23 de dez de 2013

O Presente de Natal

A menina apressou o passo para conseguir acompanhar a mãe. Estava com sua mãozinha suada, mas não soltava a da mãe. Ana tinha cinco anos, ela olhou para cima e pareceu-lhe que sua mãe ficara maior do que ela. 
A mãe, no entanto, estava absorta em seus pensamentos, e esqueceu que estava quase arrastando a menina, já sem fôlego para continuar. Percebeu a fadiga dela depois de vários tropeços da pequena. Sentiu-se mal pela atitude agressiva com sua filhinha.
Para compensar sua consciência, levou-a para fazer um lanche. Colocou-a sentadinha em um banquinho e ficou olhando o apetite com que devorava o lanche.
Resolveu então dar um tempo e foram sentar-se no banco da praça, e frente à Igreja Matriz.
Percebeu as luzes da Natal, os arranjos, o presépio no meio da praça. Lembrou que já era quase Natal. Ficou pensando e sentindo nostalgia. Ana estava observando sua mãe há algum tempo, com tão pouca idade, mas já sabia que algo estava errado. Ficou imóvel, pois tinha medo de quebrar o silêncio.
A mãe deixou rolar as lágrimas, as quais tentou esconder.

- Mamãe, você está chorando?
- Não, filha.
- Está sim. Passa o dedinho e consegue segurar uma lágrima...
- Olhe, mamãe, você está chorando sim.

A mãe abraçou a menina num ímpeto de fuga. Escondendo seu rosto no corpinho da filha.
Ficaram por um longo tempo abraçadas. A mãe deu um longo suspiro e observou e olhou para longe, como se estivesse à procura de algo que ficou no seu passado de menina.

- O que aconteceu, mamãe? Você está triste? Fale comigo!

A mãe olhou a pequena e disse:

- Filha, é a saudade de um tempo que não volta mais.
- Conte, mamãe, conte sobre a saudade.
- Sabe filha, quando eu tinha a sua idade, meu pai, seu avô, trabalhava muito, mas o dinheiro não sobrava. Sua avó trabalhava rente para nada nos faltar e não faltava. O clima de Natal me traz muitas recordações. Papai e mamãe me traziam aqui, na época do Natal, havia o Presépio Vivo.
- O que é Presépio Vivo, mamãe?
- É encenado por pessoas vivas, como nós, até o menino Jesus era um bebezinho e chorava muito. Tudo nos fazia sentir paz. Perto da nossa casa, havia muitas crianças e todas recebiam algum presente do Papai Noel. Na esquina morava uma família muito pobre, o pai estava sem trabalhar devido a uma doença, a mãe lavava roupa para fora, mas tinha que fazer o trabalho em sua própria casa, para poder cuidar do marido.
E, ainda, havia o filho de cinco aninhos, ele era um menino especial.
- Por que especial, mãe? Ele era diferente?
- Sim, filha.
- Por que, mãe?
- Ele nasceu com uma doença e nunca andou, nem falou... Era triste vê-lo vê-lo crescendo sem poder ficar sobre as pernas. Ele ficava sempre no chão, sobre um monte de cobertas e panos para não se machucar. Percebia-se que ele sofria..., pois estava sempre com o olhar vazio, parecia querer gritar a sua dor. Todos
no bairro o conheciam como Pedro ou menino aleijado.

A mãe continuou a falar como se estivesse desabafando algo que a torturava. Sabe, Ana, todo Natal me traz lembranças do Pedrinho.

- Por que, mãe? Conte mais, conte!

A mãe continuou, a família e vizinhos trabalharam muito para conseguirem uma cadeira de rodas para ele, mas a cada ano o resultado era negativo. A mãe dele disse que a cada Natal, a família tinha esperanças de que alguém doasse o tão desejado presente: uma cadeira de rodas.
Havia muita gente engajada para conseguir sucesso, mas sempre havia outra prioridade.
Hoje, com a proximidade do Natal, veio-me a lembrança daquele Natal em que eu esperava ganhar uma bicicleta. Foi o meu pedido ao Papai Noel, mais tarde, resolvi escrever outra cartinha pedindo que Papai Noel trocasse a minha bicicleta por uma cadeira de rodas para o Pedro.
A noite de Natal se aproximava, os preparativos eram muitos, minha mãe e avó faziam bolachas pintadas com açúcar colorido, muitos doces e salgados, porém tudo era feito em casa, num grande forno, que ficava do lado de fora da cozinha.

