26 de jan. de 2019

Ano Novo, Novo Eu





   E um novo ano começou, há tantos projetos de vida nova, momentos diferentes, promessas, as quais fazemos a nós mesmos. No calendário acontece literalmente a mudança, mas nem sempre se ajusta à nossa vida.
  Podemos com certeza, afirmar que teremos um momento de trégua, neste intervalo de tempo e de mudanças, quando poderemos aproveitar para fazermos um balanço dos nossos acertos, nossos erros, nossas decepções.
Lendo Rossandro Klinjey, que disse que na maioria das vezes ficamos na esperança de que tudo mude com a virada da folha no calendário, que a partir daquele momento os problemas deixarão de existir, sobrando só fatos bons e positivos, no entanto ignoramos que toda a mudança acontece em nosso interior. Então quando nos conscientizarmos que a  mudança deve ser  íntima, que o que a gente quer é uma vida proativa, devemos então aprender a  observar a vida, tornarmos  autor do próprio destino,  desenvolvendo uma nova interioridade, entendendo que as quedas acontecem e que crescemos com elas, em consequência o respeito estará presente em todos os relacionamentos, assim como o amor próprio será maior. Saberemos com certeza, seguir um objetivo e alcançar o sucesso que nos fará bem e, em consequência fará o bem ao próximo. Após tanto crescimento interior, a transmutação servirá para questionarmos quais mudanças nos farão ter o conhecimento pessoal.
  Sentiremos que a metamorfose aconteceu e começamos a perceber que obtivemos poder, e com ele passamos a ser um novo ser, com este maravilhoso resultado podemos vislumbrar um:- Um “Eu Novo”.
  Um Eu Novo que não se submete a pessoas, assuntos, passeios que sejam entediantes, mudam o foco e não procuram mais fora de si as pessoas que nada acrescentam, é quando não se importam mais se a festa aconteceu em grande estilo ou em uma pequena mesa com uma cadeira de plástico, e, é capaz de agradecer com alegria as pequenas coisas da vida, pois têm ao seu lado o que mais necessita, as pessoas que ama.
   Um Eu Novo que comemora o que é essencial, pessoas que aprenderam a olhar o simples, a olhar e perceberam o que é amar, aprenderam a olhar a vida com serenidade necessária para viver em paz.
   Quando surge o “Eu Novo”, este não vai se importar de não ter participado da festa de “reveillion” em um lugar espetacular, rodeado de muitas pessoas, pois lhe bastará a sua pequena família. Poderemos ser novas pessoas em qualquer momento da nossa vida, poderá ser no início, meio ou fim de ano, o sol vai surgir e sempre poderemos ser pessoas novas, com interior repleto de certeza de que mudamos que nos tornamos melhores, que nosso interior está repleto de luz, porém, precisamos nos conscientizar  de que precisamos mudar assim como o calendário, e para obtermos bons resultados em todos os nossos projetos, precisamos ter a consciência do que queremos para então fazermos o melhor, lutar e vivenciar a paz para que ela não seja apenas utopia do “Eu Novo”. Saberemos nos desafiar para não nos tornarmos repetitivos seguindo a rotina, e que o tempo deste “Eu Novo” consiga apaziguar todas as desavenças, que ”talvez” existam nas famílias, na sociedade e no mundo. Que o equilíbrio seja presente, pois assim, com o poder que adquirimos poderemos controlar nossas emoções mantendo sempre a harmonia em torno de todos que convivem conosco, pois a vida é quase que exclusivamente convivência, se fizermos com que esta convivência  seja ruim, com certeza, a nossa vida não poderá ser feliz.
   Segundo Carlos Drummond de Andrade, para ganhar um ano novo que mereça este nome, você, meu caro, tem de merecê-lo, tem de fazê-lo de novo, eu sei que não é fácil, mas tente, experimente, consciente. É dentro de você que o Ano Novo cochila e espera desde sempre.
    Estamos iniciando um “Novo Ano”, desejamos ter conseguido sermos um “Novo Eu”, parafraseando Rossandro Klinjey:-
- Desejo a todos um Feliz Eu Novo!

Mulheres e a história

      Nós, brasileiros, possuímos um patrimônio social na história, na política na cultura e, como acontece em todos os países há a ...