15 de mai. de 2021

Um excelente contador de causos

  

Imagem Google

 

Em outros tempos era comum as pessoas se reunirem para uma boa prosa, um bom papo, uma boa conversa, um assunto agradável entre duas ou mais pessoas. O bom é sabermos que ainda temos excelentes prosadores.

Há muitos nomes, mas vamos nos concentrar em falar ou escrever sobre Rolando Boldrin, inclusive foi um pedido de uma pessoa muito querida, não pude recusar. Além do mais, Boldrin é um artista muito benquisto, e também porque não dizer que é um dos maiores contadores de causos, que são histórias bem narradas e muito interessantes, os quais na maioria das vezes nos passam grande ensinamentos.

Boldrin tem 84 anos de idade e 62 anos de carreira, ele movimenta-se por diversos caminhos da cultura e formas artísticas. Por isso, sua vida foi e continua sendo opulenta de grandes histórias, e jamais lhe faltou disposição para consagrar-se em outras alternativas de trabalho, abrindo sempre oportunidade para a cultura do nosso país.

São incontáveis os amigos que possui. Um deles, Dito Preto que partiu antes do combinado como costuma falar Boldrin e afirma, que desde a infância, Dito Preto ainda lhe rende excelentes causos.

Rolando Boldrin recebeu um convite dos jornalistas Corrêa e Taira para contar em um livro toda a sua saga de vida, o qual aceitou rapidamente, trabalhavam na TV Cultura, onde Boldrin apresenta hoje o programa SR. Brasil.

Como ele mesmo citou: Um livro é pouco.

Ele é um ícone da música caipira, raiz de nosso país, um seleto contador de causos, os quais nos são passados de geração a geração. Não há como negar que Boldrin é um aparecimento forte de representação do Brasil caboclo da zona rural, identidades do interior e arredores das grandes cidades. Uma cultura chacinada pela indústria e pelos interesses do “mainstrean” (A tradução literal de mainstream é "corrente principal" ou "fluxo principal).

Rolando Boldrin nasceu na cidade interiorana de São Joaquim da Barra, no estado de São Paulo. Sétimo filho de uma família com 12 crianças. Desde pequeno, já tocava viola. Aos doze anos de idade, começou uma empreitada musical com o seu irmão, formando a dupla Boy e Formiga, que era bem sucedida na rádio do município.

Quando completou dezesseis anos, devido a incentivos por parte de seu pai, ele foi para a capital São Paulo, de carona em um caminhão. Lá, exerceu diversas atividades antes de conquistar a carreira de cantor, foi sapateiro, frentista, carregador, garçom e ajudante de farmacêutico. Serviu o exército, aos dezoito anos, em Quitaúna e, apenas nos anos seguintes dedicou-se à atividade musical.

Estreou na música, em 1960, como participante do disco de sua futura esposa, que se tornou sua produtora na época, Lurdinha Pereira. Em 1974, lançou seu primeiro disco solo, pela Continental, O Cantadô.

Teve uma grande experiência como ator de teleteatros da TV Tupi, entre o final da década de 50 e começo da de 60, ao lado de vários nomes como Lima Duarte, Laura Cardoso, Dionísio Azevedo e outros. Atuou em diversas novelas das TVs Record, Tupi e Bandeirantes (em aproximadamente 30 novelas). Como apresentador de televisão, na década de 80, esteve à frente dos programas Som Brasil, (TV Globo), Empório Brasileiro (TV Bandeirantes) e Empório Brasil (SBT). Atualmente apresenta o programa Sr. Brasil, pela TV Cultura de São Paulo. Após atuar como Pedro Melo em O Tronco (1999), filme baseado no romance homônimo do escritor goiano Bernardo Élis, recebeu o prêmio de melhor ator coadjuvante no Festival de Brasília.

“Brinco que sou o encarregado de encantar o Brasil. O projeto é tão importante para mim que ele se sobrepõe à minha imagem”.

“Toda a irreverência de Rolando Boldrin é trazida em seus causos, contados por meio da linguagem simples e pura, tipicamente popular. Com bom humor, o apresentador encanta os telespectadores com histórias que mostram um pouco da cultura do país”.

