15 de nov de 2010

Augusto dos Anjos

Versos Íntimos

Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão - esta pantera -
Foi tua companheira inseparável!

Acostuma-te à lama que te espera!
O Homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.
Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!

7 comentários:

  1. AUgusto dos Anjose é sempre uma boa leitura...
    passei pra ler, e deixar um beijo enorme!
    boa semana pra ti!


    Visite-me...eu lhe recomendo em meu humilde blog!

    ResponderExcluir
  2. Olá que bom que veio me visitar e mais ainda que gostou do post,pois muitos não gostam deste poeta por lhes parecer muito triste,mas se refletirmos tem algo de belo em suas palavras.Obrigada!Estou indo à sua casa.Tenhas também uma ótima semana!

    ResponderExcluir
  3. Marli, Augusto dos Anjos é conhecido como um dos poetas mais críticos do seu tempo,e ainda hoje,sua obra é admirada tanto por leigos como por críticos literários.Ele fala da realidade que via ao seu redor.Por este belo texto parabéns!
    Abraço!
    professor Jamil Dal Pró.

    ResponderExcluir
  4. Minha nova e estimada amiga, seu Blog é maravilhoso, estou aprendendo muito nele.

    Beijos deste seu mais novo amigo, careca doido e da cara feia

    Alexandre Yamazaki
    Filosofo e Psicanalista

    se quiser me adiciona no msn
    alexzaki@hotmail.com

    milhões de beijos em seu coração

    ResponderExcluir
  5. Alexandre,seja bem vindo ao Naco de Prosa,sinto-me honrada em tê-lo aqui,pois deixa-me melhor com meus textos,os quais poderão ser analisados rsssssssssss.Já está adicionado.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  6. acostuma-te à lama que t'espera
    no cerro ou nesta cidade
    vive uma vida de feiticeira
    bebendo até que te acabe a sede
    na fonte do cerro ou do monte
    acostuma-te a lama que t'espera
    (d'ela somos todos feitos)

    Jorge santos

    ResponderExcluir
  7. Jorge,amei seu poema,enriqueceu meu blog, volte sempre! Beijos!

    ResponderExcluir

Criticar ou não criticar?

Às vezes o que precisamos é apenas um filme que nos traga algo de bom. E esses dias eu estava a procura de algo bom, delicado e encontrei...