Apreciadores de Um Naco de Prosa

6 de ago de 2012

A Origem da palavra Candidato


Estive há pouco no blog Carlos-luz, com postagens extremamente interessantes. Detive-me na crônica de Bertolt Brechet  " se os tubarões fossem homens". Confesso que sempre apreciei as obras de B.B., pois elas nos fazem refletir e às vezes, fazem com que deixemos de nos omitir.

Mas voltando à crônica, cada frase nos leva à reflexão, sem dúvida. Hoje, são as eleições que se aproximam e como na crônica, teremos que saber distinguir
os tubarões bons dos maus. Com suas analogias e metáforas B.B. vai nos mostrando o caminho que deve ser seguido.

Continuei a ler na internet e li em letras garrafais: A Origem da palavra " Candidato ".

Resolvi registrar aqui.
Veja as palavras "aquário" e "piscina". De acordo com o radical de cada palavra, "aquário" seria o lugar onde se nada, e "piscina", onde se criam peixes. Que fazemos? Nadamos na piscina e criamos peixe no aquário. Assim aconteceu também com a palavra "candidato".
Em vez de ser cândido, às vezes, é sujo.
Juro que você não vai acreditar...
Branco, brilhante, puro; a palavra candidato vem do latim candidus, palavra que originou o verbo candidare( sujeito ou coisa branca como a neve ), cujo particípio passado e candidatu, ou seja vestido de branco.
Isso porque, na Roma dos Césares, a pessoa que concorria a um cargo público fazia sua campanha vestida com uma longa toga branca, simbolizando pureza, honradez e bons propósitos.
Não basta ser honesto, dizia César, tem que parecer honesto.
Na nossa língua candidus transformou-se em cândido, que por sua vez gerou a palavra candura.
Hoje esta candura transformou-se em "cana dura", que é o que merecem muitos candidatos pouco cândidos, transformação, não etimológica, mas, sociológica, dado o perfil moral desses candidatos.
Já repararam que nenhum dos candidatos usa terno branco? Só cores combinantes que combinam muito bem com seus caracteres.

16 comentários:

  1. Ótimo esse seu texto, realmente, a gente vê tanta candura, tanta meiguice, principalmente quando pegam as crianças no colo para fazerem um 'H' com os pobres.Mas nada vai mudar, lindo é ler, também, esse trecho de Rui Barbosa quando fala na vergonha de sermos honestos. Aliás, mais atual do que nunca.

    Beijo grande, amiga!
    Tais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tais,minha querida,realmente tudo continua como antes,mas a candura....!
      E agora, recomeçam as badalações novamente.Temos que estar atentos aos que não sabem votar sem trocar o voto.Obrigada.Ah! Fiz a cirurgia de que precisava (coluna cervical), fez uma semana hoje, estou aqui escrevendo,mas só por dez minutos.Um grande abraço!

      Excluir
  2. Nossa!
    Marli é isso que eu gosto, estar próximo de gente inteligente. Aprendi mais uma: candidato.
    Como dizem mos portuguêses: gostei imenso deste texto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rui,que bom que você me acha inteligente,você também o é com certeza.Ah!Há tanto a escrever,a criticar,a ajudar a consertar,mas há necessidade de nos unirmos.Um grande abraço!

      Excluir
  3. oi marli... simplesmente ADOREI!!! é assim que se vai tecendo a "teia do bem"... peço permissão para recomendar em meu blogue esta tua postagem.. claro com os devidos créditos e linques...
    abração...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos,desculpe-me pela demora em responder aqui,mas acabei de fazer uma cirurgia na coluna cervical,faz uma semana hoje,e só tenho permissão de escrever por dez minutos.Carlos, fique muito a vontade em usar o texto em seu blog,pois eu fiz algo feio citei você aqui sem sua permissão.Um grande abraço!

      Excluir
  4. este post está me lembrando dos advogados de defesa dos mensaleiros...sempre de preto!
    seria bacana o branco nos políticos,transparência hoje para esta classe está difícil!
    saudações!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Ricardo,tem razão,mas quem sabe eles também gostam de um pretinho básico rssssss.São tantas as imperfeições que até a cor preta entrou como cruel.Um grande abraço!

      Excluir
  5. Olá muito lindo adorei parabéns pelo trabalho.
    Obrigada por sua visita beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada pela sua visita.Volte sempre,pois sua presença é meu termômetro para dar continuidade aqui.Um grande abraço!

      Excluir
  6. Un texto lleno de ternura Marli, un placer.
    que tengas buena semana.
    saludos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ricardo,o prazer é todo meu em tê-lo aqui em meu espaço.Volte sempre,pois és bem vindo.Um grande abraço!

      Excluir
  7. Gasparzinho8/8/12 19:36

    Há como separar, ainda, o joio do trigo.
    Ainda temos bons candidatos, cabe a nós sermos bons votantes.
    Interessante este texto, a semiótica pura aplicada na cor das roupas dos candidatos.
    "Santos diabinhos".
    Abraços do Amiguinho camarada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gasparzinho,com certeza,ainda,podemos separar o joio do trigo,mas sabemos que uma andorinha não faz verão,então como fazer com que os demais votantes saibam ser conscientes de que possuem o poder para esta mudança?
      Pena que são poucos os que entendem de semiótica,( a ótica dos sinais),pois há muitas setas que indicam o certo,dando significado a tudo que nos cerca,mas sabemos também que a Educação anda mal das pernas.Então resta-nos esperar e confiar no bom senso do povo brasileiro.Um grande abraço!

      Excluir
  8. Candidatos...puros!! Existem? Mas não é por causa da cor exterior...Também na Roma antiga a toga branca não significava literalmente, pureza e honradez...Pilatos de branco vestido, condena um inocente e lava as suas mãos porque sentia que não estava a ser justo...
    O importante é a cor do coração de cada um que se projecta ou deve projectar...nas suas obras.
    Beijo e bom fim de semana.
    Graça

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Graça,é pura verdade desejo que a cor ~que cada político leva dentro de si , seja a cor da razão,da honestidde.Um grande abraço!

      Excluir