Apreciadores de Um Naco de Prosa

4 de nov de 2016

Quanto eu valho?


foto do Google
Certa ocasião, um professor  falou a  seus alunos que anotassem na agenda a data para uma prova final, a mais importante do ano letivo, quando   mostrariam  seu conhecimento adquirido  durante o curso..
No dia marcado, alunos estavam nervosos e ansiosos, o professor entra  na sala com as provas à mostra, dizendo: vocês são especiais e  estão de parabéns. 
-Como assim, professor?
-Porque muitos que começaram o curso, desistiram antes de chegar ao final, porém vocês persistiram e aqui estão, por isso, merecem um presente.
- Presente?
-Sim todos que aqui estão merecem um presente, e disse : com uma nota cinco, todos vocês estão aprovados, com uma nota cinco todos vocês passam de ano, por isso quem não quiser fazer a prova receberá o cinco  e pode sair da sala.
Muitos alunos duvidaram da proposta do professor, porém, aos poucos foram erguendo a mão, recebendo  o  seu cinco e saindo. 
Para os que ficaram, o mestre colocou em suas carteiras uma prova com o conteúdo virado, e pediu que eles não mexessem nela, enquanto ele não desse o comando e, continuou  falando, vocês são incríveis, pois não aceitam nada que não seja o melhor, para  cada um de vocês.
-Podem começar!
Quando os alunos viraram a prova, nela  estava escrito apenas uma frase:-
foto do Google
-Parabéns, você acaba de tirar um dez!
Um pequeno relato que nos leva à reflexão e à pergunta:- 
-Quanto eu valho?
Quanto eu valho perante  à sociedade, perante minha família, perante meus vizinhos, quanto eu valho perante  Deus e, quanto valho perante a mim mesmo?
Parece-nos muito simples, porém quando refletimos e tentamos mensurar o valor que temos perante nosso próximo, torna-nos difícil responder, pois qual seria  a resposta se a pergunta fosse  feita ao nosso irmão de caminhada, qual seria a resposta se  a pergunta fosse feita a Deus? E, se a fizermos a nós mesmos?  Há quanto tempo estamos nos contentando com menos, há quanto tempo paramos de lutar, de irmos em busca de nossos sonhos, há quanto tempo estamos satisfeitos com a menor nota? E assim, nos tornamos meros seres hipócritas que fingem ser o que na realidade, é pura utopia, e acreditam nesta vida fantástica de ilusão. 
Deus, nos quer felizes, e  a felicidade acontece, também, quando fazemos outras pessoas felizes e,  há tempo para aprendermos e buscarmos substituir a utopia, a simples quimera pela realidade, e com certeza, nosso valor será nota máxima.

Quando pudermos ouvir de nós para nós mesmos: parabéns, sua nota é dez, aí, a certeza de quanto valemos, será real. 


11 comentários:

  1. Muito bom, Marli, seu texto mostra bem o quanto aceitamos o mínimo para não fazermos força. Nos acostumamos ao fácil.
    Mas seu texto mostra que ao escolhermos o caminho, mesmo sem o conhecermos, e mesmo sendo mais trabalhoso, o esforço nos dá o prazer da vitória. E o caminho torna-se mais belo. Tudo que é fácil demais, dá para desconfiar.
    Beijo, querida, saudades suas.

    ResponderExcluir
  2. Uma bem importante reflexão aqui proposta.Gostei muito! beijos, lindo fds! chica

    ResponderExcluir
  3. Um texto tão verdadeiro e maravilhoso.


    Beijo...Bom fim de semana

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  4. Olá Marli
    Estamos tão acostumados com rótulos e migalhas que nos esquecemos que somos seres humanos de valor. Uma excelente reflexão neste texto soberbo
    Beijos e um feliz domingo

    ResponderExcluir
  5. Dia de Teleton..
    "Assistir o Teleton é uma lição de vida para sermos mais gratos"
    é isso que tenho ouvido e lido nas redes sociais.
    Mas será que precisa chegar esse dia para praticar o amor ao próximo?
    Ou se ama ou não se ama. Mas será que é assim tão simples? Porque como consequência vem a ação desta máxima, que é fazer ao próximo o que gostaríamos que nos fizessem. Parece um parâmetro perfeito, e provavelmente seja. Mas como fica quando não tratamos o próximo da maneira que gostaríamos de ser tratados?
    Este link é de uma guerreira que desde que nasceu vem lutando e tem conseguido. Porém ao entrar lá existem outras crianças, adultos e até animais precisando de sua ajuda,até porque hoje em dia animais tem mais valor que muito ser humano mesmo...Mas nao deixem de doar,você poderá salvar uma vida.
    Precisamos de sua AJUDA - DOE, não importa o valor, o importante é a sua DOAÇÃO DE AMOR ♥.

    https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajude-uma-guerreira-a-guerriar

    ResponderExcluir
  6. Um belíssimo texto para reflexão. Não é fácil avaliarmo-nos a nós mesmos. Temos tendência para achar que somos melhores do que realmente somos...
    Uma boa semana.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  7. Uma bela reflexão por vezes desconhecemos o nosso valor, e buscamos avalia-lo pela nossa aceita social (redes sociais), mas somos preciosas e nosso valor só Deus pode medir.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  8. Cara amiga, parabéns pelo post, nota mil. Amei. Marli, não tenho religião, porque sou espírita, e espiritismo não é religião, mas filosofia de vida, ou melhor, norma de conduta, princípio básico que visa a melhoria do ser enquanto caminhante pelos caminhos deste mundo . Concordo plenamente, para alcançarmos a felicidade relativa, em nossas existências, aqui no planeta, precisamos querer mais, o que significa, em primeiro lugar, trabalhar pelo outro, buscar o bem do nosso irmão, companheiro de jornada. Precisamos pôr na prática a parábola do bom samaritano.
    Um abração. Tenhas um lindo fim de semana.

    ResponderExcluir
  9. Marli
    Que grande e maravilhosa lição, já que muitos, utilizam a lei do menor esforço, apenas se interessam por nota positiva. Ir mais além, é letra morta. Na verdade devemos fazer da vida uma luta constante, para algo que venha a ser exigido, possa-se sempre responder - presente!...
    Abraço

    ResponderExcluir
  10. Marli, gostei muito do seu "Quanto eu valho?" um belo texto que nos leva a refletir sobre muitos valores, pessoais e sociais. O que valem as instituições, o que valem as autoridades, o que valem os professores, o que valem os alunos? No momento sombrio pelo qual passa o Brasil, acho que não tenho resposta para essas perguntas. Uma pena. Parabéns.
    Abraços. Pedro.

    ResponderExcluir
  11. Que linda reflexão, uma real lição de vida.

    ResponderExcluir