7 de fev de 2018

Somos Intolerantes




Ontem em uma roda de conversa boa, o assunto foi sobre sentimentos, alguns ruins, que nos causam mal, e o maior deles, o ódio. E acabamos falando sobre uma palestra, com o tema “Intolerância”, a qual foi proferida por Haroldo Dutra Dias, ele é juiz de direito do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, escritor, tradutor, e conferencista brasileiro.
 Há muita intolerância hodiernamente, tudo se torna intolerante a nós, e
infelizmente, ainda somos estimulados a ter ódio, o assunto da conversa tomou um rumo muito interessante, pois acabamos lembrando de fatos de famílias que foram destruídas devido ao ódio reinante por muitas gerações.
Nelson Mandela já dizia:
Ninguém nasce a odiar outra pessoa devido à cor da sua pele, ao seu passado ou religião. As pessoas aprendem a odiar, e, se o podem fazer, também podem ser ensinadas a amar, porque o amor é mais natural no coração humano do que o seu oposto.
A única voz que o orgulho respeita é a humildade, para a violência, a paz e a brandura.
O ódio nunca ouve o ódio, e para acabar com a intolerância é muito mais fácil  exterminá-la nos outros, pois a nossa própria intolerância nos parece invisível. Atualmente, em qualquer lugar ou em qualquer roda de amigos, se você não tiver ódio de algum político, iniciativa política, ou de alguma pessoa bem sucedida, fica mais difícil de entrar nesta roda. Até parece que é chique ter ódio em algum momento de nossa vida.
Será que o ódio nos dará oportunidade de mudarmos para melhor, fazermos nova política, um novo país? Sentimos ódio por gênero, por pessoas de cor, por falta de conhecimentos, por falta de bens materiais, enfim, execramos o nosso próximo por ele ser apenas diferente de nós.
Precisamos estar vigilantes e mensurar o nosso grau de intolerância. Todos temos escolha, temos que respeitar a maneira de como o outro vive. Amar é respeitar o outro, o nosso próximo. Alguém disse:
-Mas se eu não concordar com o outro?
Basta respeitá-lo, não precisamos concordar com as atitudes dele, pois podemos nos posicionar quanto ao certo ou errado, porém sem ódio, seguindo os ensinamentos de Jesus, que nunca agiu com ódio. Vivemos tempos obscuros, o valor de uma vida é pequeno ou inexiste, a política um caos, a integridade física desmerecida, enquanto que a intolerância e o ódio estão sendo disseminados ao nosso redor.
Falta-nos o ato de nos colocar no lugar do outro, pois rir, aplaudir, acusar é mais fácil que parar para refletir que muitas vezes nos igualamos aos que acusam, ou aos que destilam o ódio através de palavras ou ações. O respeito constrói a paz, constrói o novo.
“Se a sociedade está doente, é porque nós estamos”. Jamais, em todo o mundo, o ódio acabou com o ódio; o que acaba com o ódio é amor.


“Nenhuma qualidade humana é mais intolerável do que a intolerância.”

21 comentários:

  1. Texto brilhante! Parabéns


    beijinhos

    ResponderExcluir
  2. Infelizmente ao existe muita intolerância e até ... racismo.
    .
    * Exultação de um amor intenso *
    .
    Votos de um dia feliz

    ResponderExcluir
  3. Regra geral somos tolerantes quando as coisas nos interessam
    .
    -- São teus olhos ... o Bálsamo dos Meus --
    .
    Abraço e beijinho.

    ResponderExcluir
  4. Cadê você, criança, de cujas
    pegadas já não encontro?

    Quero notícias suas e se boas,
    diga-as agora, mas se não
    forem tão boas assim, diga-as
    mais rápido ainda.

    Beijos e beijos.

    silvioafonso



    .

    ResponderExcluir
  5. Somos, querida Marli, somos, tal como você afirma no título de seu excelente post. Acredita, que não sei se é algo genético ou se é a sociedade, que nos faz ser, desse jeito?

    Essas palestras são mto interessantes e importantes, pke nós nos questionamos e enqto estamos todos juntos, isso nos engrandece e coloca o cérebro e o coração da gente funcionado.

    Somos mto imperfeitos, como seres humanos, enfim, uns melhores ou piores que outros, mas creio não haver ninguém isento dessa tal intolerância e ódio de k você fala no texto e eu não entendo as razões. Evidente que se nos molestarem, grandemente, nós ficamos raivados, mas como não ficar? A política e a insegurança no seu país têm causas e algumas bem profundas. A parte económica e social é a grande causadora desse clima de terror, ódio e intolerância.

