20 de set de 2012

Como é bom ser bom

Acabei de ler um texto de Martha Medeiros e fiquei refletindo sobre o assunto que divido com vocês. Wesley Ramos, um menino de 11 anos é homenageado, motivo: ele encontrou uma bolsa e a entregou juntamente com os pertences à sua dona. Significa que ele devolveu algo que não lhe pertencia, sabemos que é uma obrigação nossa tal atitude, e ele foi homenageado por ser honesto.
Será que estou errada? Ou há uma inversão de valores em nossa sociedade?
O mundo inteiro sabe que o desenvolvimento social e a liberdade de um país dependem da educação de seu povo. Vivemos invertendo valores, confundindo o público e o privado sem a consciência de que o público é pago por nós. Assim continuam as ideias rotundas, esquecem e ultrapassam limites em proveito próprio.
A família como célula mater da sociedade tem o dever de passar exemplos aos filhos, os quais com certeza, construirão seu caráter baseados nos princípios recebidos, tornando-se conscientes e cientes dos reais valores, pois sem orientação viverão no público como se fosse o privado e vice-versa. Antigamente, não muito distante, se trazíamos para casa um toco de lápis, uma borracha ou qualquer coisa quase sem valor, nossos pais queriam saber de onde tal coisa surgira. Às vezes, nossa mãe voltava conosco à escola para saber de quem era o pedaço de lápis ou borracha....A família, e sempre ela, ainda tem e terá o poder maior com seus filhos e dependentes. A mídia nos coloca como rotina diante de diversos tipos de corrupção, o que nos lembra as palavras de Rui Barbosa “...passamos a ter vergonha de ser honestos". A educação ainda é a base para fazer com que a criança conheça seus direitos e também seus deveres.
Certa vez ouvi: “ O alheio reclama por seu dono”.
A Honestidade  e a  Ética devem  estar  no topo da  lista dos  nossos deveres.

12 comentários:

  1. oi minha amiga,

    inacreditável,
    mas num mundo onde a corrupção impera,
    se homenageiam os honestos...
    como se ser honesto não fosse obrigação...

    beijinhos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amiga querida, a gente fica sem saber se estamos certos ou errados, e acabamos pensando se Rui Barbosa não morreu e continua nos obsvervando.Deve haver esperança, com certeza e um dia tudo vai mudar para melhor.Um grande beijo!

      Excluir
  2. Oii Marli, tem toda razão, as pessoas acham que ser honesto é qualidade e não obrigação, há uma inversão mesmo, sempre mostram na TV os heróis da honestidade como se isso vc atos de heroísmo e não de cidadania! Bjinhossss

    ResponderExcluir
  3. Olá Kellen,então eu também fiquei pensando sobre o assunto.Penso que chegará o dia em que aplaudiremos com louvor à volta da tão sonhada honestidade em todos.Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi Marli! Quando li sobre o toco de lápis, me lembrei do cacete que levei, quando minha inesquecível MÃE notou que o meu interesse em ir visitar a minha madrinha era pensando no trocado que ela me dava. Rsrs. Tens razão sim. Ser honesto hoje é ser herói e, portanto, merecedor de homenagens.

    Beijos e ótimo final de semana pra ti e para os teus.

    Furtado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Furtado,realmente eram outros tempos," e bons tempos",pois tínhamos pais atentos ao que fazíamos por isso, o nosso caráter foi moldado juntamente às atitudes corretas.Obrigada pela visita.Bom domingo a você e família!Abraço!

      Excluir
  5. Olá, parabéns pelo blog!
    Se você puder visite este blog:
    http://morgannascimento.blogspot.com.br/
    Obrigado pela atenção

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Morgan,eu é que agradeço pela sua amável visita a este espaço que também passa a ser seu.Com certeza,irei conhecer seu blog.Abraço!

      Excluir
  6. Olá minha querida, vim trazer o meu abraço e desejar que você seja muito feliz que tenha o discernimento de lutar contra as adversidades que possam surgir na tua vida em busca da tão sonhada felicidade. Como diz Anne Bradstreet “Se não tivéssemos inverno, a primavera não seria tão agradável: se não experimentássemos algumas vezes o sabor da adversidade, a prosperidade não seria tão bem-vinda”. Que saibamos retirar as pedras do caminho e que sejamos como as flores que em cada primavera renascem mais belas e perfumadas. Uma linda tarde de Domingo e um início de semana primaveral, muita luz, muito colorido e alegria, perfumadas como as flores. Abraçoss

    ResponderExcluir
  7. Olá querida amiga Lourdes, obrigada pela visita e comentário belíssimo.Desejo a você um início de semana abençoado e com todas as flores da primavera a enfeitar sua vida.Um grande abraço!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Marli, pois é... aqui os papéis são sempre invertidos: quando somos honestos batem palmas. A coisa está tão feia, o povo está tão acostumado com os exemplos que veem de onde têm de vir, tudo deturpado e anti-ético que chegamos ao cúmulo de vermos notícias sobre honestidade e ficarmos ainda de boca aberta. E por aí vamos.Não tenho esperança de mudanças nesse sentido. O cachimbo já deixou a boca torta!

    beijos
    Tais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tais,realmente a ética e a honestidade passaram a ser raros.São poucas as pessoas que ainda carregam dentro de si a honradez, a nobreza,simplificando "a hombridade".Parece que são artigos de luxo.Quem sabe o cachimbo caia e a honestidade volte a fazer parte da vida de todos.
      beijos!

      Excluir

O Voar do Tempo

Bola de gude, amarelinha, bets, pega-pega, brincadeiras que fizeram parte da infância de inúmeras gerações e, hoje soam como lendas para ...