28 de abr de 2018

Rir ou Chorar


   Há muitos fatos em nossas vidas, que nos levam a sentir tristeza, porém outros acabam nos fazendo rir, mesmo não sendo a intenção.

 Era finzinho de tarde, coletivos passavam apressados e lotados, Dona Cida, falava:

 - Gente, preciso pegar o próximo ônibus, porque quero escapar da chuva, e
ainda tenho um longo caminho até minha casa. Havia muitas pessoas nas mesmas condições que ela, o silêncio era assustador, mas ninguém ousava comentar nada, pois o cansaço era visível em todos os rostos, alguns olhavam fixamente para o chão, outros verificavam os coletivos que se aproximavam, na esperança de que parassem para que todos pudessem ir para suas casas. Nenhum parava, todos lotados, o condutor só fazia um leve aceno com a cabeça, confirmando a lotação.
  Dona Cida, estava revoltada e começou a xingar em voz alta. Falava até o que não devia, dava pequenos pulinhos demonstrando a sua indignação contra o serviço dos coletivos, pois ela jamais conseguira chegar em tempo para jantar com a filha, que a esperava saudosa.
 Cida, bateu tanto, e com tanta força, a sua sombrinha, no banco, que a quebrou ao meio.
 De repente, um senhor levantou-se irritado e passou um sermão nela.

Foi uma péssima ideia, pois a mulher descarregou a raiva incontida sobre o pobre senhor. Ele ficou sem ação e sem argumentos, pois ela nem deu chance para ele continuar. Os demais passageiros que esperavam pelo ônibus, se posicionaram em fila para o acesso, no próximo ônibus que se aproximava, a mulher tão preocupada em reclamar não percebeu a chegada dele. Quando viu era tarde, pois o ônibus estava lotado e fechara as portas. Cida tentou atirar uma pedra contra o coletivo, mas o impulso mal dado, fez com que a pedra caísse logo adiante. O ato agressivo foi criticado pelas pessoas, que faziam nova fila para embarcarem no próximo ônibus, a maioria das pessoas ignorava a tal senhora, que mais parecia uma louca desvairada, estava visivelmente estressada pela correria da vida diária, digna de pena, e tantos e tantos passam pelo mesmo dilema. Notamos que as pessoas reagem de maneiras diversas, enquanto Cida mostrava-se agitada e descontrolada outras pessoas ficavam caladas, introspectivas, remoendo seus pensamentos, lendo ou falando ao celular.

 Passavam os ônibus de todas as linhas, dona Cida mais calma, percebeu que precisava ficar atenta para embarcar no próximo ônibus. A fila era extensa, ela ficara quase no final, pois sua inquietação fizera com que perdesse um lugar mais à frente.
  Calou-se e seguiu para entrar no ônibus, percebeu que nem todos conseguiriam seguir viagem, pois o ônibus já vinha lotado, ela ficou posicionada de maneira que quando as portas se abriram ela conseguiu entrar, passando na frente de todos, o coletivo seguiu, mas a bolsa dela ficou pendurada fora da porta.
 Os gritos eram uníssonos:
 -A bolsa! Olha a bolsa! Oh, dona, olhe a bolsa!

 Infelizmente, a bolsa viajou assim, até a última parada do ônibus.

10 comentários:

  1. rssssssssssssssssss...Tive que rir,apesar de ser uma situação triste...bjs, chica

    ResponderExcluir
  2. Se fosse Cida a ficar de fora...

    ResponderExcluir
  3. É claro que estava a ver a bolsa dentro e a Cida dependurada pela alça e a espernear...
    -:)

    Beijos do Porto.

    ResponderExcluir
  4. Pois é amiga Marli, o estresse do dia-a-dia que está cada vez mais deixando pessoas perderem o controle!
    Conto para chorar, mas faz rir, que fazer?
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
  5. Marli
    A história da Dona Cida é bem o paradigma de que os problemas, em si, não devem preocupar, gastando energias, apenas tentar resolvê-los da melhor maneira ao nosso alcance. Além do mais, devia reparar que vociferando estava a incomodar muita gente... Gente possivelmente, com os mesmos problemas, mas aguardando paciente. Eis uma falta de solidariedade.
    Grato pelo comentário no meu post.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. É realmente uma situação complicada, mas que ainda dá para rir!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  7. Coitada da Dona Cida... A vida tem que ser levada com paciência... Realmente tanto dá para rir como para chorar...
    Uma boa semana, Amiga.
    Um beijo.

    ResponderExcluir
  8. A irritação é inconsequente, já que não é por isso que o acesso ao ónibus é mais rápido... Em qualquer caso, é uma reacção humana e, até certo ponto, compreensível.
    Gostei imenso da sua crónica, parabéns.
    Bom fim de semana, amiga Marli.
    Beijo.

    ResponderExcluir

A velhice nos torna conscientes ou covardes?

Imagem da Internet Ouvindo Lendro Karnal falar sobre o tema “A Consciência nos torna covardes”. Em sua fala sempre muito filosófica...