13 de mar de 2018

O Equilíbrio na internet



    Recentemente, eu estava fazendo um trabalho em uma instituição e percebi uma garota isolada do seu grupo, parecia ter chorado, e dava-nos a impressão de que apenas queria ficar sozinha.
   Fiz algum comentário com algumas meninas sobre a situação e, elas me responderam:
   - Ah! professora, ela não quer nem conversar, nem brincar, e o que faz é de má vontade.
   Fiquei imaginando o que estaria acontecendo, pois pelo que presenciara nada faltava a ela, naquele maravilhoso lugar.
   Aproximei-me silenciosamente para não perturbar a sua meditação, ao perceber a minha presença, fez menção de sair, ela estava sentada à sombra de uma linda árvore florida. Despistei e sentei em um banco quase ao seu lado. Puxei conversa.
   -Olá! Tudo bem com você? Por que está aqui, sozinha? Não gosta deste lugar?
   A menina ergueu a cabeça e começou a falar, mostrava na voz a sua inquietação, falou que se sentia como uma prisioneira, pois havia horário para todas as atividades, e o pior disse-me ela:
  -Não podemos usar o celular aqui, não consigo viver sem me comunicar.
Fiquei assustada com as palavras dela, foi um desabafo muito triste, porque ela disse que a vida dela dependia de um celular.
Infelizmente, o fato acontece muito com a maioria não só de jovens, mas de muitas pessoas. Para os jovens, principalmente, ficar sem celular é um grande castigo. Em uma época não muito distante, presentear os filhos com um carro, era um presente que mostrava à sociedade o “status”, da família, hoje substituído pelo celular.
   O celular e internet nos trazem muitas facilidades, as quais não há necessidade de nomeá-las, porém há a obrigação do controle, pois tudo que é exagerado traz malefícios à saúde.
   A necessidade de estar sempre conectados gerou uma sociedade de adolescentes obcecados pelo imediatismo, como: esperam por respostas rápidas, conversas ligeiras, encontros nada longos, e, se algo for além do tempo, previsto por eles, gera uma grande ansiedade. E, como as relações virtuais andam juntas com as reais, podemos pensar que é um dos motivos para que os relacionamentos não tenham vida longa. Tudo parece ser descartável, infelizmente, o celular se tornou um item de consumo favorito da população.  Às vezes, nos assusta quando dois jovens, que estão próximos, usam o celular para se comunicar, trocando assim o encontro, o olhar nos olhos, a voz, o sentimento, por mensagens, as quais, muitas vezes acontecem por meio de simples “emoticons”. A preocupação é grande quando os limites desta comunicação deixam de fora a presença física da outra pessoa, causando assim a facilidade de falar sem se preocupar com as reações do seu interlocutor.
  “Mas para manter relações saudáveis, é preciso fazer um uso inteligente dos recursos tecnológicos e evitar os excessos da “dependência da conectividade”. Nesse ponto, a escola e, principalmente, os pais são responsáveis pela educação dos jovens.”
   Penso que deve haver o bom senso para  não ficar conectado o tempo todo, nem há necessidade de fazermos como a França ,mas uma boa dosagem de tempo, cada um deve fazer de acordo com a sua necessidade e consciência, "como empresa a gente se vê obrigado a estar conectado um tempo muito grande na internet, mas os usuários têm de praticar o 'nadismo', desconectar um tempo, passar um tempo descansando fora das telas".
“O verdadeiro perigo não é que computadores começarão a pensar como homens, mas que homens começarão a pensar como computadores” Sydney J. Harris, jornalista e escritor estadunidense.

13 comentários:

  1. Texto bem acertado, bem próprio pra esses dias onde parece a internet separa pessoas, ao invés de unir... Equilíbrio mais do que necessário! bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Os perigos está em não saber usar. É preciso muito cuidado. Gostei muito do texto.

    Hoje:- Âmago em transparências
    .
    Bjos
    Votos de uma boa noite.

    ResponderExcluir
  3. A Internet é um vicio que nos rouba espaço para outras coisas. Mas no qual, sem ela, "não conseguimos viver"... Há que saber usá-la.

    Beijos. Boa noite

    ResponderExcluir
  4. Concordo muito! Parece uma necessidade estar conectado todo o tempo. A minha sobrinha de 13 anos vive assim. Quase não conversa e só fica no telefone. Minha irmã tirou por um tempo por isso. E ela ganhou livros e está super interessada. Acho saudável explicar a eles que a vida é mais que internet!

    beijos!!

    https://ludantasmusica.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. As pessoas não se dão conta que o celular, que as redes sociais são viciantes. E como é um vício aceito, não agride, as coisas continuam assim em todas as idades. E como não tem idade, se orgulham na fuga, atrás da dita sociabilidade...
    gostei muito, amiga, um beijo!!!

