30 de jun de 2015

Em tempo de São João

Cresci vendo a fogueira ser montada, ser acesa e queimada, espetáculo que se repete todos os anos com a festa do Padroeiro do bairro São Pedro. Neste ano, será a 80ª. fogueira a ser acesa. Aproximadamente na década de 60, meu pai tinha um caminhão Chevrolet e o Sílvio Melo, filho do seu Romualdo, possuía outro.Os dois dirigiam até o Trabuco, onde meus avós tinham um sítio, havia uma equipe de voluntários que ia junto, para lá cortarem a lenha para a fogueira, eles saiam de casa bem cedinho, levavam comida e passavam o dia no mato trabalhando, tudo acontecia nos finais de semana. Meu avô, Estácio,  fez  a doação de lenha por muitos anos. No domingo, as crianças podiam assistir de longe o trabalho, que era extremamente árduo, porém, recompensador. Meu pai tinha um armazém e ainda trabalhava como marceneiro, sua profissão, entalhava móveis com muita perfeição o que o fez, por vinte e três anos. Na época da fogueira, ele às vezes, não podia estar  junto com a equipe, pois precisava ajudar a minha mãe, no armazém, então ele mandava a comida para todos que estavam trabalhando para erguer a fogueira. As varas de eucaliptos eram compradas, mas não eram varas eram troncos enormes, como deviam ser para sustentar tão grande " Colosso". Em certa ocasião, um senhor doou as varas, eram muitas e grossas também, como o tempo estava muito chuvoso as varas ficaram por alguns dias à beira da estrada , no meio do barro. Em um sábado de muito frio e com geada, conseguiram emprestar o trator do Seu Madureira ( gerente do banco INCO), foi colocado um reboque engatado no trator, as varas( muito grossas) estavam cobertas de gelo, o trabalho durou muitas horas e quando tudo estava pronto, o dono do trator chegou e recolheu-o, porque  ele só admitia que o seu motorista usasse a máquina. É claro que tudo foi desfeito, e meu tio ( Ihor Andrukiu) me contou que a fome era desesperadora, tiveram que arrumar um caminhão e carregar tudo de novo. Já era noite, pois no inverno, o sol vai dormir mais cedo, e todos da equipe sabiam que ainda tinham que descarregar no pátio da igreja, dizem que São Pedro é muito bom, pois quando chegaram, o motorista fez uma manobra rápida,mas no lugar certo, sem ninguém mais sobre o caminhão, aí, arrebentaram-se sozinhas todas as cordas e, num segundo todas as varas estavam no chão.Contaram que todos aplaudiram agradecendo a São Pedro.
A equipe era composta por seu Osni Meyer, Seu Friedrich, Sílvio Melo,Ihor-Ivo Andrukiu, Seu Valdemar( conhecido como Piratuba), Levanir Fagundes, Pedro Celestino,Adelmo Menegasso , Carlos Drosdoski, Seu Ângelo Shwab, e meu querido pai. Tentei não esquecer nomes.
foto da fogueira do bairro São Pedro.
A fogueira começava a ser erguida e quando já estava em uma altura que não dava para alcançar, era passado uma roldana e assim puxada a madeira para cima, ela era toda reforçada com muitos arames, hoje são cabos de aço.O guindaste do batalhão sempre dava uma ajuda, certa vez foi colocado no guindaste uma vara enorme, foi fechado o gancho e começou a subir, a vara era tão alta que se tombasse pegaria muitas casas. De repente, todos perceberam que o gancho abriu, a vara ficou suspensa, o soldado que manobrava não mexeu em nada,ficou paralisado e todos pediram a São Pedro aos brados para que os ajudassem, e quando a vara começou a balançar o gancho se fechou sozinho, agradeceram de joelhos, eu acredito em milagres, mas este eu não presenciei, porém houve muitas testemunhas, até o soldado que manobrava o guindaste ficou sem fala.
Nesta época, a fogueira ganhava altura e chegou a 60 metros, dizem que passou um pouco, foi notícia no Jornal Nacional e no Fantástico.
Ah! Agora vem a peça chave, como acender a fogueira tão alta, o seu Schwab ( meu pai sempre dizia que ele sabia fazer de tudo), hoje seria o Magayver, ele criou uma peça com dois fios elétricos que ia até o topo da fogueira colocava uma resistência rodeada de místico ( não é pólvora, seria como o pó do palito de fósforo) e estopa embebida em gasolina, embaixo uma mesa com um interruptor, que era acionado pelo convidado a acender a fogueira, assim ela era acesa.
As lembranças trazem saudades, hoje por medida de segurança ela fica entre 38 e 40 metros.
Era uma grande equipe e fazia sucesso, como nos dizia Murillo Cintra de Oliveira :-" O segredo de um grande sucesso está no trabalho de uma grande equipe".
A foto tirada à noite, no exato momento em que foi acesa.


