4 de nov de 2015

Morrer e nascer

Morte, assunto difícil de ser abordado, mesmo sabendo que a qualquer minuto, hora, dia ou mês ela virá nos levar. Podemos fazer uma analogia com o nosso nascimento, quando ficamos por nove meses no útero de nossa mãe, que é um lugar quietinho, quentinho, literalmente, um ninho onde recebemos alimento na hora certa e cuidados necessários para a nossa sobrevivência futura.É o nosso mundo, o único que conhecemos, é repleto de boas e únicas experiências. Passado o tempo, o corpo da mamãe se prepara e nos ajuda a sairmos ou melhor somos expulsos, levados para fora sem ao menos sermos questionados sobre a nossa vontade em  ali,permanecer, no aconchego do nosso único e conhecido mundo.De repente, nos vemos em um lugar barulhento, repleto de luz, dor pelas palmadas, e o choro é o que nos resta.
Passado algum tempo nos sentimos acarinhados pelo papai e mamãe, que nos dá o seio e nos descortina aos poucos todas as surpresas que prepararam para nos receber. Claro, que estamos falando em uma família estruturada, e um lar, então aquele mundo que foi só nosso, (útero),o qual pensávamos ser o único , onde tínhamos tudo acaba sendo esquecido, nem cogitamos para lá voltar.Semelhante, a morte nos leva sem nos questionar, ela ainda é tida como um tabu, muitos já foram vencidos, porém a "Morte", ainda traz grande mistério e medo. As crianças são poupadas em velórios, os pais as querem longe dos que morrem, nem conseguem dizer seu adeus, porém se elas fossem acostumadas aos velórios, entenderiam melhor o significado de " está junto de Jesus".
Certamente, se fôssemos questionados, indagados, na hora da morte, provavelmente, não deixaríamos esta vida, por pensar ou não saber o que encontraremos do outro lado, mas se papai e mamãe, aqui, na Terra,nos proporcionaram um mundo bom, (dentro de suas possibilidades), não há dúvidas de que Deus Criador, nos dará no mundo espiritual,todas as dádivas de que somos merecedores, pois o Mestre Divino, nos prometeu uma vida de acordo com nossas obras , por isso, o nascer é uma analogia do morrer.

9 comentários:

  1. Muito boa dissertação sobre nascer e morrer.
    Nunca fui poupada de saber o que é morte, nem poupei meus filhos dessa realidade, mesmo porque eu sempre tive dons mediúnicos desde criança, precisei aprender o que é viver e morrer.
    Claro que é difícil encarar essa realidade, mas é preciso encarar, acho até que se falar em morte de forma natural sempre nos dá mais leveza.
    Abraços amiga Marli!

    ResponderExcluir
  2. LINDO E TRISTE TEXTO!! É A LEI DA VIDA.
    beijinhos

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  3. Lindo Texto Marli e temos que aceitar.
    Para quem acredita em outras vidas,sabemos que seremos merecedores dependendo das nossas obras.
    Bjs com carinho.
    Carmen Lúcia.

    ResponderExcluir
  4. Nunca estamos preparados para morte, e ela sempre traz saudades e muita dor, ao contrário o nascimento sempre é regado de expectativas e de um novo começo.

    bjokas =)

    ResponderExcluir
  5. Amiga Querida.
    Falar sobre a morte é sempre muito triste independente
    da religião a separação de qualquer forma é sempre doida.
    Amada estou bem triste e machucada depois da cirurgia veio
    um certo alivio mas acompanhado de uma depressão que não gostaria
    de ter e muito menos ter q passar por isso.
    minha amiga teve bastante pessoa me apoiando orando
    por mim nada estava fácil .Eu tive vontade de sumir com meus blogs
    apagar da mente que um dia tive blog.Mas,pensei muito que tem pessoa que realmente tem muito carinho por mim.O dia que encontrei seu blog me encantei com sua pessoa tanto carinho e gentileza comigo.E tem outros também me acompanhando a quase onze anos.Foi onde percebi os valores de cada um e quanto ia deixar amargurado comigo.Fui ficando só Deus para me separar das pessoas querida como vc é uma delas.Hoje também faz cinco dias que perdemos uma pessoa muito querida da nossa família Deus sabe de todos as coisas.Amiga perdoe o desabafo. deus abençoe vc com muita saúde paz e amor.
    Sua amiga..Evanir.

    ResponderExcluir
  6. Não gostamos de pensar na morte, mas ela faz parte da vida. Excelente texto.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Querida amiga Marli

    Perdoe-me a ausência.
    Final de ano, para quem ensina
    o tempo fica curto,
    mas estamos sempre visitando
    espaços preciosos que nos fazem tão bem.

    Gostaria de convidá-la a visitar o meu blog
    www.sonhosdeumprofessor.blogspot.com
    onde postei uma entrevista que fiz recentemente
    e que está sendo vinculada na mídia de Fortaleza.

    É também uma forma de entender a forma
    que penso a Educação que acredito
    e a qual dedico a minha vida.

    Um imenso abraço.

    Aluísio Cavalcante Jr.

    ResponderExcluir
  8. Marli, a morte é o que temos de mais certo, Costuma dizer-se que o temos de mais certo é o nascer e morrer. O teu interessante texto vem lembrar que nascer não é certo. De qualquer modo, a morte é sempre constrangimento para os que ficam.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Uma coincidência ter vindo ao teu espaço hoje. Acabei de divulguei um texto no meu blogue que escrevi no dia dos finados.
    A morte, sendo apenas a última etapa da nossa existência, devia ser encarada com naturalidade.
    Gostei desta reflexão, Marli.
    Bjo, querida :)

    ResponderExcluir

Em tempo de São João

Cresci vendo a fogueira ser montada, ser acesa e queimada, espetáculo que se repete todos os anos com a festa do Padroeiro do bairro São Pe...