14 de mar de 2011

Cine Brasil - Bruna Surfistinha

Estreou nos cinemas do Brasil o filme que conta a história de Raquel Pacheco, para os que ainda não se familiarizaram com o nome, darei seu codinome: Bruna Surfistinha.

Posso estar com esse post fomentando o desejo inconsciente de homens e mulheres em assisti-la, até mesmo incentivando a compra do livro que deu base a tudo isso, mas preciso dividir algo com vocês, meus amigos.
Não estou aqui para julgar as atitudes dessa jovem, ex-prostituta, ex-drogada, escritora e ‘’blogueira’’.
Estou aqui para que vocês me ajudem a entender como um filme que tem palavrões, sexo, drogas e nenhum valor de coisa alguma atraiu mais de 1 milhão de espectadores?
Lembro-me hoje do livro que foi febre mundial na década de 80: Cristiane F., 14 anos, drogada e prostituída.
O livro foi feito após dois anos de depoimentos da própria Cristiane para seus autores, e, ainda hoje, é um livro que dá certo, assim como seu filme pós-literatura. Alguma semelhança com Bruna Surfistinha não é mera coincidência.
Confesso que não fui ao cinema assistir ao filme de Bruna Surfistinha, estreado por Debora Secco, mas perguntei a algumas pessoas que foram o que acharam do mesmo, e as respostas foram parecidas: ‘’É’’, ou ‘’Nossa!’’, ou ‘’Sei lá, é legal’’.

Respostas vagas, para um filme que não agrega e não desagrega, visto que hoje se torna tão comum em nossas programações televisivas, conforme já conversamos em meu post sobre a televisão.
Fui atrás de informações sobre a senhorita Bruna, queria achar o tal ‘’mel’’ que essa moça tem para render tanto. Descobri que na sua última entrevista, antes do lançamento do filme, dado à Marília Gabriela ela disse algumas frases que me deixaram perplexa pela facilidade em falar de sexo hoje: ‘’Eu uno o útil ao agradável, eu queria ganhar dinheiro e gosto de fazer sexo’’.
Não sou dessa época, não da época em que o sexo era tão exposto como é hoje, ainda estou me adaptando, mas penso que no íntimo, no subconsciente o que meus conhecidos e amigos quiseram me dizer quando os indaguei sobre o que acharam do filme era algo como: ‘’Eu adorei, usarei tais dicas ainda hoje com minha esposa’’, um pouco de Kama Sutra para o casamento ou namoro quebra a rotina e rejuvenesce.
Não há outra explicação: brasileiro gosta sim de sexo, e muito. E a Bruna Surfistinha tem o material completo que as pessoas buscam: é bonita, jovem e sem vergonha alguma para contar suas poses e inovações na cama.
Não escrevo aqui para chocá-los, penso que o falar em sexo ainda cause alguma reação não esperada em um grupo limitado, mas creio que o mistério esteja desvendado de tamanha bilheteria nacional, anteriormente quebrada apenas por Tropa de Elite 2.

Mariane Boldori



20 comentários:

  1. Costumo dizer amiga que o país tem a cultura que o povo merece ....
    E por que está triste?
    Que foi?
    Passando por aqui para te deixar um ramo de alfazema que acabei de colher em nossos jardins aqui do CASA!
    Obrigada por me dar o seu melhor desde sempre.
    Da vizinha caipira metida a escritora.

    ResponderExcluir
  2. Marli, o texto está impecável amiga e quem sou eu para dar "pitaco" como dizem as meninas por ai...
    Barbaro!Parabéns! bj

    ResponderExcluir
  3. Olá amiga da Casa Decorada,que meiga veio me visitar e também me consolar.Obrigada por tanta presença.Que bom que você existe.Obrigada pelas flores e também pelo seu comentário sempre muito rico para mim,volte sempre .Um grande beijo em seu coração.

    ResponderExcluir
  4. Marli, obrigado pela visita. Infelizmente as pessoas gostam de porcarias, o BBB tá aí...e muitas baixarias mais. Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Zatonio,tem razão,inclusive tem uma postagem sobre o assunto.Fazer o quê?
    Obrigada pela retribuição! Beijos!

