17 de ago de 2014

O último adeus

Por uma distração de Deus, talvez, pudemos acompanhar nos noticiários a morte de algumas celebridades. Não por serem celebridades, apenas, mas pelo bem que elas faziam.
Uma das mortes que mais me afetou foi a do ator Robin Willians, não desmereço as outras, mas por eu ser cinéfila, senti que perdi um amigo que me alegrava e me emocionava nas telas.
Fico aqui pensando, sem julgar, mas não consigo achar respostas para a morte tão prematura de Robin. Um ator tão carismático, um ser humano fantástico. Em algumas das histórias que falam a seu respeito está a de uma menina com câncer em fase terminal. O sonho dela era conhecer Robin. Quando ele soube, sem pensar duas vezes, cancelou toda sua agenda, pegou o primeiro avião e foi até ela. 
Pessoas boas não deveriam morrer, não tão cedo.
Não sou médica, mas já li em vários artigos que a depressão é considerada doença e deve ser tratada. Além do problema com o alcoolismo, ao qual Robin estava, aos poucos, se desvencilhando, a depressão abocanhou sua alma sem piedade. E, a única saída que ele viu foi a morte.
O final que Robin teve, que me pegou de surpresa, e pegou a milhares de outras pessoas, fãs ou não, fazem-me pensar  se não havia ninguém ao lado dele que pudesse pegar em sua mão e dizer: eu estou aqui, meu amigo, com você, não desista.
Deus estava com ele, com certeza mandou anjos para protegerem, mas, no momento da angústia e tristeza, ele não percebeu. Muitas vezes Deus precisa materializar Seu amor e cuidado, para que as pessoas não cometam atos cruéis contra si próprias.
Se eu pudesse falar com Robin, hoje, eu diria apenas: venha aqui meu amigo, você precisa de um abraço. Você é muito amado por milhares de pessoas e precisamos da sua alegria nas telas, da sua sensibilidade como artista. Por favor, não nos deixe. Sim, eu acredito que o amor ou a ausência dele causa doenças.
Mas Robin se foi, assim como muitos outros... e assim como muitos outros irão. 

Puro egoísmo, mas eu não estou pronta para ver quem eu amo ou admiro partir. Pensar que nunca mais os verei ou tocarei ou falarei com eles, dói.
É fato que você começa a morrer no dia em que nasce e que tudo tem seu tempo para começar e acabar. Mas eu não apreendi a aceitar a perda, talvez por imaturidade espiritual, mas eu não aceito que pessoas boas saiam da minha vida, desse mundo deixando um espaço vazio jamais preenchido.
Talvez, a única explicação que consola o meu coração, nesse momento, é que Deus precisa de pessoas boas ao Seu lado para ajudá-Lo a cuidar de nós, que aqui ficamos. 




17 comentários:

  1. Amiga Marli, triste né? Também sou cinéfila, tenho até um cinema em casa, rs, com carpete vermelho e as paredes pintadas de azul, telão e tudo o mais, agora ao ver essa figura maravilhosa que nos deu tantos momentos de alegria, também sinto, assim como você, um grande vazio, pena que há tantas pessoas sofrendo de solidão e depressão, acho que quanto mais famosos são, mais sentem isso.
    Choramos juntas minha amiga, pelo menos até aceitarmos que a vida é assim, não há como mudar isso agora!
    Abraços apertados!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Querida amiga, Ivone eu adoraria ter feito uma sala assim como você tem , eu ficaria dias assistindo aos melhores filmes, tenho um lugar mais humilde que o seu rsss, mas é bem gostoso.Então ,estamos perdendo os bons. Triste foi a maneira como escolheu para morrer. Temos que rezar mais pelos suicidas. Beijos ,minha querida. Tenha uma noite abençoada pelos bons espíritos.

      Excluir
  2. Querida Marli: já escrevi bastante a propósito, em comentários de postagens de amig@s...Subscrevo o teu texto, relevando que nunca se está preparada para ver partir quem amamos pelo significado que nos confere! Por cá, recentemente, também partiu alguém especial, mas foi morte natural.
    Para o suicídio, nunca estaremos preparados. Ficará sempre um questionamento...
    Bjo, amiga

    ResponderExcluir
  3. Essas despedidas nos comovem, não por serem estrelas, mas por nunca imaginarmos que vivessem num problema que o levasse a esse trágico fim! PENA! bjs,chica

    ResponderExcluir
  4. Sem palavras...
    É uma perda que deixa saudades.

    Beijinho e um otimo Domingo

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderExcluir
  5. Oi querida amiga
    Toda partida nos comove e nos angustia e ficamos ainda pior quando tomamos conhecimento da tragédia que envolve uma pessoa para que ela tome uma atitude extremada. Quando nos vemos diante de um suicídio sentimo-nos diminutos e cheios de interrogações.
    Beijos minha flor e uma ótima semana

    ResponderExcluir
  6. Eu estou sentindo uma perca e como doi...Lambendo ainda as feridas pela passagem do meu paizinho venho te convidar para votação da final do 9º Pena de Ouro... A vida continua e o tempo não para, por isso decidi reativar o concurso/brincadeira, que foi interrompido, quando papai quis ir fazer uma festa no céu. Então venha brincar comigo e os blogueiros que heroicamente não deixam a blogosfera fenecer. Um enorme beijo no coração.

    http://ostra-da-poesia-as-perolas.blogspot.com.br/

    Desculpe passar tão rápido pela tua casa e nem sentar e saborear teu post... O tempo urge e tirei o dia para convidar a blogosfera, depois volto com calma e te afago.

