16 de out de 2010

Ah, o amor!...

Venha como vier, seja como for... tal sentimento tão complexo e tão simples, seja entre mãe e filho, homem e mulher, homem e natureza, o amor deve existir entre todos.
O amor vem da Alma, o amor não escolhe cor, sexo, religião... daí surge a complexidade... mas quando vemos o sorriso do ser amado ou a reação que causamos em quem amamos, tudo se torna simples...
E como é bom quando conhecemos o amor, em sua complexidade e simplicidade...
Sem pedirmos nada em troca além da felicidade do ser amado...
E... até mesmo quando o amor ama sozinho, a despedida é um poema... como nessa música composta por Roberto Carlos...
Deleite-se e ame.

De Tanto Amor

Ah ! Eu vim aqui amor só pra me despedir
E as últimas palavras desse nosso amor, você vai ter que ouvir
Me perdi de tanto amor, ah, eu enlouqueci
Ninguém podia amar assim e eu amei
E devo confessar, aí foi que eu errei
Vou te olhar mais uma vez, na hora de dizer adeus
Vou chorar mais uma vez quando olhar nos olhos seus, nos olhos seus
A saudade vai chegar e por favor meu bem
Me deixe pelo menos só te ver passar
Eu nada vou dizer perdoa se eu chorar


3 comentários:

  1. Lindíssimo post e blogue.
    Um hino ao amor que tantas vezes se vive na saudade da sua existência.

    Gostei do que li e vou voltar!

    Beijinho

    ResponderExcluir
  2. É minha mais nova seguidora. Agradeço o carinho. Lindos seus textos, fotos e todo contexto. Volte quando quiser, amei a visita que me fez. Abraços.

    ResponderExcluir
  3. JB,obrigada pela visita e pelas belas palavras.E´bom tê-lo em meu blog,volte sempre para uma prosa.
    Abraço!

    ResponderExcluir

O Voar do Tempo

Bola de gude, amarelinha, bets, pega-pega, brincadeiras que fizeram parte da infância de inúmeras gerações e, hoje soam como lendas para ...