20 de set de 2010

Formas de olhar

Mundo De Dentro

"Cego é aquele que vê
Somente o que enxergam os seus olhos
Passa, por isso, a viver
Com vendas, bitolas e antolhos
Cego é quem olha pro mundo
E no mundo se põe como centro
Sem enxergar um segundo
O mundo do mundo de dentro
Cego só vê a medida
Do que alcança a visão
Não olha nunca pra vida
Com o olho do coração
Cego que só perde a vista
Não fica nunca incapaz
Pois, no que faz vira artista
Passa a enxergar muito mais"

Dori Caymmi

7 comentários:

  1. Já vi que por aqui a qualidade é essencial. Visitarei sempre.

    ResponderExcluir
  2. Bom dia Fred,percebi que achou interessante a visita ao NACO de PROSA ,aguardarei sua volta ,desejo que seja em breve.

    ResponderExcluir
  3. Uau!!

    Belo texto e belo fundo!!

    bjs

    ResponderExcluir
  4. Olá Marli!
    E quantos cegos que não o sabem que são, circulam despreocupadamente da própria visão...

    Estou lendo "Ensaio sobre a Cegueira", e cada vez mais sinto que facilmente, nós que em nossa perfeição de videntes, enxergamos muito menos do que tantos cegos dos olhos e videntes da vida!

    Fico feliz, tua casa esta cada vez mais aconchegante, gosto de te ler aqui.

    ResponderExcluir
  5. Verso Liso
    João Lenjob

    Quero apreciar teu corpo como uma escultura
    E de perto realizar atento toda uma leitura
    Desvendar os segredos
    Passear com os meus dedos
    E evitar que despertes ou que mexas.

    Quero sentir teu caule feiticeiro
    E respirar contente o teu aroma
    Tão perfumado o verso liso me entontecerá
    E teu pescoço chamará, clamará o meu carinho
    Para que meus lábios acompanhem por toda a noite.

    Quero sorrir para teu corpo com uma enorme fissura
    E estudar tamanha arte e tão nobre a tua cultura
    E viajar em teus cabelos
    Abraçar-te em nossos apelos
    Até que mexas me puxando para mais perto.

    Quero abraçar tua cintura fascinante
    E enlaçar meus braços entre teus braços
    Tão apertado o verso liso em meu peito
    Para que chames, clames pelo meu amor
    E que meu corpo te acompanhe por toda a madrugada.

    ResponderExcluir
  6. Mariane,que bom tê-la novamente aqui e, com sábias palavras,pois eu me considero às vezes cega em minhas atitudes e ações.O importante é que possamos definir esta deficiência com os olhos da alma,pois ela não nos deixa cegos completamente e isto é ótimo.Um grande abraço ,volte sempre .

    ResponderExcluir
  7. João Lenjob,seja bem vindo ao Naco de Prosa.
    Sua bela mensagem , através deste poema mostra-me sua alma cheia de sensibilidade e alegria,um poema ,cujos versos são quase de inenarrável significado,lindo , sensual e metafórico.Obrigada! volte logo!

    ResponderExcluir

O Voar do Tempo

Bola de gude, amarelinha, bets, pega-pega, brincadeiras que fizeram parte da infância de inúmeras gerações e, hoje soam como lendas para ...