    ResponderExcluir
  7. Esse trágico fim dele me deixou, também, triste. Não consigo ficar indiferente a nenhuma notícia do gênero, ainda que não se trate de pessoa dos meus relacionamentos. Sinto pelos que sofrem a dor da perda. Deveríamos ser educados de maneira diferente, para que pudéssemos entender os desígnios de Deus. Admiro os espíritos mais evoluídos, capazes de se manter fortes e serenos diante dessas eternas despedidas. Bjs.

    ResponderExcluir
  8. Também senti muito, Marli. Não me parece ser justo, alguém que espalhou tanta alegria e tanto amor terminar assim. Para mim, o suicídio é o pior estágio da solidão. Bela homenagem, boa semana.

    ResponderExcluir
  9. Olá Marli
    Um texto muito bonito como um último Adeus...
    A depressão é sempre dramática e muitas pessoas não entendem o sofrimento pelo qual, quem a tem passa..:-((
    Era um actor de quem eu gostava muito.O Actor partiu mas fica a sua obra. Paz à sua Alma.
    Resto de boa semana e um beijinho
    Teresa

    ResponderExcluir
  10. Oi Marli!
    A morte de Robin Williams foi como se um parente distante tivesse partido.
    É inacreditável que um homem excepcional como ele, tenha desistido da vida!
    Ele fará muita falta no nosso mundo!
    Bjo.
    vitornani.blogspot.com

    ResponderExcluir
  11. Gasparzinho19/8/14 21:38

    Robin merece todas as homenagens. Penso o sofrimento interno que ele sofria calado... poderia estar vivo, talvez, se ajudado fosse. O cinema ficará de luto, para sempre. Um ser humano fantástico, um ator espetacular. Ainda triste por saber que não o verei mais em filmes inéditos.
    Abraços do amiguinho camarada.

    ResponderExcluir
  12. Olá, estimada Marli.

    Certamente, deixou saudades. Mas, é o seguimento, deste fenômeno que chamamos de Vida.
    Beijo na Alma

    ResponderExcluir
  13. Boa tarde Marli, eu adorava o trabalho dele como ator, em cada trabalho brilhantismo.... muito triste.... que sua semana seja iluminada.

    ResponderExcluir
  14. Um actor que admirava e fiquei triste com a sua morte.

    A vida não é justa.

    Beijo

    ResponderExcluir
  15. Oi Marli. Quero primeiro dizer muito obrigada pelas visitas e comentários na minha coluna e deixar claro que sempre será muito bem-vinda por lá.
    Há certas pessoas que eu costumo chamar de famosas, conhecidas, reconhecidas pelo grande trabalho que fazem, porque a palavra "celebridade" em si me remete a pesssoas egocêntricas que só querem holofotes. E Robin não me passava nada disso.
    Também sou cinéfila e fiquei bem comovida com a morte dele. Interessante que as grandes lembranças que tenho desse ator, ao contrário da maioria, não é a do lado comediante que tinha e sim, do lado dramático e tocante, como em Patch Addams e o inesquecível Sociedade dos Poetas Mortos.
    É assim que me lembro e sempre me lembrarei de Robin.
    Sobre suicídio é uma coisa que choca demais as pessoas, mesmo por, infelizmente, ser uma causa frequente de morte. Também acredito que a ausência e principalmente a ausência do amor cause doenças as quais todos estamos propensos a isso.
    Todos nós ficamos muitas vezes surpresos quando uma pessoa aparentemente "alegre" ou sensível chegue a esses extremos e penso que são essas pessoas as mais suscetíveis a chegar a esses extremos. Como a tristeza que há por trás da expressão do palhaço, talvez eu seja das poucas pessoas que consegue perceber essa melancolia.
    E muitos fazem pouco caso da depressão porque não é uma doença de corpo, é de alma e muitas vezes ela não transparece.
    E quando deixa transparecer, as pessoas ao invés de ajudarem fazem pouco caso, acham que é frescura, falta do que reclamar... a insensibilidade e frieza do ser humano não sei por que ainda consegue me chocar. Por isso muitas pessoas depressivas preferem viver em seus "casulos" para não serem julgadas, só que um dia tudo chega ao seu limite.
    Lindo seu texto, sua homenagem.
    Também tenho uma dificuldade horrível para lidar com perdas. Chega a ser meio paranoica até.

    Apenas subo na carteira e em homenagem a ele o saúdo:

    "Capitão, meu capitão!"

    ResponderExcluir
  16. Muito triste saber que alguém tão maravilhoso, que nos encantou com sua arte e sua capacidade de trazer alegria a todos, não conseguiu suportar pressões da própria sociedade e se desencantou!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Bjus
    http://www.elianedelacerda.com

    ResponderExcluir

O outro lado da cegueira

Um dos trechos mais comentados e que mais aprofundam o leitor dos personagens é quando Saramago escreve:  “O medo cega (…) são palavras c...