23 de mai. de 2018

Esforço e Competência

Foto da Internet


    O final do intervalo das aulas era anunciado pelo sinal, ainda do tempo da sineta, que era grande, pesada e dourada, feita de bronze, fora doada à escola. Começaria a aula de biologia, disciplina que a maioria gostava, principalmente, na parte em que o professor explicava sobre o aparelho reprodutor humano. Havia um aluno que sempre se atrasava, o professor era austero na observância das normas e não aceitava atraso de ninguém, principalmente em suas aulas.Era um colégio particular, onde os alunos vinham de famílias abastadas, ele estudava ali, graças a uma bolsa integral, que lhe fora ofertada pelo diretor, pois era um aluno inteligente, estudioso, pesquisador, questionador, possuía tudo que um professor aprecia em um aluno promissor.
O problema é que Lucas, normalmente chegava com atraso em suas aulas, e o mestre disfarçadamente o deixava entrar, não questionava nada para não despertar a atenção dos demais.
Lucas rapidamente se inteirava do assunto da aula e começavam os seus questionamentos, o professor tinha admiração pelas suas dúvidas, pois com elas ele acabava tendo assunto para várias aulas. Alguns alunos, não davam a mínima atenção às aulas, mas Lucas o fazia por todos. Trazia em seu caderno dúvidas de estudo feito fora do horário, com livros da biblioteca, tinha satisfação em poder aprender sempre mais.
Seu professor o observava, sentia orgulho e o incentivava a ir além, porém o problema do atraso continuava, e o preocupava. Tinha medo de saber o motivo e perder seu melhor pupilo.
     Assim, seguiam as aulas e o atraso do aluno, certa tarde, o professor foi à biblioteca para registrar uns documentos e percebeu que Lucas estava em uma mesa, no final da biblioteca, fazia questão de não ser visto por ninguém, enquanto se dedicava arduamente ao estudo. O professor se aproximou lentamente, e percebeu que o menino não havia saído para almoçar, pois havia uma fatia de pão atrás dos livros. Seu Luciano, o professor ficou por um longo tempo refletindo sobre o mistério que Lucas guardava para si, porém, tinha receio de que se perguntasse algo, o menino que já era reservado escapasse de seus olhos.
Virou-se lentamente e foi embora, mas pensou melhor e voltou para falar com a bibliotecária.
    - A senhora sabe me informar se aquele menino, frequenta assiduamente a biblioteca?
     - Sim, o Lucas lê tudo que há sobre biologia, faz pesquisa, anota, registra, mas nunca ultrapassa às 16horas, também não faz as refeições, como os demais, sinto pena dele, penso em oferecer comida a ele, mas percebo que ele não deixa chance para eu me aproximar.
O professor ficou mais intrigado, pensou em uma maneira de se aproximar do garoto para saber mais sobre ele.
 Programou-se para forçar um encontro, e na tarde seguinte foi ao encontro do garoto. Lucas estava no mesmo cantinho, absorto em seus estudos, nem percebeu a chegada do mestre.
     -Boa tarde, Lucas? Podemos conversar?
O menino fez que sim, com um aceno de cabeça, o professor sentou-se e fitou com carinho, aquele menino que parecia tão necessitado de tudo.
  -Lucas, pode me contar o porquê de seus atrasos em minhas aulas?
O menino mudou de cor, quis levantar-se e correr, mas por respeito ficou calado, pensando como falar, sobre algo tão pessoal.
Virou o rosto para o professor e despejou o que há muito tempo o entristecia. Contou que tinha um irmão deficiente, e que ele se revezava para atendê-lo, chegava atrasado porque tinha que esperar sua mãe chegar do hospital, onde trabalhava à noite como enfermeira, e que ele não voltava para casa para almoçar, porque era o único tempo que tinha para estudar, pois em sua casa não havia nem espaço.
O professor, segurou as lágrimas e prometeu a si mesmo, ajudá-lo a se formar e seguir em frente. As dificuldades não diminuíram, ao contrário, aumentaram, mas Lucas seguiu em frente, tendo um aliado ao seu lado.
    Atualmente, Lucas leciona bioquímica e presta consultoria a empresas com ações de recuperação de áreas degradadas.
    Casado com uma bióloga, pai de duas filhas, continua estudando, mas hoje tem o seu cantinho à luz do sol, em sua casa.
     Professor Luciano, tem como afilhadas as duas pequenas de Lucas, as famílias são unidas, a gratidão está sempre presente no coração e atitudes ao nobre e idoso professor. Todos moram no interior de São Paulo.

