Afonsos, em sua homenagem, uma das colinas no vértice nordeste do campo de pouso, recebeu o seu nome.
Nos jardins do Cemitério Municipal de Porto União, local onde seus restos mortais repousaram desde 03 de março de 1915 até outubro de 1943, a Prefeitura Municipal de Porto União e a Academia de Letras do Vale do Iguaçu construíram um Marco contendo placa alusiva à sua missão no Contestado.



Este texto me foi permitido publicar com algumas pequenas mudanças, pela professora Therezinha Wolff, a qual também retirou dados do livro" Pegadas Amigas".(2007)  

A homenagem aconteceu no próprio local do acidente.

Criticar ou não criticar?

Às vezes o que precisamos é apenas um filme que nos traga algo de bom. E esses dias eu estava a procura de algo bom, delicado e encontrei...