21 de jun de 2015

O mal necessário

Ontem constatei o que muitos já me falaram , filmes bons passam na madrugada, e foi o que aconteceu na madrugada de ontem. 
Assisti a um filme que nos mostra como seriam as pessoas e suas rotinas caso a mentira não existisse. Todas as personagens falam apenas a verdade, e muitas vezes, são sinceras até demais. Observando diálogos e atitudes, fiquei pensando até onde a verdade, a sinceridade faz bem às pessoas. Percebi o que a verdade causava às pessoas, digo que ela não faz tão bem assim... já me perguntei sobre a sinceridade, muitas vezes ela chega a magoar a pessoa a quem é dirigida. No filme, isso ficou explícito, quando um dos personagens, não aguentando mais as verdades ditas sobre a sua vida frustrada, comunica a um vizinho que tentará se matar até o fim do dia. É perceptível que, num primeiro momento, o vizinho cheio de problemas, não se importou muito com o que acabara de ouvir, mas por um momento, num click de consciência, ele mentiu. Disse àquele estranho que ele era muito importante sim. E o futuro daquele rapaz sem esperança foi reescrito. Quando a mentira vem para ajudar, vem para fazer o bem, vem para evitar um ato desesperado, ela vale a pena, e no filme foi feita a dosagem correta. A mentira, no filme não veio para denegrir, humilhar ou prejudicar alguém. Ela foi usada no momento certo, nem sempre a pessoa precisa ouvir a verdade, há situações que a omissão dessa verdade fará bem a ela. É preciso saber a dose, é preciso saber quando usar. Há pessoas que simplesmente não estão prontas para ouvir, ou não querem ouvir. Na maioria das vezes, sabemos qual a real situação em que nos encontramos e perguntamos algo justamente para ouvir o contrário, algo que maquie um pouco, para que nos sintamos melhores, menos desconfortáveis, para que, de uma forma estranha, a coragem apareça para enfrentarmos a vida. 
Sim, às vezes, mentir faz bem!

Segue um trecho do filme ( O primeiro mentiroso ): 


16 comentários:

  1. Muito bem! belo texto repleto de verdades
    Costuma-se dizer que, a verdade dói! é verdade... por vezes prefere-se viver na incerteza, não sei o que é melhor!
    Gostei de ler... Não sou de ver filmes, embora goste de alguns.

    beijos
    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  2. Amiga Marli, algumas vezes podemos mentir de forma caridosa, pois a verdade muitas vezes dói mesmo!
    Acho que se pode ajudar pessoas a quem sabe encontrar a sua verdade, né mesmo?
    Muito bom assistir filmes que fazem refletir, me distraem e ao mesmo tempo aprendo!
    Gostei de ler por aqui!
    Abraços linda amiga!

    ResponderExcluir
  3. Oi, Marli! Bem, penso que nem tudo deve ser dito, tem o momento de omitir. Mas sou contra o que o médico fez; pra quê? Deixaria a pobre velhinha mais confortável? Bem ao contrário, achei de uma maldade enorme. Naquele momento deveria 'entrar' a compaixão. Poderia até dizer ao filho, mas não a ela. Verdades são relativas. Por muitas vezes, quando pedi a opinião de alguém, sobre qualquer bobagem, a primeira coisa que escuto é: "olha, Tais, vou ser muito franca..." Mas não seja tão franca, pedi apenas uma opinião! Senti, no momento, que a criatura queria me crucificar numa cruz. E acabei com a franqueza dela em dois toques. Perdi a paciência. Certas verdades podem ofender, e muito!
    Grande beijo, amiga.

