29 de set de 2012

Singela Homenagem: Hebe Camargo


Hebe Camargo teve uma parada cardíaca nesta madrugada do dia 29/09, e faleceu em sua casa, no Morumbi.

10 comentários:

  1. Gasparzinho29/9/12 14:06

    Não há como negar: esta mulher foi uma das maiores apresentadoras deste País.
    Seu carisma pode, sim, ser comparado ao do Silvio Santos.
    Ela encantava, ao mesmo tempo que polemizava com suas verdades quanto às mazelas que este País enfrentava.
    Amava sua carreira, amava a vida, e lutou com toda força até o final.
    Que, agora, descanse em Paz!
    Vai fazer falta, e logo agora que estava voltando para a casa que a acolheu por anos: SBT.
    Está tudo nas mãos de Deus.

    Abraços do amiguinho camarada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Gasparzinho,realmente,a Hebe vai ficar em nossos corações,eu gostava quando ela apontava sem medo,os problemas do nosso País.Lembro de certa ocasião em que foi encontrada por um brasileiro enquanto estava fora do país,e foi indagada o porquê dela estar com uma gargantilha enorme com a palavra Brasil.Ela respondeu com muita altivez, do seu orgulho de ser brasileira.Admiro as mulheres guerreiras e,ela foi até o final de sua vida.Há tanto para falar sobre ela,mas vamos deixar quieto.O tema "MORTE",tem me deixado um pouco aflita.Meu querido amigo,um grande abraço.

      Excluir
  2. Marli!

    Homenagem merecida! A Hebe era uma daquelas pessoas que todos esperam que passe dos 100, tamanho era seu amor pela vida! A Gabi certa vez a chamou de 'gulosa', pois devorava a vida como uma criança devora um doce. Uma triste perda, me parece prematura se trantando dela.

    Bjo carinhoso, adorei te ver lá no GENTE.
    sg

    ResponderExcluir
  3. Sueli,eu tenho estado devagar,fiz uma cirurgia de coluna cervical,irei mais vezes, com certeza, visitar o GENTE.
    Gosto muito do seu espaço.
    Quanto a Hebe era "gulosa" mesmo,quero também ter muito apetite pela vida.
    Um grande beijo a você!

    ResponderExcluir
  4. Seja bem vinda.
    Cpts,
    Armando Sena

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Armando.
      Seja também bem vindo a este espaço que também é seu.Abraço!

      Excluir
  5. De folhas de Outono se coroa uma tonta
    Lancei pedras sobre as ondas furiosas
    Teimosamente arde neste peito uma raiva
    E vi muito lixo num covil de raposas

    As coisas que um poeta vê
    As coisas que que invadem uma alma demente
    Num silencio contaminador, estonteante
    Ouvi palavras de amargo presente

    Cheguei finalmente a uma certa praia
    Fiquei encoberto por uma mancha de gaivotas
    Na impressionante fachada da minha alma
    Fecham-se com estrondo todas as portas


    Doce beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá!
      Que belo registro de sua visita a este espaço.Como sempre seu poema é lindo.Os poetas dizem tudo.Um grande abraço!

      Excluir
  6. Oi, Marli, não faz muito que assisti o 'Roda Viva' com a Hebe, se não me engano foi de 1987! Reprise. Duas horas de programa. Naquela época já era um espanto, coragem e inteligência. E assisti outras tantas homenagens com ela. Deixou pra nós o retrato de uma mulher de garra, sem mentiras e sem hipocrisias. Essa era a Hebe. Pena, tinha muito ainda pra viver e gritar sua indignação! Eu não tinha tido toda a dimensão do que foi a Hebe. Grande mulher.
    Beijos, meu carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Tais,então, vamos sentir falta desta guerreira que dizia em altos brados o que muitos de nós não conseguíamos e ainda não conseguimos,pois a coragem dela sempre foi sua marca registrada.Beijos!

      Excluir

A robotização da massa

Vejo pessoas  robotizadas  pelas ruas, cabeças baixas, dedos deslizando sobre pequenas telas pretas. Ando pelas calçadas com as mãos nos ...