    ResponderExcluir
  6. Oi, Marli,

    adorei a visita!
    Li seu post, muito bom, compartilho de suas ideias.
    Sexo é sagrado, e não pode ser banalizado.
    Tantas banalizações hoje, não é?
    Inclusive a banalização do mal.

    Bjs

    ResponderExcluir
  7. Oi, Marli.
    Infelizmente, "é disso que o povo gosta. É isso que o povo quer".
    Obrigada por sua visita e pelo abraço pelo dia da mulher. Estou aqui, apesar de atrasadíssima, retribuindo esse abraço com muito carinho.
    Bjos ;)

    ResponderExcluir
  8. ELiane,obrigada pela maravilhosa visita.Gostei muito do seu comentário e concordo com vc.Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  9. Olá Suzy,que bom que veio e deixou seu comentário tão rico para este espaço.Volte sempre.Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  10. Olá, amiga Marli, obrigada pela sua visita, adoro ler suas considerações são sempre um motivo para continuar mais e mais, quanto ao filme,não assisti e também não li o livro, mas levando em consideração pelo que escreveu, no meu entender o povo brasileiro é movido pela curiosidade,na decada de 80 quanto o livro foi lançado ainda persistia um certo pudor em relaçao a esses temas, nesse sentido lançar um livro que falasse abertamente sobre esses assuntos moveu uma enorme onda de curiosidade, e ver isso retratado em atos no cinema, é lógico que da bilheteria. Afinal curiosidade move montanhas.... bjs

    ResponderExcluir
  11. Marli minha querida, assim como você, eu não estou criticando o filme, mas também não entendo como filmes assim atraem tantas pessoas, e olha que os filmes nacionais tem me deixado bem entusiasmada, mas alguns, nem sei o que comentar viu???

    Com tantas exposições desnecessárias, daqui a pouco estaremos achando tudo muito normal...Será? rs

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Querida Marli!

    Prefiro acreditar que a Bruna Surfistinha é uma personagem criada para uma grande jogada de marteking! Pois, estourou em vendas de livros e agora a bilheteria do cinema.
    Se, reais ou não, ambas são deploráveis, cultura inútil de valores!
    Grata e atrasada! Feliz Dia da Mulher.
    Que você continua sendo sempre essa linda Mulher!

    Beijos

    ResponderExcluir
  14. Simples: homens vão para ver a Deborah Secco peladona e as adolescentes para verem se podem seguir a vida fácil nos coitos dessa nação varonil.
    Parabéns à lei de incentivo cultural por mais um filme legitimamente brasileiro.
    A sorte da senhorita Bruna com o filme é que, dessa vez, quem roda a bolsinha não é ela.

    ResponderExcluir
  15. Mariane,obrigada pela sua visita a este espaço que também lhe pertence.Realmente,um filme que nos dá a certeza de que os valores morais mudaram,e muito.Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  16. Querida Guímel,obrigada pelo seu comentário,como já disse há uma inversão de valores,infelizmente temos que usar mais palavras junto a exemplos para que nossos jovens não sintam que a vida e o dinheiro jorram tão fáceis.Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  17. Querida Loivarice,obrigada pela visita e pelo rico comentário.Gostei muito do que deixou registrado sobre a postagem.Volte sempre.Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  18. Janaina querida, que bom receber sua visita e juntamente a um comentário riquíssimo.Meu espaço fica muito mais inteligente.Volte sempre.Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  19. Excellent post I must say.. Simple but yet interesting and engaging.. Keep up the awesome work!

    online pharmacy

    ResponderExcluir
  20. Marli Boldori2/4/11 18:54

    Zodamere...

    Thank you very much for your visit and i hope to come back more often, always seek improve for you, my old and new friends. Hugs!

    ResponderExcluir

O Voar do Tempo

Bola de gude, amarelinha, bets, pega-pega, brincadeiras que fizeram parte da infância de inúmeras gerações e, hoje soam como lendas para ...