A alegria contagiava a todos, meus primos, todos com a mesma idade, não conseguiam segurar a ansiedade para receber o Papai Noel. Eu estava aflita para que ele lembrasse das cadeira de rodas.
Chegou a noite tão esperada. O Papai Noel entrou pela porta da sala, trazendo um ajudante, pois havia muita coisa a carregar. Olhei para todos os lados e não vi nada parecida com cadeira de rodas.
A minha bicicleta veio, era linda, como eu imaginava. Corri os olhos e perguntei ao Papai Noel:

- Você não recebeu o pedido que fiz para Pedrinho?
- Ah! Sim, recebi. E com a ajuda de muitas pessoas, conseguimos.
- Ah! Papai Noel, conte como foi a entrega, como Pedrinho ficou?

Todos em coro gritaram:

- Conte! Conte! Papai Noel!

O velhinho curvou-se mais, olhou para mim, com os olhos cheios de lágrimas e soluçando me abraçou e disse:

- Ele acabou de ir para junto de Jesus, e lá ele não vai precisar de cadeiras de rodas...

Marli Terezinha Andrucho Boldori




45 comentários:

  1. Gasparzinho23/12/13 15:23

    Quanta delicadeza encontramos em cada linha! O Natal nos traz esperança, alegria, amor, paz... Particularmente, é a data que mais aprecio. "E já escrevi a minha carta ao Papai Noel", para que ele não nos desampare nestes tempos em que tanto precisamos de amor. Lindo conto, pude ver o pequeno em todos os detalhes. Emocionou-me. Que seu Natal e da sua família seja abençoado e com muita Paz! Abraços do amiguinho camarada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gasparzinho, que belas palavras, foi você que acabou me emocionando.Você tem razão, o Natal nos traz esperança de um mundo melhor.Porém, para mim não é uma data que me deixe feliz, ao contrário, não sei o porquê, mas prefiro me isolar.Quanto ao conto, tem muito a ver com o real. Minha mãe, eu e um menino doente, que era meu vizinho.A lembrança deixa um rastro de saudades.Obrigada pelos votos de Feliz Natal.Desejo-lhe, mesmo que com atraso um abençoado Natal, juntamente com sua família.A emoção nesta época fica no ar...
      Grande abraço!

      Excluir
  2. A vida como ela é! Parabéns pelo conto! Bjs. Marli

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Minha querida, Xará.
      O meu conto, fala da realidade de quando eu era criança. Obrigada pela visita. Beijos!

      Excluir
  3. Lembrou-me um conto de Fialho de Almeida. O conto começava assim "Essa história é um poucochinho triste". E se passava na noite de Natal. Delicada, mas triste. A sua e a dele. E a sua escrita é de uma leveza. Parabéns pelo belo texto.
    Fique com o meu carinho neste Natal e sempre, Marli. Um Ano Novo abarrotado de alegrias...
    beijos,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. José Carlos,fiquei feliz por você ter comentado sobre o meu conto e de outro autor.Tem um pouco a ver com a minha vida de criança. Que o Natal seja para sempre. Beijos!

      Excluir
  4. Oi Marli
    O natal sempre no permite renovar a fé e ter esperança de dias melhores.
    Desejo que você consiga realizar em 2014 todos os sonhos que ficaram pendentes em 2013 e que no ano vindouro você tenha 2014 motivos para sorrir. Que a felicidade seja seu par constante nas trilhas da vida. Que os seus caminhos sejam atapetados com chuvas de pétalas perfumadas para que o seu coração não conheça mágoas e nem tristezas. Um feliz e abençoado natal para você e os seus.
    Gracita

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gracita, obrigada pela visita e amável comentário.Que seu Natal seja abençoado e que o Ano Novo que se aproxima venha repleto de coisas boas. Beijos!

      Excluir
  5. Arrepiei...
    Meu conto de Natal é mais feliz rss
    Confere lá. Tem que clicar na árvore.
    Feliz Natal.
    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Claudio, obrigada pela visita e convite. Fui ler seu conto, muito belo. Desejo a você um Feliz e Santo Natal. Abraço!

      Excluir
  6. LINDO....

    Olá…
    Venho agradecer todo o carinho que me foi dado durante estes 7 meses de blogueira.

    Que todos possamos ter muita Paz, Amor harmonia… e, principalmente Trabalho. Sermos honestos dignos, e respeitar o próximo!

    Que não nos falte nunca a vontade de sorrir.

    Desejo um Santo e Feliz Natal, e um ano de 2014 repleto de positividade

    Um beijo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cidália, obrigada pelos votos. Desejo -lhe também que Natal e ano novo sejam repletos de bênçãos . Que consigamos durante mais este ano sermos amigas blogueiras . Grande abraço!