    ResponderExcluir
  4. Deve ser muito bom o filme e faz refletir.Acredito que há casos em que falar a verdade pode apenas piorar, se a pessoa encontra-se em caso vulnerável... Lindo e reflexivo post! bjs, ótima semana,chica

    ResponderExcluir
  5. Seja sempre bem vinda! Nos, os contadores de ilusões, temos à mãos, também, a verdade como pano de fundo. Muitas vezes não dizemos mesmo, por medo de ofender né! Mas é algo complexo, acho! abração

    ResponderExcluir
  6. Bom dia querida Marli... tem filmes que nos passam algo muito belo..
    tudo tem seu momento.. e muitos de nós as vezes deixamos algo no ar que pode ajudar sim..
    muitas vezes não conseguimos ajudar pq as pessoas só querem ouvir coisas boas.. se vc disser algumas verdades se doem..
    o ser humano não é fácil de se lidar..
    e temos de cuidar para não interferir na vida de outros.. pois gera carma.. se gera bjs e feliz sempre

    ResponderExcluir
  7. Eu gostei muito deste filme, sinceridade demais mata né?

    bjokas e feliz com seu retorno =)

    ResponderExcluir
  8. Verdade sempre será sinceridade....acredito que seja melhor beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  9. Marli, temos de convir que as chamadas "mentiras piedosas" são meritórias, se as soubermos usar. Com a faculdade que a idade nos confere, pelo menos, quando preciso as devemos mesmo usar. Pensando assim, em momentos específicos, procuro saber mentir. Afora isso, a palavra mentira, não está no meu léxico, só a omissão.
    Beijos

    ResponderExcluir
  10. Saber medir mas o ser humano é complicado.... Saber escolher.... Saber mentir.... Beijo Lisette.

    ResponderExcluir
  11. Amiga tem verdade que muitas vezes preferia nunca ter ouvido,
    outras que daria tudo para não ter vivido.
    Por estar por uns dias afastada quando posso sento aqui e procuro passar nos blogs ,
    que sempre foram amigos de verdade.
    E vc sempre foi uma pessoa amiga e companheira.
    Meu afastamento é pelo motivo da ausência fiz a poucos dias a cirurgia ,
    q em 2014 sai do centro cirúrgico cheia de ematomas e a médica me mandar para casa sem fazer a cirurgia.
    Estou aos poucos me recuperando é sempre uma fase dolorosa .
    Amiga para mim a pior mentira é aquela inventada que denigre
    a imagem das pessoas.
    Com certeza muitas vezes ´é preferivel a meia verdade quando
    verdade é muito dura nem sempre conseguimos falar.
    Um beijo amiga querida.
    Deus lhe abençoe sempre.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  12. Oi, não conheço o filme, mas creio que a verdade sempre deve prevalecer.
    Parabéns pelo blog. Bjs

    ResponderExcluir
  13. Marli, se todos só falassem a verdade, o caos no mundo seria pior do que o já existente. Há coisas que não precisam ser ditas, sentimentos que não precisam ser revelados. Precisamos ter sensibilidade para lidar com a verdade. Creio que, se nos omitimos para não machucar, não estamos sendo desonestos. Os atos têm consequências e precisam ser avaliados. A verdade pode ser inoportuna e destruir alguém. Bjs.

    ResponderExcluir
  14. O ser humano é uma caixa de surpresas amiga Marli. Olá minha querida, vim aqui para te convidar a participar da 10ª Edição do Pena de Ouro seja de qual forma for, com uma poesia ou votando quando a brincadeira começar, o que importa é sentir teu perfume invadindo o Ostra da Poesia. Este é um convite spam, mas saibas que o desejo de te vê no Ostra é verdadeiro. Beijos no coração. http://ilha-da-lindalva.blogspot.com.br ****** http://ostra-da-poesia.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  15. Olá amiga, passo para lhe desejar uma excelente semana... Tudo de bom para si.

    Beijinhos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  16. Marli: hoje ao vir ler a tua postagem recente, verifiquei que não ficou o meu comentário a esta (lembro-me que surgiu um problema, penso que do género "Blog temporariamente indisponível) mas voltei a comentar. Em todo o caso, deixo aqui o meu pensamento, embora muito mais sucinto.
    Quanto à hora de passar os bons filmes, também por cá se passa o mesmo.
    Quanto ao essencial da texto (de que gostei muito), direi que também assim penso (sempre tive muito cuidado com a forma como comunico com os outros). Há sempre tempo para dizer o que é menos bom e há momentos em que uma palavra, mesmo que forçada, opera milagres.
    BJO, amiga :)

    ResponderExcluir

O Voar do Tempo

Bola de gude, amarelinha, bets, pega-pega, brincadeiras que fizeram parte da infância de inúmeras gerações e, hoje soam como lendas para ...