Apreciadores de Um Naco de Prosa

21 de mai de 2013

Recordações

             Recordar para viver

Passo por caminhos conhecidos,lembro aquele tronco onde me sentava ao sol,com meu vestidinho florido,muito lindo e colorido,olhava para o céu com meus olhinhos cheios de inocência, mas já entendendo a importância daquele momento de solidão.

 
Não me cansava de admirar o céu encontrando-se com o horizonte,o rio cantando suavemente, serpenteava com suas águas abrindo caminho indelével pelas matas.Eu adorava ficar ali, molhando meus pés, esquecia-me do tempo....
Emocionava-me ao ver meus pais, moços ainda,gerenciando a minha  família. Meus avós, felizes por dar guarida a seus filhos e netos, em sua pequena fazenda.
Eu com minha pouca idade já sentia tristeza ao pensar que os anos passariam e que em pouco tempo tudo mudaria pois,a vida não é eterna. Hoje,volto a lembrança àquele tempo que trago vivo na mente e sinto não ter podido segurá-lo só para mim.
Aquele mesmo espaço continua lá, mas as pessoas não. O tronco continua naquela relva macia, o rio no seu curso serpenteando vai ao encontro do firmamento azul...
Mas ...a menininha de vestido colorido se foi também.Não sei para onde ela foi.Tentei encontrá-la, mas foi em vão.Ela não aparece mais por lá, dela só resta o coração ou talvez só a razão.
Que saudades!


Texto escrito em 15 de junho de 1992.
Tenho garimpado meus escritos para aplacar a saudade, não sei se é possível , mas faço esforço para deixá-la mais suportável.
        


8 comentários:

  1. oi Marli,

    a saudade é um sentimento que maltrata o nosso coração...
    também não sei o que fazer para aliviar...

    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rô, o meu coração está sofrendo muito, já não sei o que fazer, o pior é que sei que não os verei mais,pelo menos nesta vida.Beijo grande!

      Excluir
  2. Marli,

    Eu já sofri muito com a saudade, mas aprendi a conviver bem com ela.
    O seu texto muito me emocionou. Por um instante parecia que eu havia transcrito o que sinto em meu coração.
    Eu também já fui essa menininha. Meu alento está nas lembranças boas de um tempo que não volta mais.

    Muito obrigada pela sua presença no blog, e comentário para o amigo Daniel Costa!

    Muito prazer em lhe conhecer! Lucinha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Lucinha, o prazer é todo meu.Gostei muito do seu espaço, voltarei lá.Quanto ao meu texto sobre a saudade, tenho escrito muito sobre o tema, a saudade dói em mim. Beijos querida Lucinha.

      Excluir
  3. Gasparzinho23/5/13 18:05

    Belo texto! Confesso que me emocionei aqui. Quem não tem uma saudade dentro do coração, da alma?
    Lembrei-me da música do filme do saudoso Amácio Mazzaropi: A dor da saudade.
    Tudo passa, tudo termina, mas a saudade permanece, se é justo ou não, não sei.
    Abraços do amiguinho camarada!

    ResponderExcluir
  4. Ah! Gasparzinho, parece que somos do mesmo tempo rssss
    Meu pai nos levava ao cinema sempre,e lembro-me bem dos filmes do Mazzaropi. Repetindo você "...tudo passa,tudo termina...." pior que nós passamos também e terminamos, dá-me medo.Penso não ser justo sofrermos sem poder aplacar a dor da saudade.Tenho muitos textos que falam do mesmo assunto,por isso penso que tenho sofrido há muito tempo do mesmo mal,a saudade.Obrigada pela visita. Volte sempre. Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Boa noite minha querida !
    Saudade é o preço que se paga por viver momentos inesquecíveis.A saudade é o passar e o repassar das memórias antigas.E vc faz muito bem em aplacar essa saudade ...
    bjs minha flor !!!!

    ResponderExcluir
  6. Recordar é viver!

    Coisas amargas
    e sentimentos de encanto.

    E tentamos viver os melhores momentos
    e se sonha com o que passou
    e tanto nos encantou!

    Lindo! maria Luísa

    É bom recordar quando a saudade é grande

    ResponderExcluir