      Excluir
  7. Querida amiga. epoetisa Marli..!!!

    Senti-me honrado com mais uma sua presença
    Em meu blogue, com o seu carinho de sempre.
    Passando para retribuir, deixar o meu abraço e,
    Desejar-lhe muito amor, paz e luz nesse Natal.
    Seu conto, eu li e achei maravilhoso. Meus
    parabéns pelo belíssimo e enternecedor texto.
    Beijos de luz !

    POETA CIGANO – 23/12/2013

    http://carlosrimolo.blogspot.com
    “Poesias do Poeta Cigano”

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carlos ou Poeta Cigano,obrigada pela visita e comentário,pois é através dele que sei que agradei com minha escrita. Volte sempre. beijos!

      Excluir
  8. Agradecendo sua visita e comentário tão encantador, seja sempre vinda.
    Sua postagem tão harmoniosa e maravilhosa, parabéns!!!
    Abraço fraterno
    Nicinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nicinha, sempre com palavras tão amáveis. Sua presença aqui me faz feliz. Volte sempre. Grande abraço!

      Excluir
  9. SOU DO BLOG FOLHAS DE OUTONO !!!!!!!!!!!!!
    VIM AQUI DESEJAR UM NATAL DE LUZ !!!!!!!!!!!!
    FUI CLONADA E TIVE QUE ME AFASTAR DO MEU BLOG,MAIS EM CADA CANTO QUE VOU VEJO VC RESSALTANDO MINHA AMIZADE COMO VERDADEIRA,ISSO ME DEIXOU MUITO EMOCIONADA E ESTOU CRIANDO FORÇA PARA CRIAR UM OUTRO BLOG PARA CONTINUAR INTERAGINDO COM OS AMIGOS.ESPERO PODER CONTAR COM SEU APOIO E SUA AMIZADE VERDADEIRA.
    ABRAÇO FRATERNO !!!!!!!!!!!!!!!!!!"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida Severa, fiquei muito preocupada com sua ausência.Porém sei que você perdeu seu endereço de blog, eu também já perdi muitos endereços eletrônicos, e com isso perdi pastas com assuntos importantes.Não consegui recuperá-los, apenas responderam que foram bloqueados por segurança. Espero de coração que tudo se ajeite logo para que você possa trazer alegria para nós com sua escrita. Grande beijo!

      Excluir
  10. oi Marli,

    que lindeza de conto,
    parabéns pela linda postagem,
    que seu Natal seja repleto de amor...

    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rô, querida amiga.Que bom que gostou do meu conto.Desejo-lhe também um Santo Natal.
      Grande beijo!

      Excluir
  11. Bom dia Marli.. muito grato de sua visita.. sobre teu conto, não deixa de ser assim na realidade, quantos casos parecidos acontecem debaixo dos nossos olhos, e muitos de nós não abrem a mão para um ato de caridade, as pessoas só penam em fazer algo ao próximo perto de festas, o resto do ano ng existe, como se isso fosse lhes dar alguma absolvição, sei lá.. mas enfim... melhor um ato do que nenhum né beijos e boas festas até sempre

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Samuel, obrigada por sua visita e comentário. O conto que escrevi tem um pouco da realidade do meu tempo de criança.Existem muitas pessoas que fazem trabalhos voluntários durante o ano todo, mas sei que ainda é pouco. Tenho esperanças de que amanhã será melhor. Beijos!

      Excluir
  12. Mali, a Severa está com os sites todos clonados, sem acesso. Tens de esperar, ela está a tentar fazer tudo de novo. Ao velho ainda estou com acesso e deixo link, mas ela lá já não irá ver. Se és acompanhante, a seu tempo, te comentará:
    http://severaescritora.blogspot.pt/
    Felizes Festas Natalícias!....

    Ah, lê o segundo comentário anónimo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Daniel, obrigada pela informação,pois eu já estava preocupada com a ausência da minha amiga, Severa.Já li o comentário e respondi. Obrigada! Abraço!

      Excluir
  13. Um NATAL FELIZ e um ANO NOVO repleto de grandes realizações, muita PAZ e SAÚDE!!!!
    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Malu, obrigada pela visita e votos. Desejo-lhe também o melhor que o Universo possa lhe oferecer. Abraços!

      Excluir
  14. Sou do Blog Folhas de Outono !!!!!
    Estou aqui para desejar-te um Feliz Natal...matando minhas saudades me faz viajar e apreciar tuas lindas postagens e teus desejos...
    Bjsssssssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá querida Severa, obrigada por você estar por aqui. Agora sei que está bem. Logo tudo se ajeita. Beijos!

