26 de dez de 2010

Meus Oito Anos

9 comentários:

  1. Muito lindo! Coisas que só o coração sabe fazer. Acho encantador esta forma de declamar.
    Não me canso de ouvir Vinicius de Moraes, Orfeu e tantas... Tem noites que me arrasto horas com com estas vozes espraiando os meus ouvidos,só durmo quando a cachoeira se cansa, e então, o mundo se cala, e eu aproveito e descanso!

    ResponderExcluir
  2. José Vitor,que alegria ler você aqui em meu espaço.Palavras lindas e poéticas,realmente nos fazem bem ouvir declamações de homens sensìveis e amáveis como você.Um grande abraço,e volte sempre.

    ResponderExcluir
  3. Passei aqui lendo. Vim lhe desejar um Tempo agradável, Harmonioso e com Sabedoria. Nenhuma pessoa indicou-me ou chamou-me aqui. Gostei do que vi e li. Por isso, estou lhe convidando a visitar o meu blog. Muito Simplório por sinal. Mas, dinâmico e autêntico. E se possivel, seguirmos juntos por eles. Estarei lá, muito grato esperando por você. Um abraço e fique com DEUS.

    http://josemariacostaescreveu.blogspot.com

    ResponderExcluir
  4. Marli,

    Feliz Natal atrasado e feliz 2011 antecipado!

    Gostaria de ter mais tempo para me perder/encontrar nas postagens daqui, mas por hora passo 'apenas' para lhe desejar felicidades. Depois volto como leitor faminto.

    Abraços,
    Caju.

    ResponderExcluir
  5. Marli, querida, faz alguns anos que ouvi esse poema declamado pelo Paulo numa rádio... Que coisa emocionante, que interpretação, que voz! Vem lá do fundo da alma... E carregada de sentimento.

    Um grande beijo.
    tais luso

    ResponderExcluir
  6. José Maria,que surpresa sua visita,seja sempre bem vindo,belas palavras me deixam feliz...obrigada,vou visitar você e segui-lo também.Tenha um feliz e bom Ano Novo! Abraço

    ResponderExcluir
  7. Fred Caju,que bom você em meu blog, já havia sentido sua ausência,volte mais vezes.Desejo a você um Ano Novo repleto de felicidades e muito amor.Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  8. Tais,minha querida amiga,realmente o poema é belo,pois lembra a todos uma infância que não volta,eu me emociono sempre com este poema.Tais,obrigada pela visita,aproveito para desejar a você e família um Ano Novo muito abençoado.

    ResponderExcluir
  9. Minha infância,minha infância...Professora,vc costuma ainda buscar textos maravilhosos que nos faz derramar algumas lágrimas sem querer,mas também são lágrimas de saudade...de um tempo que ñ volta mais.Vc,profesora,lembro bem,sempre começava a aula com um belo poema,com o qual nos fazia refletir para conhecer o sabor das palavras que tocam nosso coração.Continuas sendo a professora das belas poesias,dos grandes poetas,que saudades.Um abraço e,que Deus a tenha sempre sob sua guarda.
    Sebastião.

    ResponderExcluir

Em tempo de São João

Cresci vendo a fogueira ser montada, ser acesa e queimada, espetáculo que se repete todos os anos com a festa do Padroeiro do bairro São Pe...