11 de dez de 2010

Bye bye Mariah Carey



Peço licença aos meus amigos e amigas mais uma vez.
Dedico esse vídeo à minha mãe.
Amor esse que se foi cedo demais, mas não podemos indagar o porquê de Deus.
Apenas sentir...
E eu sinto muitas saudades, mãe.
Queria pegar em sua mão agora, como quando criança, e sair por aí olhando as lojas, procurando uma roupa bonita que você gostasse.
Queria poder beijar seu rosto ainda que mais uma vez, olhar em seus olhos, e dizer o quanto a amo.
Olhar de canto no espelho do seu quarto e a ver dormir ainda com os óculos.
Esperar o telefone tocar e ouvir sua voz me chamando para jantar com você.
Esta música se encaixa em minha vida, como creio que se encaixa na vida de muitos que seguem meu blog.
Como quando seu neto se casou, e você não pode estar presente para vê-lo...
Ou quando sua neta conseguiu tirar a carteira...
Ou até mesmo o primeiro sorriso da sua bisneta ao ver o bisavô.
Eu já ouvi muito a frase '' ela está em um lugar melhor'', mas meu egoísmo me faz crer que seu lugar era ao meu lado e da nossa família.
Mas como já disse: Deus tem seus motivos.
Catarina Mateus Andrucho, grande mulher, grande mãe, grande avó, grande esposa.
Meu orgulho, meu exemplo, meu eterno amor.

6 comentários:

  1. Peço-lhe licença cara Marli para fazer minhas as suas palavras, também tenho o mesmo sentimento pela minha amada mãe, Alcione Maria de Castilho Gonçalves, ela foi cedo demais mas o legado ficou impregnado em mim, assim como o amor - saudades dessas mulheres maravilhosas e que nos fazem tanta falta! Parabéns mais uma vez pelo texto. Bjus.

    ResponderExcluir
  2. Apareça lá sempre que quiser ler mais poesia. Eu mesmo só não apareço mais por aqui por falta de tempo, mas acho que isso é um problema de todos. Ótima semana para você.

    ResponderExcluir
  3. Andrea,você sempre me acompanhando,mesmo distante de nossa bela cidade.Você nem precisa pedir permissão,pois o espaço sempre será seu também e,aqui artista tem passe livre.Realmente lembro bem da Alcione,nossas mães foram morar em outro lugar,você sabe o que é a saudade de tê-la mais um pouquinho conosco,mas enfim,elas foram na frente para nos aguardar com seus belos sorrisos.Andrea,um grande beijo e obrigada por partilhar seu sentimento comigo.Tenha um ótimo final de domingo.

    ResponderExcluir
  4. Fred,tenho ido sim em seu blog para ler,quase postei um poema seu,mas fiquei sem saber,mas seria com teus créditos.Obrigada e um grande beijo!

    ResponderExcluir
  5. Amiga, vim parar aqui através do blog da Sueli. Seu texto me deu um nó, mexeu com sentimentos que tento administrar... Foi meu pai; foi minha mãe... Penso que seu texto se encaixa em todas nós que tínhamos em nossas mães as companheiras ideais para ir aos shoppings, passar uma tarde inteira sem precisarmos ir a lugar algum, apenas ficarmos ao seu lado, batendo papo ou muitas vezes fazendo algo que elas não mais conseguiam.
    Fica aqui meu abraço. Acho que não li algo que me batesse assim, na WEB.

    tais luso

    ResponderExcluir
  6. Tais,que bom tê-la aqui compartilhando algo tão triste,mas tão real,a morte de uma pessoa muito especial,nossa amada mãe.Pense Tais, que elas estão arrumando,organizando,deixando tudo tranquilo para quando formos encontrá-las.E´difícil sim, mas vamos vivendo cada dia um pouco mais perto de revê-las.Um grande abraço, minha querida e fique com Deus!

    ResponderExcluir

Em tempo de São João

Cresci vendo a fogueira ser montada, ser acesa e queimada, espetáculo que se repete todos os anos com a festa do Padroeiro do bairro São Pe...