      Excluir
  15. SOU DO BLOG FOLHAS DE OUTONO !!!!
    Aproveitando o dia de NATAL,para rever os amigos queridos e,você é um deles,do qual sempre presei.Guardo muitos comentários ou melhor dizendo.Guardo todos que deixastes ao longo do nosso convívio.Hoje o FOLHAS DE OUTONO se encontra sem movimentação,mais deixo dito que breve entrará o FOLHAS DE OUTONO II e,com certeza você será convidada para a inauguração dele.
    Hoje só vim matar as saudades e ver se você está bem.
    FELIZ NATAL !!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida, Severa estou bem ,mas estava muito preocupada com você, agora que sei que tudo está bem, fico mais tranquila.Desejo-lhe um Feliz e Santo Natal e que 2014 seja repleto de bem. Beijos!

      Excluir
  16. Respostas
    1. Olá! obrigada! Desejo-lhe Feliz Natal e que 2014 seja repleto de realizações.
      Beijos!

      Excluir
  17. Limerique

    Era uma criança muito especial
    Que uma cadeira a faria normal
    Contudo quis o destino
    Doar o céu ao menino
    O que rendeu pelo conto de Natal.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jair e seus Lameriques sempre me deixando feliz ao ler o que me deixa registrado.
      Que sensibilidade você deposita nas palavras e ainda acompanhou o conto que escrevi. Muito dom. Obrigada ! Grande abraço!

      Excluir
  18. Somos pessoas que amamos colocr ao vento nossos sentimentos e não nos envergonhamos de ao finalizar nossos trabalhos sejam eles poemas, musicas ou mesmo até sendo criticos, assinamos, nossa assinatura e nossa imagem é importante, é a forma de mantermos o respeito por aqueles que nos prestigiam.
    Deixo um sincero fraterno abraço e regado de muito sucesso para você e seus leitores.
    Nicinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nicinha, bonito comentário o seu. Sabe que este conto me pertence duas vezes,pois é de minha autoria e fala sobre a minha vida de criança.Obrigada. Desejo-lhe que 2014 seja ótimo em todas as áreas. Beijos!

      Excluir
  19. Olá,
    seu conto é maravilhoso, admiro a criatividade.
    Desejo-lhe uma ano novo repleto de felicidade.
    Abraço
    ag

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Obrigada pela visita e comentário. Também lhe desejo o melhor neste Natal e Ano Novo. Abraço!

      Excluir
  20. Comovente história de Natal Marli.
    Não sei porque esta data é alegre mas ao mesmo tempo traz lembranças dos desprotegidos da sorte
    e da vida. São os rostos da humanidade fazendo lembrar que somos previligiados.
    Um FELIZ NOVO ANO MARLI
    Beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Manuela, obrigada pela visita. O conto tem a minha história de menina.Desejo-lhe também um Ano Novo repleto de realizações. Beijos!

      Excluir
  21. Boa tarde, Marli! Parabenizo-lhe por esse tão maravilhoso blog e por sua literalidade admirável e transbordante de emoções. Esse conto é providencial e traz verdades incomensuráveis sobre a essência do significado do Natal. Um afetuoso abraço e que 2014 lhe traga a continuidade de iluminadas inspirações, com muitas alegrias, renovados projetos e profunda paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Antenor,obrigada por tão belo comentário.O conto tem um pouco de minha infância. Também lhe desejo um Natal Santo e um Ano Novo repleto de realizações. Volte sempre! Abraços!

      Excluir
  22. Que conto emocionante, Marli!! Saio meio mal daqui...
    Mostra ternura, amor, solidariedade e também tristeza. Parabéns a você que com esse conto conseguiu tocar a alma de muita gente. Esse é o espírito de Natal, o verdadeiro. E vindo de uma menina...

    Beijos e meu carinho pra você!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tais, querida amiga, que bom que gostou e na realidade veio da memória guardada de quando eu era menina. O Natal deixou de ser o símbolo de solidariedade e amor,pois a maioria nem sabe o porquê das festas.
      Um grande beijo!

      Excluir
  23. Olá Marli, grato pela visita e pelas palavras, também gostei muito de seu blog, você coloca assuntos variados e com muita opinião, forçando as pessoas à uma necessária reflexão sobre o cotidiano.
    Grande abraço, sucesso e feliz 2014, também te seguindo!

    ResponderExcluir

Em tempo de São João

Cresci vendo a fogueira ser montada, ser acesa e queimada, espetáculo que se repete todos os anos com a festa do Padroeiro do bairro São Pe...