24 comentários:

  1. Puxa, nunca vi de perto uma fogueira alta assim e imagino o trabalhão .Só em uma ótima e grande equipe! Lindas recordações!Hoje tudo tão diferente! bjs, tudo de bom,chica

    ResponderExcluir
  2. Fantástico isso, nossa, nunca vi uma fogueira assim, nem de perto e nem em nenhum lugar, pois me fez ler com atenção do início ao fim, realmente, se não fosse com uma boa equipe não conseguiriam!
    Magnífica fogueira!
    Amei ler e ver minha amiga sempre muito querida!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  3. Acho tão linda fogueira, ela aquece trás alegria.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  4. Terezinha,
    Não te abandonei, você continua minha musa. Apenas estou seguindo e comentado muitos blogues ao mesmo tempo e, às vezes, me perco. Peço perdão. Em desagravo fiz este acróstico para teu post:

    Acróstico

    Tem épocas de muito trabalho duro
    E outras de festas, de brincadeiras
    Mas pra que permanecer no escuro
    Porquanto existe mês de fogueiras?

    O mês de junho tem brilho, asseguro
    Deixa animadas as pessoas festeiras
    Empenhadas num homenagear puro
    Fogueira de São João a noite inteira

    O que era alegre, hoje o é nem tanto
    Gastar madeira oriunda das florestas
    Um crime ecológico digno de pranto
    Então, como iluminar nossas festas?

    Incinerar a mata jamais, eu garanto
    Recorrer a mata plantada nos resta
    Assim um olho na lei outro no santo.

    ResponderExcluir
  5. Marli, aqui hoje a tradição das fogueiras do Santos populares se tem vindo a apagar. Uma fogueira tão alta, como a que descreves, nem parecida vi. Sou muito do tempo das fogueira, estas eram sempre obra de rapaziada nova, que aprovisionava ervas secas para o efeito. As fogueiras davam sempre agradáveis serões a saltá-las.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Das fogueiras de S. João, aqui em vias de extinção, esta supera tudo o que ja vi do género. Só para grandes entusiastas, Marli. Não conhecia.
    Bom voltar a vê-la.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  7. Das fogueiras de S. João, aqui em vias de extinção, esta supera tudo o que ja vi do género. Só para grandes entusiastas, Marli. Não conhecia.
    Bom voltar a vê-la.
    Beijinho

    ResponderExcluir
  8. Que delícia de relato, Marli!
    Na minha cidade não há tradição deste género, nem parecida, embora eu saiba que ainda perdura em muitas terras; mas, com esta dimensão, não há de certeza.
    Muito bom escrever sobre o facto!
    Bjo :)

    ResponderExcluir
  9. Uau, fiquei impressionado com o tamanho da fogueira! Olha, já passei por ocasiões assim, de ficar atolado, com fome, esperando uma solução divina! É duro! abraços

    ResponderExcluir
  10. Fantásticas memórias! A tradição começa a perder-se em alguns lugares, o que é pena...
    Beijo.

    ResponderExcluir
  11. Marli,
    nunca vi uma fogueira tão imensa e linda,amiga!
    Seu post está maravilhoso, BRAVO!!!!!!
    Bjos e lindo final de semana!
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir
  12. Querida amiga

    Quando uma fogueira
    desperta tantas lembranças,
    o São João se faz pleno
    nas ruas iluminadas
    do coração...

    Um imenso abraço.