8 de mai. de 2018

Deficiência Eficiente

Gabriel Metzler, foi meu aluno na adolescência


    Nosso mundo tem bilhões de pessoas e todas são diferentes, pois sabemos que somos seres vivos únicos, uma ave, uma flor, uma pessoa, cada ser vivo é único com suas peculiaridades, mesmo deficiente, ainda é um ser único.
     Juntando aos bilhões de criaturas no mundo, estão aqueles que nascem com alguma deficiência, e que dependem de sua família para viver, não sabemos como mensurar o grau de aceitabilidade em relação a nascer com deficiência ou ficar deficiente em certa altura da vida, devemos portanto termos a consciência de que deficiências graves e insuperáveis são a moral e espiritual,infelizmente para esses casos, não há solução ou superação.
     A história de Nick Vujicic, nos mostra literalmente que não temos problemas, ele nasceu sem as pernas e sem os braços. Afirmar que ele superou totalmente, não há como, pois, Nick quando tomou consciência de que não tinha bracinhos nem perninhas, sofreu, quantas noites seu travesseiro deve ter ficado ensopado de lágrimas do medo que sentiu, de sua incapacidade de sua desesperança. Tinha consciência de tudo porque não era deficiente mental.
    Aprendeu a escrever, mas foi proibido por lei estadual de assistir às aulas em uma escola regular. Estava muito deprimido, sofreu bullying e aos nove anos começou a pensar em suicídio, porém Deus não o abandonou, e houve a mudança através de um artigo de jornal, onde registrava a história de um homem que vivia com grande e grave deficiência, o que o levou a refletir, que ele não era o único a ter problemas.
    Hoje, Nickolas James Vujicic, é um pregador, palestrante motivacional e diretor de uma organização cristã sem fins lucrativos.
     Suas palestras são sobre a questão da deficiência e da esperança.
     Há centenas de exemplos sobre superação, outro exemplo de vida e superação quem nos dá é Gabriel, que aos quinze anos, em consequência de explosivos perdeu totalmente a visão do olho direito e parcial do esquerdo, anos depois acabou perdendo a visão da vista esquerda.
     Gabriel com muita determinação e coragem, seguiu sua vida, é claro que com dificuldade, e a cada dia seus “olhos” enxergavam mais e mais. Estudou, e hoje é engenheiro civil, MBA Internacional na Fundação Getúlio Vargas e The George Washington University (Washington, EUA) e curso em Harvard.
    E assim, ele seguiu em frente, já com passos largos, pois a falta de visão não o deixou abatido sobre uma cama, foi à luta, usando as palavras de Nick Vujicic:” A distância entre o sonho e a conquista , chama-se atitude”, podemos observar que Gabriel teve atitude, e foi por sua força e  garra, porque se ele não as tivesse, de nada adiantaria que os pais o incentivassem à batalha, e após reavaliar a importância da vida, Gabriel, juntamente com pessoas que comungam o mesmo sentimento, criaram o GAV – Grupo Alerta Vida. O GAV recebeu muitos prêmios, vale ressaltar que em 2000, foi premiado pela UNESCO.
     Ele foi para as mídias, possui um canal no YouTube com vários seguidores faz postagens semanais de vídeos, as visualizações crescem a cada minuto, o que nos mostra que são de grande valia para todos que querem “ver” além de “enxergar”, ou como dizia Saint Exupéry, “Só se vê bem com os olhos do coração”. Voltando às mídias, em uma postagem intitulada "Seja meus Olhos”, que foi compartilhada por Ricardo Amorim, o número de visualizações chegou a mais de cinquenta mil, significa que Gabriel está fazendo a diferença na vida de muitas pessoas. Paralelo a isso, ministra palestras em empresas, escolas, instituições, enfim para todos que querem obter um novo olhar sobre o Universo.
     Existem pessoas ousadas, mas Gabriel foi além, sempre com o objetivo de somar, escreveu e lançou um livro, cujo título é "Um Novo Olhar Para a Vida", afirmo que o conteúdo da obra, nos faz refletir sobre como vivemos, o que deixamos escapar pelo vão dos dedos, sem nos darmos conta de que tudo é efêmero.
    Hoje se destaca, como autor brasileiro pelo conteúdo de sua obra, que   é certamente composta por pensamentos fortes, que transformam os seus leitores. Segundo o filósofo Paul Valéry:” A felicidade tem os olhos fechados.”
Gabriel Metzler é feliz, pois seus olhos refletem a superação em sua alma.

Buscando ser feliz

    A grande busca do ser humano ainda é a felicidade, estamos sempre correndo para encontrá-la, já fazem parte de nossos desejos sejam...