    Creio que, tal como Jean Jacques Rousseau afirmava, o Homem nasce naturalmente bom e depois é a sociedade que o estraga, que o corrompe. Não sei se haverá remédio para atitudes intolerantes, mas façamos, pelo menos, um esforço no sentido de uma melhoria de caráter.

    Teus textos, como sempre, mto bem escritos e oportunos. Parabéns, senhora escritora!

    Grata por sua visita e palavras lá deixadas. Novo post, no fim de semana, assim o creio.

    Beijos e um amicíssimo abraço, querida amiga!

    ResponderExcluir
  6. Esqueci de falar de um "coisinha". A imagem escolhida para seu post está perfeita, infelizmente. Esmagar o outro é o objetivo, o péssimo objetivo dessa sociedade.

    Beijinho e um resto de dia bem feliz e tolerante.

    ResponderExcluir
  7. Aplausos.Tema importante e tão vivido por todos nós..Ficou verdadeiro e lindo! bjs, chica

    ResponderExcluir
  8. Olá, Marli.
    Gostei como você colocou o tema sobre o bem e o mal nesta sua bela crônica, que me fez fazer um retorno ao passado, vendo de lá até o presente, com as lembranças de tanta gente boa que conheci, com muitas fiz amizade, mas, por outro lado, com pessoas maldosas que me levavam a ter muito cuidado com elas. Este é um tema, você sabe, muito bem explorado pela filosofia. Parabéns.
    Um grande abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
  9. As opiniões são tão divergentes né, temos que ter paciência e entendimento para não julgar errado, e assim não gerar mais ódio! Sábio texto, amiga, beijos

    ResponderExcluir
  10. É uma pena essa falta de amor ao próximo, a falta desse olhar com respeito e com a generosidade. Que possamos fazer o nosso melhor no nosso círculo e com as pessoas ao nosso redor para que possamos "contaminar" cada vez mais o mundo! ;)

    beijos!

    https://ludantasmusica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Amei seu post,amiga!
    Realmente a intolerância tem reinado em nossa civilização!
    Só amor mesmo pode ser mais forte e reverter esse sentimento, eu vivo o Amor, sou movida por ele, mas ainda percebo que a humanidade vive sempre com necessidade de "poder" e a vida passa a ser uma guerra constante, movida pelo ódio.
    Somos avaliados pelo que possuímos de material, mas o que somos como seres humanos não importa!
    Bjos e bom feriado!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  12. Olá, querida Marli, a intolerância manda no mundo atual. Muito boa tua crônica, retrato fiel da realidade. a obra é fantástica, cruzes, desperta muita coisa...
    Beijo, querida, um bom carnaval, nós aqui vamos descansar! rs bem longe do festerê...

    ResponderExcluir
  13. Marli
    A intolerância, segundo penso, pelo que noto, é filha da mediocredidade. As pessoas inteligentes percebem melhor que, a humanidade é composta por inúmeras formas de pensar. Até entre familiares próximos, há modos diferentes de ver as coisas. Neste particular a vida sempre precisará de ser vivida com humanismo. Como sempre, bela e bem ponderada crónica que apreciei.
    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Minha querida Amiga, que texto fantástico para reflexão. Há realmente nos dias que passam tanta intolerância que chega a ser inquietante...
    Surpreendente, a imagem.
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  15. Bem que você disse, Marli: as postagens são, realmente, complementares. Muito Bom post, amiga; boa semana!

    ResponderExcluir
  16. A intolerância é um sentimento que nos é inculcado pelos mais diversos meios, incluindo o da comunicação social e da sociedade em geral (se não fosse isso não haveria terrorismo, por exemplo).
    Um tema interessante, que dá pano para mangas e que representa um grave problema social nos dias que correm.
    Bom fim de semana, amiga Marli.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  17. Aguardo o próximo post, Marli; boa semana!

    ResponderExcluir
  18. Deixemos o Eistein e suas teorias quando o tempo é para nós mortais humanos!
    Se bem que o passado passou e o futuro virá, então, vivamos o aqui e agora, mas vivamos, no amor, no saber, na benevolência... vivamos a vida! Grande abraço. Laerte.

    ResponderExcluir

Cérebro Reptiliano

      Um professor fez a introdução de sua aula com a apresentação de um vídeo, mostrando aos seus alunos quanto valor nós damos ao dra...