    ResponderExcluir
  13. Bons tempos, Marli!
    Hoje até as festas juninas estão virando atrações meramente voltadas ao capitalismo, sem a pureza de antigamente!
    Grande abraço, sucesso e ótimo final de semana!

    ResponderExcluir
  14. Meu Deus, que fantástica essa fogueira! Estou encantada com essa história. Tenho certeza de que milagres existem.
    Então, há anos atrás ela chegava até 60 metros de altura? Esse deve ser um trabalho árduo, eu acredito. Uma pena que foi diminuida, mas como é para segurança, é uma boa causa.
    Um grande beijo e obrigada pela visita lá no meu blog!
    Identidade Aleatória

    O Identidade Aleatória está no facebook!

    ResponderExcluir
  15. Olá, Marli! Impressionante! Imagino como deveria ser presenciar algo assim! E você descreve com riqueza de detalhes, cita nomes, ... Maravilhoso! .. como são preciosas essas lembranças ... Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Boa tarde, recuei no tempo para lembrar-me a tradição perdida na minha cidade, onde existia muitas fogueira nos santos populares, infelizmente as mesmas acabaram em nome do que chamas de evolução.
    AG

    ResponderExcluir
  17. Belo post, Marli! Essa fogueira faria um grande sucesso aqui no Nordeste, onde o São João é a festa oficial! Bom ver você de volta, boa semana.

    ResponderExcluir
  18. Aprendi a fazer e a queimar a fogueira com o meu querido e saudoso pai, mas não tão altas assim. Belo post Marli! Lembrar os bons momentos do passado faz muito bem.

    Abraços,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  19. Olá Marli! Confesso que nunca vi fogueira tão alta. Acredito que assar milhos ou carne numa fogueira como essa, só mesmo no ano seguinte, tempo em que ela fica rente ao chão. Rsrs.

    Abraços e muita saúde e paz para ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
  20. Marli, acho que muitas pessoas fizeram essa volta ao passado com você, principalmente quem viveu parte de sua vida no campo, como ocorreu comigo.
    Um bela visita a esses tempos inesquecíveis.
    Abraço.

    ResponderExcluir
  21. Psiuuuuuuuuuuuuuuuuu olha o spam chegando ai kkkkkkkkkkkkkkkkk pois é estou passando no copia e cola só para te lembrar que começou hoje o 10º Pena de Ouro e tu faz parte desta brincadeira. Chame os amigos e os amigos dos amigos para votar. Beijos no coração. E vamos poetisar!!!

    http://ostra-da-poesia.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Boa tarde querida Marli...
    belissima... lembro de somente duas e quando era bem pequeno..
    mas jamais uma deste tamanho..
    com a ajuda de todos tudo pode ser incrivelmente lindo...
    uma bela postagem...
    desculpe a ausencia.. estive fora da net mas aos poucos vou voltando.. bjs e feliz sempre

    ResponderExcluir
  23. Olá, Marli, boa noite, belo , detalhado e emocionante relato...achei muito bonito também, não esquecer nomes... aqueles que sempre moraram nos grandes centros não compreendem a força dessa tradição e ,inclusive, a "confecção" das famosas fogueiras de São João, um dos grandes símbolos das festas juninas...que ,inclusive, faz parte da tradição de algumas famílias ... e é verdade, precisamos aprender a trabalhar em equipe, (e pelo relato, até com a paricipação de São Pedro) para maximizar o potencial de cada pessoa, para termos mais chances reais de alcançar objetivos que, isoladamente, não seriam alcançados ou seriam de forma mais trabalhosa ...agradecido pelo carinho, feliz semana,belos dias,beijos!

    ResponderExcluir
  24. Olá Marli, demorei mas cheguei rs!

    Muito obrigada pela vista, uma honra sempre!

    Quanto a fogueira, assim na vertical eu nunca havia visto, mas no interior até hj ainda existe essa tradição,a fogueira de joão, ainda se mantem de pé, espero que nunca acabe nossa linda e rica tradição!bjos e obrigada!

    ResponderExcluir

Sejamos o milagre

Costumo dizer que nunca um filme é 100% perdido, mesmo aqueles que não caem em nosso gosto artístico por completo. Sempre há possibilidad...