Estrofe da música “Vide Vida Marvada”

“Diz que eu rumino

Desde menininho

Fraco e mirradinho

A ração da estrada

Vou mastigando o

Mundo e ruminando

E assim vou tocando

Essa vida marvada

É que a viola fala alto

No meu peito humano

E toda moda é um remédio

Pros meus desenganos”.  

13 comentários:

  1. Acredito que seja um bom orador e muito agradável de ouvir.
    .
    Um domingo feliz … Abraço.
    .
    Pensamentos e Devaneios Poéticos
    .

    ResponderExcluir
  2. Excelente leitura! Obrigada pela partilha!:)

    -
    É preciso acreditar, para vencer
    -
    Beijos e um excelente Domingo.

    ResponderExcluir
  3. Rolando Boldrin, um ícone da cultura brasileira que nos encanta com a sua riqueza de causos e sua música
    Uma leitura espetacular Marli
    Uma semana abençoada
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  4. Que bem lembrado! Ele é o máximo,adoro !Com simplicidade, desenrola a vida... Linda semana! beijos, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  5. Olá, minha querida Marli! Como está você e sua família?
    Olha, adoro esse artista, e uma coisa fortíssima nele que emociona, é a poesia, declama lindamente, emociona!
    Adorei ler sobre ele, que bom que você postou um pouco dele.
    Uma feliz semana, amiga, estou com saudades! Mas você está ainda pra fora? Sei, tem o problema da Internet... que chato isso, ne?
    Um beijinho!

    ResponderExcluir
  6. Gostei de ler sobre Rolando Boldrin. Deve ser um gosto ouvir esse bom narrador.
    Uma boa semana com muita saúde.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Olá, amiga Marli, Boldrin é um artista da melhor qualidade, e que certamente faz jus a esse trabalho tão bem feito por você.
    Não faz muito tempo Boldrin foi entrevistado pelos integrantes convidados do Roda Viva, na TV Cultura, canal 9 - SP. Ele compareceu com a esposa, apresentou-a aos que estavam presentes, depois ela retirou-se para que fosse iniciada a entrevista. O apresentador do Roda Viva, que agora me foge o nome, escreveu a biografia do Boldrin, que pelo visto parece ser uma obra importante e quero compra-la brevemente, pois admiro como contador de Histórias, entrevistador, apresentador do programa Brasil, que prestigia nossos cantores, compositores e poetas.
    Parabéns, amiga Marli, pela ótima postagem
    Uma boa semana,
    Abraços.

    ResponderExcluir
  8. Também gosto desse cara
    Que tem a cara do povo
    Brasileiro antigo. E o novo
    Deve aprender tudo, para
    Transmitir tradição cara
    À cultura, aos citadinos
    De aculturados ensinos,
    Cultuar ela, já rara.

    Belíssimo texto, querida amiga! Gosto do Boldrin. Assistia sempre o seu programa na saudosa emissora do Governo de São Paulo, Cultura, que agora e cultura deve ter apenas as folhagem cultivadas por seus integrantes. Boldrin tem a alma do povo caipira tão linda e rica. Lembro Inezita Barroso... A marvada pinga não dá de esquecer. E os poemas caipiras do Boldrin... Parabéns! Abraço fraterno. Laerte.

    ResponderExcluir
  9. Oi, Teresinha!

    Que é feito de você? Tudo bem e com saúde por aí? Há tanto tempo que a não encontro na blogosfera!

    Não conheço nem o nome desse contador de histórias, mas de acordo com seu post é um homem com valor e muito amado pelos brasileiros e não só.

    Beijos e bom domingo.

    ResponderExcluir
  10. Maria, será desta que não voltaremos a perder-nós? Não conseguia que os comentários ficassem. .
    Gostei deste grande Senhor das letras que sabe ler o outro lado das gentes e falar a sua linguagem
    Um grande beijinho

    ResponderExcluir
  11. Olá, querida amiga Marli!
    Gosto dele, como declama e escreve.
    Uma moda de viola acalma bem sobretudo nestes tempos difíceis.
    Tenha dias abençoados!
    Beijinhos carinhosos e fraternos de paz e bem

    ResponderExcluir
  12. Nunca tinha ouvido falar.

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderExcluir

Origem da palavra OK

  Imagem Google Conhecemos várias palavras que devido ao seu uso foram incorporadas no idioma formal. Algumas palavras em inglês que o b...