    ResponderExcluir
  6. Olá, Marli!
    Uma bela crônica, abordando casos sobre o mundo da Internet, que nem sempre é de terreno sólido, ao contrário, muitas vezes se pisa em areia movediça. Tem o seu lado extraordinariamente bom, mas tem o seu lado perigoso. Gostei muito, minha amiga.
    Um abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
  7. Bom dia, colega Marli!
    Por essas e outras que meu celular não tem chip, só o uso para filmar, registrar imagens dos meus trabalhos, das coisas bacanas que encontro. Só o fixo e o computador, me bastam. Acho triste as pessoas ficarem mergulhadas nas telas e se esquecerem da vida, do tempo, do mundo. :( Ontem mesmo, no centro da cidade, quase trombei de bicicleta com uma pedestre que olhando a tela do celular, foi atravessar a rua e só olhou pra um dos lados da rua.
    Ei, moça!
    Tem postagem nova no meu blogue também, passe por lá e confira!
    Ficarei feliz com tua visitinha e comentário, sempre tão indispensáveis e gentis.
    Te espero por lá, ok?
    Tenha um fim de semana supimpa. Abração pra você! :)

    ResponderExcluir
  8. Como em tudo, os pais devem incutir bom senso aos seus filhos no uso das novas tecnologias de comunicação.
    Magnífica crónica, parabéns.
    Bom fim de semana, amiga Marli.
    Um abraço.

    ResponderExcluir
  9. Amiga, embora não tenha sido oficialmente legalizado, o dia 20 de março, desde 2004 que comemora-se como sendo o dia do Blogueiro ou da blogueira.
    Como gosto de comemorar dadas em especial aquelas que acho bem merecidas, hoje, vim aqui parabenizar você por ser essa profissional da blogsfera competente, criativa e que com muita responsabilidade mantem o seu blog.
    Parabéns por ser essa blogueira maravilhosa que nos encanta com suas postagens.
    Abraços da amiga Lourdes.

    Tem postagem e tem selinhos comemorativos nos meus blogs.

    ResponderExcluir
  10. Boa noite querida Marli, tenho várias poesias sobre o celular e seu uso que tem destruido estas gerações, se conectam a tudo menos a si mesmos,
    se amanhã ou depois der pane no satélite, muita gente simplesmente evapora deste plano, pq a dependência é absurda,
    faz uns meses que comprei o celular, não o tinha, comprei por necessidade do trabalho, mas não faria questão de o ter, linda noite a vc bjs

    ResponderExcluir
  11. Olá, Marli.
    Gostei muito do seu posicionamento besta excelente crônica, da qual destaco estes trechos:

    "Aproximei-me silenciosamente para não perturbar a sua meditação, ao perceber a minha presença, fez menção de sair, ela estava sentada à sombra de uma linda árvore florida. Despistei e sentei em um banco quase ao seu lado. Puxei conversa.
    -Olá! Tudo bem com você? Por que está aqui, sozinha? Não gosta deste lugar?
    A menina ergueu a cabeça e começou a falar, mostrava na voz a sua inquietação, falou que se sentia como uma prisioneira, pois havia horário para todas as atividades, e o pior disse-me ela:
    -Não podemos usar o celular aqui, não consigo viver sem me comunicar.
    Fiquei assustada com as palavras dela, foi um desabafo muito triste, porque ela disse que a vida dela dependia de um celular."


    Parabéns minha amiga.
    Um ótimo final de semana.
    Um abraço.
    Pedro

    ResponderExcluir
  12. Olá, querida Marli!

    Um texto, como sempre, mto bem escrito. Parabéns! você é uma escritora de mão cheia.

    Infelizmente, tudo o que você conta nele é uma dura e triste verdade/realidade. O celular passou a ser o melhor amigo, sobretudo dos jovens, e se perdeu o diálogo.

    Há k saber dosear essa situação. Podemos estar no celular, durante um tempo, mas depois passar para a realidade.

    De vez em qdo, deixo o meu em casa, propositadamente.

    Beijos e uma linda semana.

    ResponderExcluir
  13. Independentemente da publicação, que gostei:
    O Brincando com as palavras DESEJA-VOS: UMA SANTA E FELIZ PÁSCOA, EXTENSIVO AOS VOSSOS FAMILIARES E AMIGOS.
    .
    Bjos com carinho e estima.

    ResponderExcluir

Complexo de Vira-Lata

         A expressão “complexo de vira-lata”, que define a falta de autoestima dos brasileiros foi criada por Nelson Rodrigues em 1950, ...