29 de jul de 2015

O amor está fadado ao fracasso?

Parei um tempo para olhar a chuva escorrendo pelo vidro da sala. Através dele, percebi um casal sob o guarda-chuva, esperava para atravessar a rua. Ele, com o braço entorno da cintura dela, tentando protegê-la dos pingos incessantes. Peguei minha caneca de chá, o dia estava frio, segurei com as duas mãos para esquentá-las um pouco. Comecei a divagar... 
Será que o amor está fadado ao final, ao fracasso ? Quantos casais vivem juntos por 50 anos ou mais ? Quantos enfrentam a vida a dois juntos ? Quantos tentam consertar ao invés de jogar fora ? 

Os relacionamentos hoje me parecem tão superficiais. Talvez pela correria, ou pela frieza que as feridas da vida tornam nosso coração. Ou pelos tombos que levamos e deixamos, com isso, a desconfiança toma nosso coração e pensamento. A superficialidade de uma transa e depois o adeus. Apenas para contar pontos com os amigos. Não há mais o namoro, o conhecer, o mistério de descobrir, aos poucos, o sabor do beijo, se o abraço será capaz de aconchegar o outro corpo e protegê-lo. Hoje, a velocidade chegou nos relacionamentos também. Onde o ter, é mais importante que o descobrir. Talvez por isso não dure... Primeiro a cama depois a gente vê como fica. Mas aí, você começa a descobrir que ele ou ela não gosta de Neruda, tem pavor de andar de mãos dadas e adora filmes de terror. Tudo o que você não quer para a sua vida, ao seu lado, está ali, bem na sua frente, e você já não acha mais graça nas piadas sobre banalidades, e você não sente mais falta quando ele ou ela não manda mais mensagem, e você começa achar aquele perfume doce demais. 
E o encanto começa a desaparecer, e os detalhes começam a incomodar, e você já não deixa pra lá como antes ou, simplesmente, não liga se ele ou ela não aparecer no final de semana com mais um filme da série Jogos Mortais. Pelo contrário, você respira com alívio. Já não se enfeita como antes, e coloca qualquer coisa só porque não pode andar sem roupa. 
E o tempo passa... e o distanciamento é tão inevitável que, quando se dá conta, não há mais ninguém em sua vida. E você não sabe onde errou, onde começou a dar errado. E hoje, sob a chuva, segura o guarda-chuva só. Sem um braço entorno do seu corpo, sem um sorriso quando seus olhares se cruzam e, estranhamente, você se sente bem, feliz. E tudo vai tomando novas cores, novos aromas. Retoma os contatos antes deixados de lado, os sonhos esquecidos. 
Acho que não é o amor que está fadado ao fracasso mas, sim, aquele sentimento que não agrega valor ao seu... tomo um gole de chá, sorrio sozinha. Abro meu Neruda: " Um homem só encontra a mulher ideal quando olhar no seu rosto e ver um anjo e, tendo-a nos braços, ter as tentações que só os demônios provocam..."

11 comentários:

  1. Parabéns pelo texto. Muito haveria para falar...Mas quando existe amor, tudo supera!

    Beijinhos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Excelente reflexão. Acrescentar o quê?
    Contudo, ainda há pessoas com os ingredientes certos para celebrarem o amor.
    Bjo, Marli :)

    ResponderExcluir
  3. Soneto-acróstico
    Ao amor

    O amor, esse sentimento universal
    Agoniza nos derradeiros momentos
    Morrendo de uma doença terminal
    Ordenada por essa vida aos ventos.

    Resultado de alienação em alto grau
    Fez do amor um escuso sentimento
    Real apenas relacionamento sem sal
    Assim alcançará o fracasso, lamento.

    Cada um seu guarda chuva carrega
    Andando sem para os lados observar
    Sem parceiro, ou amigo, só colega.

    Sem amor vive-se portanto no limiar
    Onde ninguém a ninguém se apega
    Um universo hostil, duro, de amargar.

    ResponderExcluir
  4. Maravilhoso!!
    Acredito que as pessoas hj são intolerantes em grande parte, amar é lindo mas envolve renuncias e dedicação. E neste mundo egoísta e egocêntrico o orgulho esta´ prevalecendo.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  5. Ola Marli!
    Primeiro: sem tesão eterno não há casal e nem casamento. Acha impossível/ Pois eu não e encontrei!
    Agora se a companheira(o) não quiser impor seu estilo, for parceira, generosa, tolerante bom ai estamos no Paraíso! Abraços...

    ResponderExcluir
  6. Gostei muito de ler este texto que nos leva a uma reflexão sobre os relacionamentos de hoje. Mas começa a haver um outro comportamento mais saudável, me parece...
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  7. Boa tarde querida Marli..
    tudo muito bem colocado...
    até tenho uma poesia ou várias sobre o assunto..
    namorados que namoram mais o celular que a si mesmos..
    tá deprimente tudo ..
    meus pais estão a 33 anos juntos..
    belíssimos anos.. porém tenho parentes..
    que os maridos se mataram a vida toda trabalhar para dar apartamento, estudo e depois levam um pé na bunda das esposas..
    dificil até falar sobre relacionamentos..
    de tanto que se vê..
    uma pena realmente.. bjs e feliz sempre querida amiga

    ResponderExcluir
  8. Que belo texto, Marli, escrito puramente com a alma e a colocação final de Neruda é a cereja do bolo, sensacional!
    Grande abraço, sucesso e ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  9. Um lindo texto Marli,em que fala sobre o amor.
    Os relacionamentos estão cada vez mais difíceis,mas há sempre uma esperança,quando houver uma cumplicidade mútua,acho que esse é o segredo para ser feliz.
    bjs,uma ótima semana e obrigada pela visita.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  10. Querida amiga

    Em tempos de coisas descartáveis,
    até o amor se transformou
    em efemeridade,
    e assim,
    perdemos a alegria de escrever
    e reler histórias de cumplicidade,
    companhia e infinitudes...

    Que estrelas brilhem em tuas noites.

    ResponderExcluir
  11. Cara amiga Marli, belo texto reflexivo. Acho que tens razão: talvez o principal motivo da rotatividade do relacionamento afetivo seja falta de tempo (namoro e noivado) necessário do conhecimento mútuo. Um abração. Tenhas um lindo dia.

    ResponderExcluir

Criticar ou não criticar?

Às vezes o que precisamos é apenas um filme que nos traga algo de bom. E esses dias eu estava a procura de algo bom, delicado e encontrei...