26 de set de 2010

Vergonha de ser honesto


"De tanto ver triunfar as nulidades,
de tanto ver prosperar a desonra,
de tanto ver crescer a injustiça,

de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus,
o homem chega a desanimar da virtude, 
a rir-se da honra,
a ter vergonha de ser honesto."
Rui Barbosa

"...mas somos muitas vezes péssimos administradores e políticos fajutos, em lugar de investir, roubamos; em lugar do cuidar, negligenciamos; em lugar de curtir, botamos fora, o bem da nossa alma."Lya Luft. Revista Veja, 9 de maio,2007 .
 Se pudesse ter um Naco de Prosa com Rui Barbosa, eu diria ao nosso ilustre escritor que roubar não é ser esperto. Quando a verdade e principalmente a transparência forem concretas, nós brasileiros também seremos um povo feliz e tranquilo, vivendo na igualdade.
  Há muitos de nós que são céticos, não acreditam que há esperança para o nosso Brasil, porém não somos eternos ("até os canalhas envelhecem e morrem") e com certeza, as futuras gerações terão paz e tranquilidade.
  Talvez estejamos impacientes pela pela melhora, precisamos ser mais tolerantes, acreditarmos que nem  todos são corruptos. Vamos trabalhar unidos para consolidarmos a verdade. E, hoje, mais do que nunca ser um brasileiro com honra e,  jamais sentir vergonha de ser honesto.

4 comentários:

  1. Mariane Boldori26/9/10 18:12

    Caro Rui Barbosa, como o senhor sabe está se aproximando o dia das eleições em nosso País. E eu não poderia sair desse tão lindo Blog, sem lhe dizer algumas palavras, após tão belo e atual texto escrito pelo senhor.
    A nossa política vai de mal a pior. Isso porque não temos mais a figura política em nosso país, temos estereótipos em forma e figura de ex-palhaços, ex-boxeadores, ex-latifundiários, que se quer pisaram em uma Universidade e, consequentemente, não sabem o significado da palavra POLÍTICA.
    Os calhordas envelhecem, sim! Mas deixam herdeiros.
    E o que mais machuca, é ver que nosso dinheiro, arrecadado dos impostos, das vacinas da gripe H1N1, dos Kits de primeiros socorros e agora das cadeirinhas para bebês, estão em calabouços onde eu não ouso por a mão: cuecas, meias, posso ser surpreendida.
    Ninguém mais quer saber de apreender a pescar, ficou muito fácil ganhar o peixe a custa dos que trabalham neste país.
    Essa corja de políticos vai continuar a existir, seja ela de cabelos brancos ou não, ou até mesmo pintados com Butterfly, qualquer semelhança com Sarney não é mera coincidência.
    Despeço-me, saudoso Rui Barbosa. Pedindo que o senhor não me pergunte porque eu não faço nada para mudar essa pintura política, não quero me alongar demais ou provocar discussões calorosas, o resultado virá na Urna, dia 03 de outubro de 2010.
    Abraços, Mariane Boldori.

    ResponderExcluir
  2. Cara Mariane,agradeço seu comentário tão enriquecedor ao tema,você é uma brasileira corajosa,guerreira e nos passa sua percepção da política, fazendo um paralelo com o passado e os dias atuais.

    ResponderExcluir
  3. Marli o que fazer com esse povo que temos, eu sei que me respondera educação e eu te direi, eles não querem, só resta a nós tomarmos um vinho tinto
    e sair pelas ruas com uma chuva e um friozinho para refletir e pensar.

    ResponderExcluir
  4. Caro Anônimo ,pena que não registrou seu nome ,poderia deixar registrado no final do seu comentário,mas tudo bem,fiquei feliz por ter recebido sua visita e seu comentário,sua opinião é de grade valia.Porém se me permite devemos continuar a oferecer Educação para todos ,pois "Agua mole em pedra dura ,tanto bate até que fura",uma comparação pobre ,mas que pode dar certo se todos pensarmos assim.Anônimo ,volte sempre ,fico feliz com sua visita .Obrigada !

    ResponderExcluir

O Voar do Tempo

Bola de gude, amarelinha, bets, pega-pega, brincadeiras que fizeram parte da infância de inúmeras gerações e, hoje soam como lendas para ...